terça-feira, março 18, 2008

Trauma de infância

Eu sempre tive dificuldades em namorar. Acredito que namorar seja prática. Um aprendizado que você deve começar bem cedo e, de preferência, com alguém que não goste, que é pra praticar sem medo de errar. Desde muito cedo eu nunca consegui namorar os caras que eu gostava. Se um dia eu tiver uma filha esse será meu primeiro conselho: namore desde cedo e transe pela primeira vez de preferência com alguém que você não goste. Um cara legalzinho, mas que você não goste.

Na sexta série eu gostava de um menino chamado Itamar (Marcele, sua irmã conhece essa história). Quer dizer, só depois eu vi que eu gostava dele. Na época eu não sabia. Daí, em uma excursão pra Petrópolis ou São Paulo ou sei lá onde, Itamar me deu um beijo. No ônibus. Não, não foi o primeiro. E me pediu em namoro. E eu tive um nervoso e uma vontade de sair correndo que eu não sei explicar. Tipo: eu não ia namorar um menino que chamava Itamar, né? E, ainda por cima, não era o modelo clássico de beleza (diga-se de passagem nem eu). Pra piorar a situação: depois do ocorrido eu descobri que uma amiga minha era afim dele. E, adolescentes lesadas que éramos, vai eu, depois de dar um fora no moleque, tentar fazê-lo ficar com essa minha amiga. Claro que ele me odiou o resto do período escolar. Mas o Itamar foi o acontecimento fundador traumático na minha vida emocional. E, de certa forma, ele se repetiu em muitos outros (na verdade já tinha acontecido antes com o menino em quem eu dei meu primeiro beijo e que era lindo e quis ficar comigo nos dias seguintes e eu simplesmente não consegui, mesmo tendo gostado).

Eu achava que namorar era uma coisa muito séria. Porque eu era uma criança/adolescente muito séria. Eu não achava certo namorar alguém sem estar absolutamente apaixonada (talvez isso esclareça alguns pontos para algumas pessoas que lêem este blog). Não bastava o cara ser gente boa, meu amigo e coisa e tal. Eu tinha que ser arrebatada pelo sentimento da paixão. E, quando o sentimento vinha, eu tinha mania de duvidar dele. Logo, nunca consegui manter um relacionamento durante a adolescência e início da fase adulta. E até hoje é muito difícil.

Eu sempre gostei dos meninos feios e engraçados-inteligentes. Eu sempre tive medo de gente bonita. Até hoje. Se eu estou do lado de alguém excessivamente bonito – homem ou mulher – eu não consigo me concentrar direito e fico sempre meio sem graça. Só que eu também sempre tive vergonha dos meninos feios e engraçados-inteligentes. E era nesse sentimento de atração e repulsa que meu afeto era formado.

O tempo passou. Aí quando eu comecei a querer namorar os caras feios e engraçados-inteligentes as coisas ficaram muito difíceis. Porque eu não sabia namorar. É sério. Eu não sabia como acontecia. Eu só sabia ficar. Ou ser apaixonada durante anos por caras que iam e vinham.

Depois de muito tempo eu finalmente me rendi a essa arte do namoro. Mas só porque meu então namorado insistiu muito. Não se trata de cu doce. Trata-se do fato de que eu acho que eu já sou mulher. Menstruo. Period. Menstruo, logo sofro. Não tem o menor cabimento ainda ficar me esforçando pra namorar alguém. Cortejando, chamando pra sair. Os homens é que se esforcem. A vida já é muito dura para nós, mulheres. Homens são geneticamente adaptados para tomar tocos. Não que eu nunca tenha corrido atrás. Já corri muito, já me humilhei de todas as formas possíveis e imagináveis; já fui sutil, clara, direta, indireta....Chega.

Isso me faz crer que eu nunca mais na vida vou namorar ninguém. Sim, há os eventuais e esporádicos, quando a situação vai ficando crítica (como diria um amigo meu, o famoso P.A.: pau amigo). Mas se depender de mim pra voltar a namorar...acho que morro encalhada. Por mais que eu tenha amadurecido, melhorado, as coisas pra mim ainda são muito preto e branco. Ou é isso ou não é. Ou gosta ou não gosta. Nesse sentido, não tenho paciência pra deixar as coisas acontecerem – e quando eu deixo elas dão errado, me fazendo crer que eu deveria ter parado no primeiro momento em que eu senti que não era a coisa certa.

Me impressiona muito que certas pessoas emendem um namoro no outro. Eu tenha inveja desse tipo de gente. Eu queria ser um pouquinho assim. Eu acho uma capacidade – de sei lá o quê – que eu não consigo sequer imaginar comigo.

Eu perdi o bonde do namoro. Ele passou, eu achei que dava pra ir à pé. Quando quis pegar, tava cheio.

Ai, ai...dureza a vida.



10 comentários:

Tati Tatuada disse...

Minha avó dizia que namorado é que nem biscoito, vai um, vem oito.
Então Carrie, continua na estação que já já, chega outro.
Beijo.

pensitivo disse...

Sugiro que encontre com o Itamar novamente para resolver seu problema, hehehe...

Texto divertido. Parabéns "Carrie, a estranha"!

Grande abraço.

