segunda-feira, fevereiro 19, 2007


Estou em casa, no Rio. Acabo de ver a Mangueira entrar (sem trocadilhos. Infelizmente) pela TV. Gostei. Muito simpático convidarem a Preta Gil pra madrinha de bateria. Muito simpático fazerem enredo sobre a língua portuguesa. Achei tudo muito legal e simpático.

Mas só de ver já me dá um cansaaaço! Dona Henriquetta se espreguiça dentro de mim!

Estou trabalhando. Na tese, craro. Num trabalho, especificamente. Alguém precisa trabalhar neste país, né?

Tipo assim, não é que eu não goste de Carnaval. Mas eu gostava mais quando eu ficava completamente embriagada os quatro dias – não raro fazendo uso de substâncias entorpecentes de natureza inalante e procedência assaz duvidosa – e depois me recuperava pelos 40 dias seguintes da Quaresma, como boa católica que sou (ou fui). O entorpecimento me privava de atestar a realidade: não gosto de samba, sou ruim da cabeça e doente do pé. Mentira (a parte do “doente do pé”, porque ruim da cabeça...). Até que eu sambo direitinho (aprendi com minha amiga Fló). Também não tenho mais saco de beijar 5 numa noite sem nem saber o nome da criatura. Bom, e precisa ser assim? Você deve estar pensando, caro(a) leitor(a)? Precisar, precisar...não. Mas...meio termo não é muito a especialidade da casa.

Hoje não tenho mais fígado pra isso. Bebo um dia e quero morrer nos três subseqüentes.

Enfim. Whatever. Só tô dizendo isso pra justificar o porquê de eu estar trabalhando um domingo à noite de Carnaval. Sei lá, é que sempre fico meio assim, assado. Me sentindo como eu me sinto na Copa: uma estranha no ninho, habitante de outro país que caiu de pára-quedas nessa terra de mulata, futebol e samba.


*

Assisti ao ótimo “A Rainha” ontem. Filme que está concorrendo em não me lembro quais categorias ao Oscar. Atuações realmente impecáveis. O cara que faz o Tony Blair e a própria Rainha dão um show. Cenas de Lady Di. Além do mais, fui com a maior especialista em Família Real e cerimoniais que eu conheço: mamãe.

Muito doida essa parada de monarquia no mundo de hoje. Muito doida. Mas até que eu fiquei com uma certa simpatia da Elizabeth. Só não conseguia conter o riso cada vez que o marido dela (que não é Rei, outra coisa que eu descobri), entrava de saia escocesa.


*

Meu irmão quer me apresentar uma figura. Amigo dele. As credenciais são as melhores possíveis. Levemente gordinho, levemente careca e parecido com outro amigo dele completamente mala. Mas ele jura que o cara é gente boa e tem tudo a ver comigo.

É bom saber a consideração que o próprio irmão da gente tem em relação a nossa pessoa.


*

Aí eu me pesei né, meu povo? Até que o negócio não está tão ruim. Estou com o mesmo peso de novembro. Ou seja, continuo com 6 quilos a menos do que eu tava quando fui freqüentar a Igreja Adventista dos Vigilantes do Peso. Engordei 2 quilos no Natal/Reveillon, mas emagreci em janeiro. Em março eu volto a freqüentar os cultos, mas até lá já estou caminhando, controlando a comida e bla bla bla.

Parei de beber por um tempo também, o que sempre ajuda. Tô praticamente um membro do AA. Já reconheci que não tenho poder sobre várias coisas na minha vida.

Comecei a meditar. Não é que o negócio é bom?

Estou preocupadíssima com meu joelho. Ele anda fazendo sons incríveis – além da dorzinha básica. E o outro resolveu doer, também. Engraçado que esse que dói mais é na perna cujo pé eu piso torto (com a borda levemente pra dentro). Será que tem alguma relação?

Quando for ao ortopedista queixar do meu pescoço já tenho mais uma coisa na lista: o joelho. Temo que o inevitável se apresente diante dos meus olhos como única perspectiva de cura: a musculação. Mas não pensemos nisso por hora.

De qualquer forma falei que esse seria o ano do pescoço e será. E também o do joelho. Não tem condição uma pessoa de 30 anos, saudável, ficar sentindo dor nos ossos. Há limites.

Ah, só um adendo: gostaria de deixar claro que eu não sou o Corcunda de Notre Dame. Só ando muito preocupada com a minha velhice. Dona Henriqueta sempre me diz que é melhor prevenir que remediar.

9 comentários:

Bella disse...

ai to querendo mto ver "A rainha", mas aqui em Niterói City tá difícil de se conseguir ir ao cinema... todo mundo q viu falou q é mto bom e tal e agora fiquei super curiosa.
eu tb não sou mto "carnavalesca", se é q vc me entende, e faço esses programinhas light pra aproveitar o feriado.
bjs

Carrie, a Estranha disse...

Ih, mais uma moradora de Nikity!

Bjs

Jussara disse...

Oi Carrie.

Provavelmente vc tem a pisada pronada, que é pra dentro. Seu pé é chato??? musculação é mais pra fortalecer músculos e ossos, mas antes vc vai ter que corrigir a postura/e ou coluna ou o que quer que esteja te causando a dor no pescoço;mas musculação é bom pra nós que já passamos dos 25... que é qdo a lei da gravidade começa a atuar com força e com raiva.

Que legal que vc está fazendo meditação...

Eu sou mais estranha que vc, NUNCA gostei de carnaval...tb não gosto de samba nem de futebol...

Fiquei interessada em ver esse filme da rainha...mas acho que vou deixar pra pegar qdo sair em dvd.

Anônimo disse...

Fiquei curiosa sobre a historia do marido da rainha...
Bjo
Pri Ms

Carrie, a Estranha disse...

Jussara,

Isso, isso, isso! Meu pé é chato. Chatésimo.

Pri,

O marido da rainha não é Rei pq ele não é da linhagem direta. Ela é q é - uma linhagem de 1.000 anos. Ele tb é nobre, mas tem um título tipo "príncipe-consorte", ou alguma-coisa-consorte. Q seria o mesmo caso da Lady Di se ela continuasse casada com o Charles e ele assumisse algum dia o trono. Ele é o Rei, mas nem por isso ela ia ser a Rainha. SAcou?

Bjs

anna v. disse...

Teu irmão quer te apresentar ao George Costanza, né?

Carrie, a Estranha disse...

Hahahahaha!!! Acho q sim, Anna!

Milema disse...

Vc escreveu no depoimento que fez pra mim no orkut q eu sempre rio de vc. Mas vc nao tem idéia do qto vc é divertida. A dor do seu joelho está sim diretamente relacionada com seu pé (cadeia muscular) e pode ser até umas das caudas do seu encurtamento no "pescoço". RPG é a soluçoa para os seus problemas.
Eu ainda nao vi a "rainha" mas agora estou ainda com + vontade de ver. Vi semana passada "diamantes de sangue" com Léo DiCaprio. Mto bom. Bjinhos. Estou com saudades

Carrie, a Estranha disse...

Jesus, Milema! Retiro o q disse: sou praticamente o Corcunda de Notre Dame, sim! Como assim, cadeia muscular? Pisada pronada e pescoço? Caramba! Uma grande teoria da conspiração!