quinta-feira, maio 21, 2009


Por mais que o tempo passe, o tempo voe, tudo mude, a gente de acostume, eu realmente ainda me espanto com algumas coisas. Por exemplo, a Sandra Anemberg. Eu entendo que o jornal da uma deve ser descontraído, para um público amplo, de donas de casa, a crianças recém saídas da escola, mas nada justifica o comportamento daquela jovem senhora. Nada.

Nem vou entrar numas de objetividade, neutralidade, porque nunca acreditei nisso, nem quando eu fazia faculdade de jornalismo (aliás, principalmente naquela época). Mas...sério caras, é constrangedor. As piadinhas, as caras. O semblante agora-vamos-falar-sério quando a notícia é um pouco mais pesada. Ela leva tudo muito a sério. É! Acho que esse é o maior problema dela: ela leva a descontração a sério. Ela quer ser a mais descontraída ever. U-hu!. Pura descontração.

E o Evaristo...eu tenho pena do Evaristo. Sério. Acho que vou criar uma comunidade no orkut “eu tenho pena do Evaristo” – que estará relacionada àquela “Capitão Nascimento”, cuja foto é o Carlos Nascimento com a boinazinha do Bope. Porque o Nascimento ainda impunha respeito. Era um contraste. Era hilário quando ele, cutucado pela Sandra, soltava frases do tipo “é, eu surfo”, mas o Evaristo fica apenas sem graça. Ele tenta, mas...convenhamos, ninguém, fora a Sandra Anemberg, acha graça nas piadinhas dela. Aí dá uma pena, gente. Eu morro de vergonha por ele. Sério.

A única pessoa que eu conheço que gosta da Sandra Anemberg é o meu primo Juninho. Meu primo Juninho diz que a Sandra Anemberg bota emoção nas coisas, se envolve com as notícias. Mas o meu primo Juninho, como todo mundo sabe, é doido. Mas, com certeza, assim como ele, outras pessoas devem gostar da Sandra. Claro.

Mas o jornalista que eu mais gosto, que eu mais me divirto é o William Waack, do Jornal da Noite. Aquelas olheiras monstruosas que insistem em aparecer mesmo com quilos de corretivo e base, aquele semblante mórbido e obscuro; aquela cara cinza, contrastando com o cabelo branco, de poucos amigos, de locutor do canal da família Adams é simplesmente perfeita. Aquela cara de o-que-eu-estou-fazendo-aqui e por-que-não-tô-em-casa-de-pijama-de-zebrinha-tomando-leite-com-biscoitos...muito bom. A notícia mais alegre do mundo, e quando corta pra ele, eis que, depois de muito esforço, ele faz que nem a Wednesday quando tenta sorrir e levanta levemente o lábio superior. Na maioria das vezes quando volta pra ele tá aquela cara de enterro, de podia-ser-pior ou eu-poderia-estar-roubando-poderia-estar-matando-mas-estou-aqui-humildemente-fazendo-o-meu-trabalho.

2 comentários:

Amana disse...

Só tem uma coisa pior que a Sandra: as matérias água-com-açúcar do Edney Silvestre. Eu vejo e me pergunto, "por que, Senhor???". Ele vai ao fundo do poço. E leva o entrevistado junto. E quando corta pra Sandra, ela emenda: "muito bonito isso!", com os olhos cheios de cristal japonês.
Passo mal.

Tai disse...

Menina, e eu que achei que era a única a não aguentar a Sandra Annemberg. Cria a comunidade com pena do Evaristo que eu entro, é só avisar. Concordei em gênero, número e grau. Beijocas!

PS: Como não tô no Devassa, tô esperando notícias da defesa da tese, hein?