Kelly Christynna disse...

nossa. eu to sempre namorando. na verdade nem nunca parei para pensar, nem nunca parei de namorar. tô no terceiro casamento e emendaria mais alguns. namorados, nem sei. taí, acho que é jeito mesmo.
nunca fiquei sem, então não sei ficar sem namorado ;))

bel seslaf disse...

Você não está sozinha, Carrie. Resumo da história: moro com meu meu há mais de oito anos, mas nunca fomos namorados. Nossa história é uma história estranha de contar.

Camille disse...

Bem... eu tb não acho certo (nem é "certo". é "legal", mesmo. acho que não vale a pena, não me basta) namorar sem estar absolutamente apaixonada. Coisa morna, mais ou menos, pra encher buraco, não dá. A diferença é que eu não duvido dele quando ele vem. Eu me jogo, com tudo. E isso me valeu um namoro de 10 anos, que durou dos meus 19 aos 29, quase. Já deu. Agora eu quero aprender a ficar, coisa que não sei. ;o)

WADT disse...

Carrie, engraçado, minha avó falava exatamente ao contrário, segure seu namorado, pois homem bom está díficil - já na época dela tb era. Pra vc ter ideia, ela era noiva de um rapaz que falavam muito boêmio, morreu de pneumonia. Veu avô que tava de olho nela, quando soube da morte do rapaz, que era primo dele, logo tomou o trem, e foi cortejá-la. Ela que não era boba, comecou a namorar em seguida, e pouco tempo depois, casou. Seu casamento foi um dos mais sólidos e amorosos que já vi, inclusive quando ja eram bem idosos - teve alguns senões, mas qual não tem?
Vi muitos namoros emendados, mas na verdade, não são namoros, são como meus filhos falam, "ficar". Vi muita gente "ficar" com homens casados, homens drogados, e todo tipo de homem, só pra ter companhia masculina. Meu melhor amigo, que é gay e é meu confidente, fala que como nós mulheres somos multifuncionais, e homem de verdade tá cada vez mais raro, aguarre um bom e segure. Porque senão se vc esperar o bonde muito tempo,a frequencia cada vez é de pior qualidade.

Mama & Papa disse...

Carrie querida do coracao: xii, esse assunto da um pano para a manga tremendo...acho que ate minha opiniao nao vale, desde que estou casada HA TANTO TEMPO. Nunca fiquei com outra pessoa, a nao ser o papa...sai, de noiva, da casa do meu pai, para casa do meu marido...essa foi a minha escolha. Claro que foi facil, desde que o amava, alias o amo ainda mais hoje, todos os dias mais um pouquinho...tenho amigas daquela epoca que saiam com todo mundo que aparecia...e estao solteiras ate hoje...enfim, acho que eh destino. Minha cunhada mais velha, por ex. eh lindissima... ficou solteira...a outra, simpatica, so arranjou um meia-boca de marido, no fim da vida... e assim eh... concordo com alguem que ja falou ai em cima, nada vale dizer que se eh casada, se o parceiro eh uma porcaria...eu tive muita, muita sorte... o papa eh um homem de fibra, bom caracter, um exemplo de dignidade e eu o respeito muito e o amo demais...ele eh doce comigo como meu pai era.... e me sinto amparada por ele em qualquer circunstancia... eh um pai maravilhoso... um homem de verdade... algumas pessoas nasceram para o outro lado da vida: talvez ensinar, ser boa filha, ser muito inteligente e bondosa (e posso dizer engracada, posso?) como voce.... adoro sua companhia e acredito que todos tb. Aproveite sua vida... nao se vulgarize como tantas mulheres fazem somente para dizer que tem companhia. Sua alma eh completa. So divida sua vida com alguem que valha a pena, pq AI sim vc sai ganhando e acrescida de alegrias...
Agora, quer saber mesmo como eu acho q as coisas funcionam? desencane... qdo vc menos esperar, o principe aparece... imagine um rapaz do jeito que vc gostaria q seu principe fosse, sendo gentil com vc, com um caracter espetacular... e ... ele aparece...muitos beijos, seja positiva e feliz todos os dias...Hetie

Bárbara disse...

ai, carrie, eu tb perdi esse bonde e, bem lá no fundo, tb invejo quem emenda um namoro no outro. às vezes me acho muito careta por isso. às vezes acho q não dá para lutar tanto com a minha natureza. enfim... gostei muito desse texto. bjs

raquel disse...

mais uma que perdeu o bonde!
Eu acho que teve alguma aula que eu perdi, na escola, ou na faculdade, tipo namoro2, algo assim.
mas eu cheguei a conclusão de que eu não sirvo pra namorar. Não sou "material" pra namoro. Ou não sou chata o bastante pra namorar (porque o homem geralmente namora a chata que insiste bastante), e eu me afasto ao menor sinal de desinteresse deles.
Mas me conformei em não namorar. toparia sexo casual. só que não aparece. então, acho que não sirvo mesmo pra nada, hehehehe. fazer o que?
bjo

Taísa disse...

Oláaaa !!!
Mais um post q eu posso assinar embaixo !! hehehe !! Adorei !!

Comigo acontece a mesmísssiimmaa coisa... :(

Mas não vamos desanimar... há de existir alguém pra gente ! ;)

Bjoss !