terça-feira, janeiro 06, 2009

Noite passada acordei Formiga Irmã com um chute. Olha que jóia? Já pensou, leitor amigo?! Ser acordado por um chute? Explico: é que nossas camas estavam coladas uma na outra. Daí, de manhã, eu estava em um animado sonho em que eu tentava expulsar um povo chato da minha casa e eles não queriam sair (mas a minha casa era a casa que minhas amigas Dani e Gi moravam na adolescência em Andrelcity). Daí eu punha todo mundo pra fora e trancava – tinha um conhecido me ajudando. Mas eles, os intrusos malas (dentre elas estava a atual mulher de um ex-meu, de perucas, que eu não vejo há tempos, e eu puxava a peruca dela, além de expulsá-la), ficavam forçando a porta e eu tive que botar o pé pra segurar. O problema é que no meio do caminho havia uma Formiga Irmã.

Acordei suando – e nem tava frio.

Detalhe: a pessoa havia ingerido substâncias legais à venda na farmácia para relaxar. Que relaxada, hein?


(Pior foi um ex-namorado meu que, certa vez, me acordou com tapas).


Antes de ontem eu acordei dizendo: “pelo amor de Deus, pelo amor de Deus!” – e novamente acordei Formiga Irmã. Também estava tentando impedir que intrusos adentrassem a minha casa. Queria que alguém me desse a chave para eu fechar o portão que dá pra rua de cima. Mas ninguém me ouvia. Por isso eu tive que gritar pelo amor de Deus.


(Na infância eu sempre tentava gritar ou correr e a voz não saía, nem os movimentos. Na adolescência a voz saía fraca e os movimentos lentos. Agora eles estão indo pro mundo real. Será que quando for velha vou acordar a vizinhança inteira com meus berros e ser resgatada na rua, de camisolão?).


Quase todas as noites – inclusive nos referidos sonhos – meu falecido pai deixou de estar morto (não vivo, mas o que eu sempre falo aqui: ele está não-morto, o que é diferente de estar vivo ou de ter ressuscitado, ele simplesmente deixou-de-estar-morto, entendem? No sonho eu sei que ele já morreu) e eu descubro que tenho cachorros. Meu pai tenta convencer minha mãe de que podemos ter um cachorro – da mesma forma que ele fez com a única cachorra que eu tive na vida, a Tutti. (Papai gostava de animais. Ao contrário de mamãe, que detesta todo o qualquer tipo de animal).


Elementar, meu caro Sigmund (daquelas que confunde as tiradas, né?): eu, em um momento em que volto a morar na casa onde vivi até os 18 anos começo a sonhar com casas e portas a serem fechadas a força, tentando deixar intrusos do lado de fora.

Hãn, hãn? Pegaram?


Nos dois sonhos existem informações que vêem à tona – eu tenho um cachorro e não sabia ou meu pai deixou-de-estar-morto.


Nos dois sonhos eu conto com a ajuda (inútil) de terceiros, mas quem me salva sou eu, contra todas as previsões.


Nos dois dias eu acordo no momento em que eu consigo agir.

Nos dois sonhos sou eu contra um bando de gente.


Eu poderia terminar meio paulocoelhamente, dizendo que “não fique esperando ajuda de terceiros, quando a verdadeira força vem de você mesmo” ou. “só quando você agir conseguirá deixar os fantasmas e intrusos do lado de fora da sua vida”, mas creio que a psiquê é mais complexa do que isso (ainda que um charuto possa ser apenas um charuto).


Em todo caso, acho que tenho futuro no ramo dos manuais de sonho – estilo “sonhou com dente caindo: falsos amigos”.


Ou ainda a melhor interpretação vem de Formiga Irmã, também na mesma profissão que Titio Sig: “joga no cachorro, vai que você ganha, compra uma casa e aí pode ter um cachorro”.


Creio que terei que ir a Capital ver meus médicos de cabeça com urgência.
(Uma das boas coisas de ter mudado para Gotham City é dizer "vou a Capital". Adoro. "Vou a Capital". Tão poético...)

9 comentários:

ila fox disse...

Eu ainda estou na fase que faço tudo lentamente nos sonhos, me dá um nervoso isso! por que as vezes estou num momento de perseguição (é impressão minha ou somos praticamente Bruce Willis nos sonhos?), aí quero dar um soco na cara de alguém e não sai! grrr

*

Bom, acho que até eu começaria a ter micro-pesadelos e sonhos estranhos se voltasse a morar com meus pais na mesma casa que passei adolescencia. :-/

*

Destes significados todos o único que sei é que casa significa nós mesmos. Se a casa é bonita, vc se sente bem, se a casa é feia, vc está mal. Agora, no seu caso, que a casa está sendo invadida pode ser que vc está fechada para contatos e relacionamentos (não necessariamente namoro).
Enfim... da para interpretar mil coisas né?

Alvaro disse...

Uma história maravilhosa é a do meu pai, que certa feita não apenas acordou a minha mãe no meio da noite, mas ainda plantou-lhe uma descompostura em regra, porque ELE sonhou que ela o estava traindo, no sonho DELE!...

Me lembro deles contando isso no café da manhã, ela zombeteira, e ele levemente envergonhado...

:)

ila fox disse...

Hahaha coitada da mãe do Alvaro... pior é acordar e ainda ficar com aquela nítida sensação de que o sonho ainda está acontecendo.

ila fox disse...

Olha, não sei se tem algo a ver... mas na semana que descobri uma traição eu sonhei com um crocodilo enorme.
Fiquei a semana toda pensando naquele crocodilo. Se tem alguma coisa a ver eu não sei, mas por via de regra eu fico esperta com qualquer sonho que fique martelando na minha cabeça, em especial os que aparecem crocodilos. O_o

Milema disse...

Concordo c a Vivi. Joga no cachorro!

Anônimo disse...

ei...
se a Grega invadir sua casa no sonho, dá porrada nela, um banho, e pega de volta o dinheiro da tv a cabo!
promete???
;)
mana

ila fox disse...

E por falar em grega... quando é q vai rolar as fotos do mausoléu? ;-)

tak disse...

Carrie, Feliz 2009!!!!!! Ah! Uma vez, enquanto dormia no metrô, eu sonhei que estava jogando basquete. Sei que acordei dando um tapa na pessoa que estava a meu lado. Fiquei com tanta vergonha que fingi que voltava a dormir....

trinity disse...

"Será que quando for velha vou acordar a vizinhança inteira com meus berros e ser resgatada na rua, de camisolão?" HAUHUHAUHAUHAU
Muito bom isso Carrie!