sábado, agosto 09, 2008

Erguendo-me sobre mim mesma


“Poucos segundos na vida são mais libertadores do que aqueles em que um avião levanta vôo para o céu (...) Há nessa decolagem também um prazer psicológico, pois a velocidade da ascensão da aeronave é um símbolo exemplar de transformação. A exibição de força pode nos inspirar a imaginar mudanças análogas, decisivas em nossa própria vida; imaginar que um dia nós também nos possamos erguer acima de grande parte do que agora se encontra ameaçador sobre nós”


(BOTTON, Alain de. "Partida. Dos locais dedicados aos viajantes". In: A arte de viajar. Rio de Janeiro: Rocco, 2003).



Mala: 26 kg e 600g. Foi o máximo que deu pra fazer, Raquel – ou melhor, o mínimo. Levando em conta que o limite são 32 – ou 35, não sei, tá de bom tamanho (literalmente). Essa é a terceira viagem internacional que eu vou fazer. A primeira para um longo período. Vou ficar 4 meses. Menos do que isso, só se eu fizer que nem o Ronaldinho que só vai com o cartão de crédito (mas eu chego lá).

Alguns itens: guia de NY, dicionário bilíngüe pequeno (consegui deixar o grande e a gramática! Yuppie!), “Guia de conversação para viagens”, um caderno grande para eu fazer um diário (e 4 bloquinhos), um estojo de canetas; I-pod (recheados de músicas para meditação, Sons da Natureza, barulhinhos de grilinhos, de água caindo, vento, fogo, New Age, Enya, Mestre de Rose...sim, eu sou dada a essas viadagens). Pequenos amuletos da sorte - ou fé, como preferirem.

Documentos xerocados, autenticados, conferidos e reconferidos. Técnicas ninja, do Clã das Formigas Judias Voadoras do Vale do Paraíba e Serra da Mantiqueira ativadas. Deixei uma pasta para Formiga Irmã e outra para Formiga Mãe, conferindo amplos poderes formigais para questões de cunho formiguístico. Espero que elas não se aproveitem para vender Versailles.

Estranhamente estou calma. Afinal, gastei toda a minha cota de nervosismo. Fiquei nervosa à vontade. Fui ao fundo do nervosismo e da paranóia. Agora, acabou.
Passô, passô como diria Didi Mocó.

Curto cada minuto. Afinal, o melhor da festa é esperar por ela.

Estou indo rumo a maior aventura de toda a minha vida. Até hoje. Elas serão muitas e muitas, ainda.

9 comentários:

Vanor disse...

Carrie, me escreve, please: chego a NYC dia 12/08 e fico até 8/09. Vou ficar em Astoria tb. Seria ridículo se a gente não se encontrasse! beijos, VanOr (vc tem meu email!)

Carrie, a Estranha disse...

Caraaaalho! Tô já te escrevendo!

Joel disse...

Que chique (ou ridículo), as duas saindo do Rio no mesmo dia e marcando encontro em NY!

P.S. 1: eu já tinha reparado na coincidência de irem no mesmo dia, mas estava querendo ver se vocês iam se encontrar no mesmo vôo (ou na mesma sala da imigração lá em NY)
P.S. 2: não leva caderno nem canetas. Chegando lá vai numa Staples ou Office Depot que tem tudo que você pode imaginar sobre isso.
P.S. 3: se você vai realmente levar o IPOD registra a saída na PF. Vai que dá uma zebra na volta e o comitê de boas vindas e me dê seu imposto resolve inclui-lo na sua cota.

Carrie, a Estranha disse...

Joel,

Sim, vou registrar tudo. Só espero que os caras de lá não resolvam pegar meu lapinho...

Bjs

Lenissa disse...

Uhuuuu estou empolgada solidariamente... hahaha. Concordo sobre o lance do caderno, mas tbm não é isso q tá deixando a mala maior... vai levar notebook? ochato é sair de lá... eles podem apreender pra verificar se vc é terrorista e tem um plano mortal.. portanto copie seus dados e coloque antes na grande rede q é mais seguro..mas isso é daqui a seis meses... beijuuuus

Carrie, a Estranha disse...

Oi Lenissa! Não, o risco de ter o laptop apreendido é na entrada. Sim, copiei tudo e pus num pen drive na mala. Seja o que Deus quiser.

Não! São só 4 meses! Rsrsrs


Bjaaaaao!

Joel disse...

Pen drive também tá valendo. Eles podem pegar qualquer dispositivo que armazene dados.
E é na entrada ou na saída porque quem faz isso é o pessoal da segurança lá no raio-x. Vale para vôos domésticos ou internacionais também.

Carrie, a Estranha disse...

Joel,

É, mas o pen drive vai malocado na mala!

Meu santo é forte. Não vão pegar o meu.

Bjs

Lenissa disse...

Aqueles yankees sem vergonhas! Humpf!
Acho que vou pra europa mais mil vezes antes de encarar essa...