quarta-feira, janeiro 02, 2008

Segundo dia de dieta (e tudo está bem)


Acabou a desculpa, galera. Até ontem ainda dava pra enganar. Hoje acabou a brincadeira (apesar que, pra mim, acabou desde ontem). Dieta.

Nada mais clichê do que começar dieta no dia 1o.

Mas, algum dia, tem que se começar, não é verdade? Ainda mais para quem, como eu, está há 20 quilos de uma faixa de peso ideal e pelo menos 10 do aceitável – e, não, não estou falando em termos bundcheanos, mas em termos médicos.

Quem acompanha este blog sabe que essa é uma luta minha há tempos. Desde que saí da adolescência que oscilo de peso. Me achava gorda quando ainda não era de fato. Até que realmente fiquei acima do peso. Além disso, não são só os quilinhos a mais. É a compulsão alimentar, da qual eu já falei tanto aqui. É o fato de não levar os exercícios a sério, com regularidade.

Dieta vem do grego “díaita” que significa gênero de vida, estilo. Por isso, qualquer dieta, para dar certo, tem que se adaptar ao seu gênero de vida. A tal ponto que você se esqueça de que está de dieta. Pense assim: se a sua dieta pode ser assim pro resto da vida, então é uma boa dieta. Se é uma dieta que você não pode manter por mais de uma semana, ta errada. Mas, se você tem hábitos completamente caóticos de alimentação, a adaptação será um pouco mais difícil e demandará um maior esforço. Se você só conhece a ponta do excesso, como achar o caminho do meio? Indo ao outro extremo? O grande problema em fazer dieta está nessa adaptação.

Em geral, há dois tipos de comportamento. A pessoa fica completamente radical e não come um grama a mais ou a pessoa entra numa de “equilíbrio” e acaba comendo mais do que deve – com isso se frustra porque o emagrecimento passa a ser uma sanfona de dois quilos a mais, dois a menos e nunca sair do lugar.


Além disso, o maior problema do gordo – lembrando que “gordo” é que nem alcoólatra; precisa manter a atenção pelo resto da vida, com a diferença de que o gordo precisa conviver diariamente com a sua droga – é a questão emocional. Magros – ou almas magras – são pessoas que, diante de problemas ou alegrias perdem a fome. Gordos são pessoas que comem por toda e qualquer razão. Quanto a isso, recomendo ajuda profissional.

Sem contar as pessoas ao seu redor. Na minha época de Vigilantes do peso as pessoas falavam muito sobre isso nas reuniões. Como toda mudança implica em reações em que está a sua volta - e as mais diversas, entre as pessoas que mais te amam. Não necessariamente por mal. Mas porque “outra pessoa emerge” dessa mudança e nem sempre os seus amigos, parentes, sabem como lidar. Será que você é a mesma?

É muito comum, por exemplo, maridos que têm ciúmes de esposas que começam a fazer dieta. Porque a mulher fica bonita e passa a ser paquerada. Ouvi pilhas de depoimentos de pessoas que dizem isso (sim, Vigilantes é que nem AA, tem depoimento...aliás, é muito engraçado. Recomendo). Tem aquela amiga magra e linda que sempre deu força pra você fazer dieta que fica enciumada – porque de repente você vai ser concorrência para ela. Tem aquela amiga gordinha que perde a sua companhia de comilanças. Tem a mãe, a irmã, a sogra...Veja bem: estou falando de desejos e sentimentos inconscientes, dos quais muitas vezes a própria pessoa que os têm não se dá conta.

Têm as piadinhas das pessoas do trabalho. “Dieta, mais uma?”. “Opa, essa começa na segunda e termina na sexta, né?”. Ou até os mais cruéis que dizem logo: “vamos ver se dessa vez você consegue” ou “mas pra quê fazer dieta se você vai voltar a engordar?”.

