segunda-feira, agosto 24, 2009

Direto do túnel do tempo...

Retirado do meu diário de papel (aproveitem, não é sempre que eu posso botar as páginas do meu diário de papel aqui) há exato um ano atrás:

NY, 24/08/2008.
Domingo – 13º dia.

Muita correria e cansaço esses últimos dias. Na 5ª finalmente eu consegui tirar minha carteirinha da NYU. Entrei na biblioteca e fiquei sem saber o que fazer. Tanta coisa a pesquisar que eu fiquei totalmente perdida. Só brinquei um pouco. Na verdade fiquei bastante sem graça. Sei lá porque. Ou melhor: porque acho que meu inglês tá ruim. Não entendo as coisas direito. Sei lá. Bobeira minha.

Ia ao Zôo com a Vanor e o Ken, mas achei meio caro.

Tive um repentino sono no meio da tarde e dormi.

Sexta: estátua da liberdade c/ Vanor e Ken e museu do imigrante. Muito legal, em especial esse último.

No sábado meu computador pegou um vírus mortal. A sorte é que o Ken, namorado da Vanessa, arrumou pra mim. Mas gastei o dia todo lá. À noite encontrei a Natália, leitora, física e fofa e o marido. Eles me convidaram pra jantar. Depois fomos a um bar de vodka e encontramos Vanor e Cia.

Hoje: tentativa frustrada de ir à Abssynian Church. Tinha que reservar pela internet. Depois: festival Turco no Central Park. Meu amigo Adriano convidou.


Eu tenho diários porque eles me ajudam a ver a vida sob perspectiva - ou, como diria Oscar Wilde, porque eu gosto de ter sempre uma leitura excitante em mãos. Um dia tá tudo uma merda, no outro tudo pode mudar. Quem garante onde estarei daqui a um ano? Vocês, meus fiéis leitores que me acompanham sempre, poderão comprovar. Onde estarei? Aqui mesmo, no Rio, em NY, Londres, Tóquio????!!!!!! Who knows???

5 comentários:

ila fox disse...

Eu tenho um diário desde 94. Antes ele era de papel, mas a uns 5 anos passei a escrever no word. Com senha e tudo.

Gosto de abrir o Diário e ler o que estava acontecendo a um ano atrás.
É incrível como a vida pode mudar em um ano.

A um ano por exemplo eu estava solteira, desempregada a 6 meses, na iminência de voltar a morar com meus pais no interior, sem um puto no bolso.

Um ano depois estou casada, mudei para BH, já fiz minha primeira viagem pro exterior, trabalhando em casa como freelancer, e se Deus quiser ganhando mais que num emprego das 8 às 18.

Não quero nem pensar o que pode mudar ou não mudar daqui um ano!

ila fox disse...

Ah, outra coisa que as vezes me faz pirar nas idéias é:

Logo que começa o ano, e eu crio uma pasta nova para por as fotografias que ainda vou tirar. Eu fico pensando se por alguns segundos eu pudesse ver todas as fotos que seriam tiradas naquele ano. Já pensou??

"Olha, uma casa nova, será que é minha?"
"Esta festa tem cara que vai ser legal"
"Até que fiquei bem com este cabelo"
"Meodeoools, o que esta barriga de grávida tá fazendo em miiim??"

Carrie, a Estranha disse...

Ila,

Que legal essa sua ideia...bem bacana.

Bracho disse...

Eu tinha diários na adolescencia..na verdade..agenda, onde eu anotava as coisas mais significativas na época...ainda tenho guardadas com o maior carinho e todo começo de ano pego pra reler...nossa...é uma viagem no tempo..deliciosa!Rio..choro..é muito bom...Hoje tento fazer isso de novo com o blog, mas o fato de vários amigos saberem da existência dele, me inibe...

Carrie, a Estranha disse...

Bracho,

Por isso eu ainda mantenho os de papel. Lá eu realmente posso falar de tudo.

Bjs