quinta-feira, abril 10, 2008

A dois graus de Rodrigo Santoro


Era uma vez um amigo meu chamado X. Esse amigo morava em Patópolis, tinha parentes em Pasárgada (onde eu também tenho) e em Gotham City (que eu morei até os 18 anos). Eu e o X sempre fomos muito amigos.


(Corta).


Encontro com a Tíccia, de Porto Alegre, aqui no Rio, final do ano passado. Conheço uma menina cujo nick era Senhorita Rosa com o Candelabro na Biblioteca (sim, do jogo Detetive da Estrela).


(Corta).


Dois anos antes dou aula para Canimo (que, evidentemente, tem outro nome) em Patópolis. Eu a (des)orientei na monografia final. Depois a Canimo passou a ter um blog. Aí eu conheci, virtualmente, a Raquel, prima da Canimo (dãã! Agora que eu entendi o nick!).

Volta pra cena do encontro com a Tíccia. A então Senhorita Rosa diz “ah, você é quem deu aula pra Canimo?”. Sim, sou eu.


(Corta).


Estou eu, flanando pelo blog da Canimo, e vejo uma Senhorita Rosa com o Candelabro na Biblioteca. Pensei comigo: “oh!” e fui lá ver. Afinal, não poderiam existir duas Senhoritas Rosas com o Candelabro na Biblioteca. Vejo um link para o blog da Lenissa e do Gigio, que também estavam no encontro da Tíccia. Sim, só pode ser a mesma pessoa. Aí deixo um recado todo animadinho: “a-há! Senhorita Rosa! Te achei! Está com um blog e nem fala nada?”. A Senhorita Rosa número 2, diz: “acho que você está me confundindo”. Pensei comigo: “noooossammm! Ela nem lembrou de mim! Que pessoa estranha! Será que eu sou tão insignificante assim? Tudo bem que o encontro era da Ticcia, pra Ticcia e com a Ticcia, mas...custava lembrar de mim? Eu sou a amiga da Canimo! Aloooou! Lembra de mim, please????”. Ela me responde dizendo: “olha só, eu não sou quem você está pensando” – bom, ela foi mais educada que isso e eu menos pentelha que isso (só um pouco menos).


Nesse meio tempo combinei de almoçar com a Lenissa na Travessa – que, no encontro da Ticcia eu não havia conversado nada, já que ela ficou numa ponta da mesa e eu em outra, depois só nos falamos pela internet – e Senhorita Rosa Número 2, a morena, foi também.


(Sim, internet também serve pra fazer amigas e não apenas "pegar" pessoas ou ser protagonista de histórias do Linha Direta).


Aí resolvo convidar a Senhorita Rosa Número 1, que eu descobri que era Miss F agora, e ela me esclareceu tudo: elas se conhecem, estudaram no mesmo colégio e tudo não passou de uma enorme coincidência. Ninguém roubou o nick de ninguém – já que todo mundo jogava Detetive da Estrela (todo mundo menos eu, que sempre fui A Estranha e preferia War, que saía porrada ou Banco Imobiliário, que também dava uma certa sede de vingança).


Aí percebo que o sobrenome da Senhorita Rosa número 1, agora Miss F, amiga da Canimo, que eu dei aula em Patópolis, que estava no encontro da Tíccia e que é loura de olho azul (tá parecendo aquela musiquinha do Cocoricó: Estava o Julio em seu lugar/Veio o cachorro lhe cutucar/O cachorro no Julio/ O Julio no Alípio/ O Alípio na vaca/ A vaca no avô/ O avô na galinha/ A galinha no galho/ O galho no gato/O gato no rato/O rato na aranha/A aranha na mosca/A mosca na avó/A avó a bordar...) é o mesmo de um amigo de X, que ia bastante em Pasárgada. Dado que: 1) Os dois são de Patópolis; 2) Os dois são muito louros com o olho muito azul, 3) Os dois têm o memso sobrenome e 4) O mundo é um ovo de codorna, resolvi perguntar: "ei, você é irmã do XW?". E não é que era!



(Corta. Sim! Mais revelações bombásticas por vir! VOCÊS ESTÃO ACOMPANHANDO A HISTÓRIA DIREITINHO???)

