quarta-feira, agosto 05, 2009

Gabriel Buchmann

Muito triste isso. Das coisas mais tristes que já vi. Sei lá, talvez porque o cara fosse fazer doutorado...talvez eu tenha me identificado. Embora não tenha um quinto da sua coragem e nem espírito altruísta de estudar a pobreza. Talvez exatamente por isso. Talvez por pensar que poderia ser eu, caso eu fosse um ser humano melhor. Poderia ter sido eu na minha bolsa sanduíche.
Que a família fique em paz e que o exemplo brilhante de vida de Gabriel os conforte de alguma maneira - mesmo sabendo o quão doloroso deve ser perder um filho/irmão/namorado/primo/amigo deste jeito. Ou de qualquer outro jeito.
Deus só quer os bons, como diria minha diarista. Por isso é que só sobra nóis aqui. Os ruim.

5 comentários:

Stella disse...

Olha, tenho que concordar com a sua diarista. Parece que sempre que alguém vai ajudar esse mundo a ser um lugar melhor, acontece alguma desgraça. :/

Deve ser uma perda terrível pra família, mas é também pro mundo. Quem sabe o que ele podia ter mudado, não é mesmo? :/

Beijos

ila fox disse...

É por isso que continuarei sendo ruim, muito ruim... muá-rá-rá! :-P

Luís Miscow disse...

Estudou comigo. De fato, era tão a favor da distribuição de renda que vivia filando cigarro e bebida =)

Nunca serve de consolo, mas pelo menos morreu fazendo uma coisa que ele amava.

ila fox disse...

Cara, admiro gente que te coragem de desbravar o mundo assim, ainda mais por uma causa tão nobre.

Não é por não me importar, mas eu não curtiria isso não, sou muito dada aos prazeres do conforto, limpeza e boa comida.

Uma taurina autentica falando. ;-)

Carrie, a Estranha disse...

Stella,

É...quem sabe?

Luís,

Puxa. No colégio? Todo mundo conhece alguém que conhecia ele.

Ila,

É, tem q ter muito espírito de desprendimento.