Tem aquela pessoa que te fala: “ah, mas só um choppinho, só um bombonzinho não vão te fazer mal". Tem a outra que, quando te vê tomando um choppinho ou comendo um bombomzinho te diz: “mas e a dieta? Desistiu?”.

Antes eu pensava que o mundo estava contra mim e que comportamentos desse tipo queriam dizer que as pessoas queriam meu mal. Que as pessoas tinham inveja e que estavam sempre me colocando a prova. Depois eu percebi que eu não sou tão importante assim. As pessoas dizem coisas. Por dizer. Sem motivo, muitas vezes. Em outras, podem fazer parte de sentimentos inconscientes como eu descrevi nos parágrafos acima, mas podem ser apenas piadinhas, mesmo. O outro não é obrigado a saber o que se passa no seu cérebro. Ainda mais quando o outro é magro. Às vezes um charuto é só um charuto.

Mas aí você que já está frágil, precisa de um motivo para desistir, pega comportamentos alheios para justificar o seu fracasso. “Ah, meu marido trouxe esse chocolate de presente, eu tive que comer”. “Foi aniversário de Fulano e eu tive que beber”. Não. Você não tem nada. Você quis. É diferente. Assuma a responsabilidade. Se for pra comer um doce, coma porque você quer, você pode comer (só um, comendo menos em outras refeições malhando mais). Não coma porque o doce é mais forte que você ou porque alguém te fez comer. Doces não entram pela sua boca à força – uma vez eu tive um sonho assim: chocolates entravam à força na minha boca e eu dizia “não, não, socorro!”. Acordei até enjoada.

Tem gente que nem gosta muito de falar que está de dieta pra não despertar esse tipo de comentário. Ou pra ser olhado como se, pela milésima vez, estivesse tentando o impossível. Mas todas as histórias de pessoas que emagreceram muito são repletas de fracassos.

Tem gente que dá desculpa dizendo que fazer dieta é caro. Mentira. Eu já fiz as contas. A economia é muito maior pra quem faz dieta do que pra quem come de tudo e muito.

Tem gente que dá desculpa dizendo que come fora e não dá pa fazer dieta. Mentira. No mundo de hoje todo self service tem uma variedade de produtos que se pode comer. Além disso, as boas dietas são aquelas em que você come de tudo um pouquinho. E você pode levar sua comida para o trabalho, faculdade. Um potinho com salada e proteína. Um sanduíche. “Ah, mas dá trabalho”. Dá menos do que ficar gorda. Pode acreditar. Ter que comprar apenas roupas que te servem é um saco. Dá muito trabalho.

Uma técnica que eu uso é fazer as compras e deixar tudo organizado na geladeira. Pode ser sábado ou um dia que você tenha mais tempo. Ai você lava as alfaces e guarda num recipiente de plástico na geladeira. Corte pimentões (os vermelhos e amarelos são deliciosos! Docinhos!) e pepinos e deixe na geladeira. Deu vontade de beliscar? Coma aquilo. Deixe frutas lavadas. Tomatinho cereja (amo!). Clara de ovo cozida. Lata de atum em água (pouqíiiissimo calórico e fonte de ômega 3). Leve coisas na bolsa pra não “precisar” comer qualquer coisa. A boa e velha barrinha de cereal.

E se o seu problema for compulsão, preste atenção em quais alimentos te despertam esse vício. Fique longe dele. Se for chocolate, por exemplo, fique um bom tempo sem comer. Se você é como eu, que não consegue comer só um bombom ou só um pedaço de torta, não dê a primeira dentada. Outra coisa que me tira do sério é castanha, nozes, pistache... Sei que faz bem à saúde, mas não consigo me controlar. Se eu compro um pacotinho não me conformo enquanto não detono-o. E eu sempre acho que “dessa vez eu vou me controlar”. É que nem alcoolismo. Admita que há um poder mais forte do que você, sob o qual você não tem forças. Daqui a um tempo – que só cada um pode dizer quando – você volta a comer esses alimentos moderadamente.