A Senhorita Rosa Número 2, agora Única, era a amiga da Raquel que ia de Kombi com quem? Não!! Não é com X, nem com XW, nem... é com o Rodrigo Santoro!!!!!! E, melhor ainda, ela me contou que o apelido dele era Chorão. Porque ele era o último a ser entregue na Kombi! Aí ele começava a chorar!

(Pausa. Corinho: ôôôô!!! Que coijinha maisi foooofa da titia Carrie!)


Gente, quanto mais eu escuto essas histórias bizarras do Santoro (e eu já ouvi várias, de diferentes fontes) mais eu me apaixono por ele! Eu me apaixono pela pessoa-Rodrigo. O selumano-Rodrigo. Tudo bem que os olhinhos de menino desprotegido, aliado aos braços torneados na medida exata (nem mais, nem menos), as coxas exuberantes, o abdômen e o sorriso simpático também contribuem muito. Mas sempre que eu escuto essas histórias, sobre como ele era esquisito e frágil e sensível até demais para um menino, eu penso: almas-gêmea, carne e unha, bate coraçããão! Eu sempre via ele falando isso nas entrevistas e achava que era papo dele. Do tipo que faz marketing negativo só pra ouvir elogios, sabe? Eu também era estranha e frágil e sensível, Rodrigoooo! Com a pequena diferença dele estar hoje em dia em Hollywood, ganhando em dólar e eu continuar Estranha, escrevendo pra 17 leitores e meio com bolsa de doutorado (tá, mas meus 17 leitores e meio valem pela platéia toda do Santoro. Que aliás, foi eleito o pior ator de Hollywood por sua atuação como Xerxes. Pô, mas ainda assim é o pior ator...de Hollywood. Sim, eu me impressiono com esse tipo de coisa. Sim, no fundo eu sou uma “pseudo intelectual arrogante de merda” - como já me xingaram nesse estabelecimento - que queria ser uma BBB. Sim, no fundo eu sou uma pessoa bem superficial).

O problema é que eu estou sempre conhecendo pessoas amigonas de um amigão do Santoro. Pessoas que estudaram com a irmã do Santoro (minha cunhadinha, Flávia). Pessoas que eram vizinhas da prima do Santoro. EU QUERO CONHECER ALGUÉM QUE SEJA MUITO AMIGO DO SANTORO ATÉ HOJE!!!

Aliás, eu vou te contar que esse irmão da outrora Senhorita Rosa, atual Miss F, era (deve continuar, assim eu espero) tudo de bom. Muito melhor que o Santoro, diga-se de passagem. Sim, a maioria dos amigos do X, incluindo o próprio, eram/são do naipe do Santoro. Sim, caras amigas. Provavelmente a mulherada de Patópolis que está me lendo vai torcer o nariz e dizer “que exagero”. Hereges! Infiéis! Tolinhas! Vocês não sabem o que estão dizendo. Patópolis é a cidade dos homens bonitos. Nenhum nunca me deu bola, é verdade, mas isso é outro detalhe. Sempre com seus olhinhos e/ou peles claras, suas bochechinhas rosadas, suas pintas de descendente-da-família-real. Eu sempre fui a amiga super gente boa, legal, bacana, inteligente pra caralho...que apresentava a outra amiga bonitinha e burrinha que ficava com eles. Sem contar o fato de eu sempre ficar mais bêbada que todos eles juntos. Enfim. É a vida. Com o tempo também passei a preferir os caras feios/inteligentes/engraçados. Não só porque eles NÃO me rejeitavam - como diria o Diogo Mainardi - mas também porque com o tempo eu passei a achá-los de fato mais interessantes. Além do fato de ter sempre menos mulher em volta deles. E quem é que agüenta acordar com um cara que é mais bonito que você mesma? Um sujeito que tem a pele melhor que a sua? O cabelo mais sedoso?

No fundo, no fundo, acho que parte da minha fixação pelo Santoro é uma forma de finalmente pegar algum amigo do X. Freud dizia que estamos sempre repetindo as relações de nossa infância e que nos apaixonamos pela mesma pessoa a vida toda. Minha vida sentimental é pautada por alguns mitos fundadores: a Síndrome do Itamar e os Amigos de Patópolis do X.


