domingo, julho 12, 2009

Trevas

Mamãe anda impossível no orkut. Vasculha tudo, acha todo mundo. Quero fazer um orkut pra ela, mas ela, espertinha que é, diz: “pra quê, se eu já entro e vejo tudo?”. Realmente...

Mas gente...por mais que eu viva mil anos eu não vou nunca deixar de me surpreender com o orkut. Quer dizer, na verdade é com as pessoas que eu me surpreendo, porque o orkut apenas deixa visível a escrotidão humana. Não culpemos as novas tecnologias.

Como diria Roberta Carvalho, a gente se cerca de pessoas legais e esquece que o mundo é povoado por bestas apocalípticas – a parte das bestas apocalípticas é minha mesmo. De vez em quando eu me forço a entrar no orkut de pessoas que eu nem conheço ou conheço pouco só pra ver o quão bizarro o ser humano pode ser e o quanto eu sou legal. Pois é só com a comparação frente ao bizarro é que nos deparamos com a nossa pureza e beleza interior. Cara...tem gente que se eu não visse com os meus próprios olhos eu não acreditaria que existe.

Aí eu fecho tudo e penso: “ainda bem que eu sou eu”. Já pensou se eu não fosse eu? Ufa. Que alívio.

* * *

Sábado: chuva, cerveja, Doritos, eu, Fló e Baru vendo o especial do Roberto Carlos e discutindo estratégias para dominar o mundo.
Chegamos a algumas decisões.

* * *

Não adianta nem tentar...me eeeesquecer...

* * *

Ai gente, eu tô tão feliz de ser eu. Pensem bem: as chances de eu ser eu eram mínimas. Eu podia ser milhares de outras pessoas. Mas não. Eu fui ser justamente eu. Que alívio. Eu não me aguentaria sendo outra.

* * *

Porque tem gente que mesmo você vendo ao vivo e a cores você não acredita, né? Você pensa: não pode ser. Isso só existe em filme ruim.

* * *


E eu tenho sempre milhares de idéias para artigos e TCCs vendo o orkut. A minha ultima teoria é que o orkut está impondo uma nova estética da imagem nas fotos. Já notaram como as pessoas andam tirando fotos iguais depois do orkut? Tipo, todo mundo agora deu pra tirar foto de ladinho. Meio abaixadinha. De cima pra baixo. Com a perninha levantada. Autofotos (quando a pessoa tira dela mesma). Tudoaomesmotempoagora: de ladinho, meio abaixadinha, de cima pra baixo, com a perninha levantada e autofotos. E carão. O carão é essencial. E quanto menor a idade, mais exacerbadas estarão essas características. Claro. A nova geração já nasce imersa nesse novo regime imagético.

Esse é o tipo de papo bom pra enrolar aluno.

E o dialeto criado? Tem horas que você não sabe se é miguxês ou analfabetismo, mesmo.

Daí eu entro nas minhas comunidades e fico rindo de mim mesma, imaginando que ninguém, fora eu, deve entender. Porque há momentos em que a única coisa que resta é o sarcasmo e a ironia concisa e hermética. Nem que seja pra você mesmo – aliás, adoro fazer piadas pra mim mesma. Autopiadas. Escrevo bilhetes com autopiadas pra mim mesma. Deixo piadas nos meus textos - depois empresto pros alunos e aí tenho que sair conferindo se não foi nenhuma impropriedade. Deixo bonecos em posições estranhas só pra eu rir de mim mesma em outro momento. E eu rio. Várias vezes da mesma piada feita por mim mesma. Aí eu penso: ai, eu sou tão engraçada. Me divirto tanto comigo mesma.

Ainda bem que eu sou eu.

5 comentários:

JH disse...

fala, Carrie!
continuas bem afiada nos textos, hein?
sobre o orkut...tenho essa mesma sensação. engraçado que eu tinha acabado de ler um texto que, de certa forma, fala dessa questão da imbecilidade reinante.
segue o link:
http://osinimigosdorei.blogspot.com/2009/07/oligofrenicos-sao-maioria.html#links
valeu!

Carrie, a Estranha disse...

Jota Agá! Qto tempo! Quem é vivo sempre aparece! Sim, com certeza...

ila fox disse...

Carrie, vai chegar um dia que as pessoas vão torcer para ter seus 15 minutos de anonimato, isso sim... ;-)

Dimy disse...

Sim, continuo dizendo, você É impagável!!!E é profundo hein?Já pensou se eu não fosse eu??/aaahgghhheu seria quem afinal???hehehe que bom que vc é vc, porque assim eu posso ser eu sem medo, assim, vc sendo vc é sinal que tudo está às mil maravilhas, tudo no seu devido lugar e afff, eu sou eu!!!por um momento pensei...que eu não era eu e sim uma daquelas terríveis criaturas que poderiam ter vindo em Meu lugar!!!!!!!

Stella disse...

Olha, acho que essa de miguxês surgiu pra disfarçar o analfabetismo mesmo, sabia? :P
Tem dias que eu gosto de ser eu, mas não o tempo todo. Sei lá. Mas isso também não significa que eu queria ser outra pessoa. Só às vezes. rs

Beijos!