quinta-feira, junho 26, 2008




Mulheres: há 500 anos - ou melhor: desde que o mundo é mundo? - achando que o golpe da barriga funciona. E funciona!, me dirá o leitor ali da esquerda, lembrando de Luciana Gimenez e tantas outras que vivem de pensão paternidade. Well, se você não se incomoda com prostituição de luxo...mas achar que prende um homem no sentido de carinho, amor e atenção...aí já são outros quinhentos.

Não, não se trata de golpe da barriga o que a Ana Bolena fez, mas...sei lá. Me veio essa associação – pois se ela tivesse dado um varão ao rei quem sabe não teria perdido a cabeça - literalmente.

Mas querem saber? Bem feito. Quem mandou sacanear a irmã? Bom, sei que essa versão do filme é uma das muitas sobre a história. E bem maniqueísta. E eu não conheço nada sobre o período, mas...dito isso, bem feito.

Cara, devia ser o bicho ser rei na Idade Média. “Quero o divórcio. Ih, mas ainda não inventaram! Foda-se, eu crio outra Igreja!”. “Quero aquele país ali. Vamo lá, galera. Invade!”. “Quero aquela mulher. Vou instituir uma lei pra toda noite de núpcias a mulher ser minha antes do marido”. “Não fui com a sua cara. Vou queimar sua casa”. “Você é feio. Morra”.

Bons tempos...

Aí veio essa merda de Igualité, Fraternité, Liberté...tsc tsc tsc...


2 comentários:

Natucha disse...

"não teria perdido a cabeça - literalmente." Ei, essa parte da história está muito vaga na minha cabeça, mas n precisava contar o filme né, chatona, aqui em Sampa ainda n está passando nos principais cinemas, só em alguns alternativos e longes....hummm, fiquei brava! Bjos,

Carrie, a Estranha disse...

Oi, Natucha!

Ah, desculpa! Mas isso é o básico da história da Ana Bolena! Se vc não lembra disso, não lembra de nada. Achei q todo mundo se lembrasse.

Bjs