***


Mudando de assunto, mas nem tanto, tenho encontrado uma série de pessoas que tem colocado “anúncios” de si mesma em sites de relacionamento do tipo Par Perfeito. Pessoas bonitas, inteligentes, que saem de casa, que tem tudo pra namorar quem elas quiserem. Muitas. Não é uma nem duas. Muitas mesmo. Mulheres e homens. E aí volta e meia alguma delas me diz: “por que você não coloca, também?”.

Eu não coloco não é por vergonha, por orgulho (??!!), nem nada disso. Eu não coloco pela total inabilidade em me descrever, bem como escrever o que eu quero/espero de uma pessoa. O que eu vou dizer? “Oi, meu nome é Carrie, tenho 31 anos, pobrema de neuvro, muitas manias estranhas, não curto “baladas”, micaretas, nem bar com música ao vivo, sou doutoranda em história, durmo tarde, falo sozinha, assisto a programas evangélicos da Record, tenho um blog e planos de dominar o mundo. Procuro homens de qualquer idade, qualquer tipo físico, que não babem (em público), com curso superior, que saibam que Nelson Rodrigues morreu e Rubem Fonseca é um escritor, que me arrastem pra “balada”, de preferência com nariz grande e torto, que assistam ao Big Brother e leiam Tolstoi nas horas vagas. Ou, na ausência disso tudo, que seja o Santoro”? Too much specific? Mamãe diz que sim. (Cris ou Andréa, acho que eu procuro vocês!! Ou a mim mesma numa versão melhorada. Ou piorada. Whatever).

Além disso, vi que tem que por um apelidinho (sim, eu me dei ao trabalho de ir lá ver qual é a da parada). Quem é que se interessaria por um nick de Carrie, a Estranha? Alguém estranho? Mas e se for estranho realmente estranho e não estranho-legal (daquelas que se acha legal)? E, na boa, não me imagino com nenhum outro nick como gatinhamanhosa31, sexyhot76, balzacaenxuta, solitariazonasul ou intelectualegostosa. Algum nome de escritor/personagem que eu goste? virgíniawoolfdostropicos (uau! Super apropriado! A mulher entrou num rio com um monte de pedra no bolso e morreu!). Enfim, não dá. E eles cruzam os dados e unem pessoas em comum. Meda.

Diz meu horóscopo que eu ia ter um encontro amoroso emocionante! (desse jeito, com exclamação) no final de semana. Emocionante pode ser um monte de coisa. Meda.

Como diz uma amiga minha, a gente atrai pessoas na mesma vibração. O problema é que eu estou vibrando na do Dalai Lama. Só pode – e até o Tibete se libertar ele tá com muita função.
PS: Já antevejo a cara de mamãe ao ler esse post...minha filha... (Já contei que mamãe foi Miss? Miss, plebe!! Mas eu me pareço com o meu pai - que também era lindo, mas nunca foi Miss. O que de certa forma é bom, pois seria um pouco estranho). Antes que riam de você - e, em algum momento, as pessoas vão rir, isso é fato seja você quem for - ria com os outros de você. Como diria o Bozo, sempre rir, sempre rir...

13 comentários:

Nalu disse...

Ai, mas o Rodrigo...é um gato mesmo. Ha 8 anos atrás eu fiz um cadastro num site tipo o parperfeito, era o almas gêmeas, nem sei se existe mais. Conheci alguns moços através de lá. Acho que décimo foi o meu marido. E deu super certo, vou fazer 7 anos de casada. E não tive nenhuma história de linha direta não. Abraços.

Patrícia disse...

Vc é maluca mesmo! Como me divirto com seus posts :)

Carrie, a Estranha disse...

O décimo??!! Jesus, Maria e José! Se eu tiver q esperar nove pregos pra encontrar meu marido eu acho q eu desisto!

Mas eu tenho certeza q vc é uma garota normal. Q tinha um perfil normal.

Patrícia,

É vc, Pat??

Bjs

Ila disse...