É claro que deslizes acontecem. Não se culpe. Não entre na filosofia do Jaque. Jaque comi um bombom, vou comer dois, três; já que bebi, vou tomar um porre.

Ou seja, as desculpas são muitas para não se fazer o que é preciso fazer. Eu mesma, por exemplo. Eu sei tudo – e quando eu digo tudo, eu digo realmente tudo – sobre dietas, alimentos inteligentes e funcionais, técnicas para acelerar o metabolismo; adoro frutas, legumes e verduras, adoro fazer exercícios. Já freqüentei os Vigilantes desde priscas eras. Peguei o sistema de balança, o de cores, o de Pontos e o atual, de Pontos Flex. Assino Boa Forma. Conheço as dietas de South Beach, do Dr Artkins, da lua, da sopa, da USP...Já fui a médicos. Já tentei homeopatia. Já tomei sibutramina (que é muito bom, não dá efeito colateral, mas só funciona se você se empenhar na dieta e nos exercícios. O que a torna meio desnecessária. Na verdade ela é que nem a fluoxetina e a sertralina: diminuem, no início, a sua compulsão, mas depois você se acostuma). Nunca tomei anfetaminas, pois sei o estrago que elas fazem e o famoso efeito rebote, onde você volta a engordar. Sou praticamente uma nutricionista e endocrinologista amadora. “Então porque você está gorda e sempre reclamando?”. Bom, aí é uma outra questão. Que não cabe discutir aqui. Porque não fazemos coisas que são ótimas para nós mesmos, porque nos boicotamos, são questões a serem refletidas por cada um. E esse é um dos grandes problemas na hora de emagrecer.

Eu resolvi que: ficarei um mês sem beber (não que depois eu vá beber, mas é porque essas metas têm que ser aos poucos) e um mês sem chocolate. Também cortei as frituras. Estou seguindo a dieta dos pontos dos Vigilantes, mas não estou indo nas reuniões, já que eu sei “tudo”, tenho todo o material e estou precisando economizar nos mínimos detalhes (a taxa é de uns 20 reais por semana e fica mais barato conforme o pacote que você compra).

Fuja de dietas do tipo Herbalife, Seven Days, da Luciana Gimenez, da Adriane Galisteu, da Ana Hickmam, Diet Shake (até pode ser tomar um dia ou outro), Dieta do Glúten, da Proteína e também daquelas que pretendem emagrecer tantos quilos em tantos dias. Quanto mais rápido você emagrecer, mais rápido você pode engordar. Pra cada um quilo perdido, um mês de atenção. Se você precisa emagrecer 20 quilos, como eu, pense que tem ter atenção redobrada pelos próximos dois anos. Atenção não significa tensão. “Esqueça” um pouco que está de dieta. Como já disse, tome isso como a sua alimentação pro resto da vida.

Estou colocando aqui do lado os links de blogs de dieta. O que eu mais gosto, sou fã mesmo, é da Larissa. Ela emagreceu 43 quilos, fazendo uma dieta que se resumiu a cortar os excessos e comer de tudo um pouco. Já apareceu até no Fantástico. Passou do manequim 48 pro 38. Tem pessoas que encontraram no blog uma ferramenta bacana de ajuda – eu só não crio um blog sobre isso porque já tenho dois blogs para administrar, então vou falando por aqui mesmo. Tem também os site e blog da Boa Forma.

Na verdade eu escrevo muito mais essas coisas para mim mesma do que para vocês. Mas, como sei que quanto mais pessoais são os nossos problemas, mais eles se parecem com os de outras pessoas eu resolvi falar sobre isso.