Eu encontrei o meu no Orkut, na verdade nem estava procurando, ele simplesmente apareceu do nada comentando sobre jogos de computadores antigos (e ainda usando a conta do irmão!).

E ó que eu sou o tipo de pessoa que põe fotos estranhas no album do orkut: fritando batatinha com touquinha de plastico na cabeça, mascara de acne no rosto... :-P

Carrie, o que é seu tá guardado.
E que de preferencia seja o Rodrigo Santoro. ;-)

Raquel disse...

hahaha, eu acho que eu sou a unica que conhece todas as pessoas citadas na primeira parte do post (menos o santoro. quer dizer já o vi e cumprimentei, mas não fui apresentada).
Bom, quem ia de kombi com ele era a própria srta Rosa - a única - e não eu, eu só te contei essa história uma vez, acho. No meu aniversário encontrei canimo, miss F (a do irmão gato) e Srta Rosa, olha que chique!
Quanto aos meninos bonitos, eu concordo, em petrópolis tem muitos, mas eu sempre fui a amiga feia que as outras amigas usavam pra empatar a história quando não queriam nada com o cara em questão - me seguravam por perto, mas comigo ninguém queria ficar. Reminiscências no meu proprio blog, by the way.

Eu outro dia ouvi uma história de um namoro que começou com um celular jogado de um carro pra outro em plena rua. Quando eu ia fazer uma coisa dessas? mannemmmmmorta! Ia morrer virgem se minha primeira vez tivesse dependido disso. Já pensou então conhecer uma pessoa na night e entrar no carro com o estranho? E se for um psicopata? E se for o cara que espancou o outro na lagoa? E se eu acordar numa banheira de gelo sem os rins? eu heim. medo.
bjos

Carrie, a Estranha disse...

Ila,

Ah, q fofo! Minha avó tb dizia "o q é teu tá guardado". Só tenho medo de que isso não seja algo bom, necessariamente.


Raquel,

Sim, sim! Eu entendi q quem ia com ele de kombi era a senhorita rosa.

Cara, essas histórias de trânsito são bizarras.

Enfim.

Patópolis Rules! Hahaha


bjs

Miss F disse...

Ô Raquel, faça como eu já fiz uma vez: leva um estilete na bolsa...hehehe
Carrie, se vc casar com o Santoro não esquece de me convidar pra festa, tá?
Bjs

senhoritarosa disse...

Pffft... passando mal de rir aqui!

Carrie, a Estranha disse...

Raquel,

Ah! Agora q eu vi q do jeito q eu escrevi parece q é vc q vai de kombi com ele. Mas eu tinha entendido q era ela.

Miss F,

Mas é claro! Patópolis e Gotham City toda serão convidadas! Toda a liga da Justiça estará presente!

Senhorita Rosa,

Pimenta no dos outros é refresco, fia.

Bjs

Milema disse...

Em geral, gosto de rudo q vc escreve. Mas qdo vc esta nessa fase meio adolescente eu me divirto muito. Bjinhos. Milema

Andrea disse...

Tô aberta a propostas apesar de , como a Rivinha, eu não ser gay...rsrsrs

Mas Rodrigão tá livre , néam? Vai saber...rsrsrs

Porra...esse "como a Rivinha" não ficou legal...

Carrie, a Estranha disse...

Hahahaha....achei q vc não fosse vir ver a homenagem a vc, Andrea!

Bjs

kellybounce disse...

Carrie,
Tô adorando o seu blog... Nunca comento nada (tenho um blog desde 2005, mas só agora tô descobrindo como funciona esse negócio) e esse é o segundo blog onde eu deixo um comentário(mas esse post eu não podia deixar passar).
Não conheço o Rodrigo Santoro, não estudei com ele, não conversei com ele (pelo menos nada além de papo furado), mas saí pra comer pastel com ele e um amigo "X" que era amigo dele na época das primeiras novelas e de uma peça de teatro infantil que eu nem lembro mais qual era (eu sei que ele era o príncipe), serve? Ah! E depois fugi de uma manada descontrolada de mulheres que reconheceram ele antes que eu pudesse terminar o meu segundo pastel (tinha planos de comer pelo menos 5)...

bjs