Ah! Outra coisa importante é sobre a pesagem. Não entre numa de se pesar todo dia, se não você fica louca. Pese, no máximo, uma vez por semana – mas eu acho que o melhor é de 15 em 15 dias. Ainda mais se você for mulher. As alterações hormonais pelas quais passamos são se arrasar com qualquer auto-estima. Às vezes aumentamos até dois quilos antes de menstruar. Na dúvida, não se pese nesse período. Tire todas as suas medias com uma fita métrica.

E aí, vamos lá?

13 comentários:

Clara Lopez disse...

oi, carrie, post inspirado e inspirador, acredito firmemente que você vai conseguir isso e tudo o mais que for importante pra você, acho que vc tem força pra isso. Eu entendo profundamente o que vc diz, tb sou e sempre fui 'sanfoneira' quanto ao peso, mas hoje tenho outras prioridades, embora esteja fazendo alongamento e vá começar aos pouquinhos a usar a esteira da academia.
um abraço, sucesso e força,
clara lopez

Bella disse...

vamos sim carrie, eu te apóio amiga!!! desde ontem virei vegetariana, te contei? pois é, comecei dia 1o tb! eu passo msm mal qdo como mta carne vermelha e além disso tenho pena dos bichinhos. tava conversando com a roberta naquele dia do chopp e ela deu a maior força! fiquei super motivada. já faz tempo q penso nisso, sabe, mas a força de vontade não era tanta qto agora. espero q eu consiga manter a minha meta, acho q é só uma questão de hábito msm.
dps conversamos melhor, ok?
mil bjs

Carrie, a Estranha disse...

Oi, Clara!

Obrigada pelas palavras de apoio. Amém.

Bella,

Parabéns! A gente deve fazer o q acha que é melhor pra nós. E só nós podemos saber o q é melhor.

Vc parou com tudo ou só carne vermelha e frango? Tem gente que prefere ir parando aos poucos. Se quiser tenho ótimas dicas de receitas com soja. Qualquer dia te convido pra vir almoçar aqui.

O único problema de vegetarianos é começar a engordar, porque a pessoa acaba descontando nos carboidratos e doces. Não descuide de outras fontes de proteína, como queijo, ovo, soja...

E um peixinho, não rola?

Cris disse...

como dizem as amiguinhas bees: força na peruca!

Alvaro disse...

Tou contigo e não abro (a boca, é claro!...), Carrie querida! rsrsrs

E sem essa de que com a dieta acaba a vida social, viu? OK, não dá pra sair pra beber, mas tem muitas outras coisas que se pode fazer e que não envolvem comida, nem álcool!

Beijo grande, do
Alvaro

Nalu disse...

Boa sorte na caminhada e muita força. Eu estou nessa também e como vc praticamente sou nutricionista/endocrinologista amadora...Mas não é fácil. O que não quer dizer que a gente não consegue né? Abraços.

Natucha disse...

Nossa, vc falou comigo, mas começei minha dieta hj, ontem tomei meu ultimo porre, do ano, engordei n de comer, mas de beber cerveja todos os dias e tb por ter ficado desempregada, força pra gente.

Andrea disse...

Pouca gente tem coragem de falar abertamente sobre o vício da compulsão por comida como você. Também sofro desde sempre com o efeito sanfona e sempre que ralaxo sinto uma sombra sobre a minha cabeça: a da fraqueza. Se desligar do mundo é uma boa, amei a dica. Mas topows...não vejo vinte quilos para você perder, fala sério!

Monica disse...

Carrie,

Eu leio seu blog há tempos, mas sempre morri de vergonha de fazer qq comentário... #-)
Tirei esse ano pra tentar mudar algumas coisas e uma delas é o meu problema com a balança... no meu caso eu tenho de fazer uma super reeducação alimentar pois eu como mta besteira e não sou mto adepta dos saudáveis... mas vou tentar!
Bom... todo esse "testemunho" é pra dizer q te desejo mta sorte nessa nova fase... e quem sabe possamos ir trocando msg e nos ajudando?!?!?!?

Bjks!!!

Bella disse...

querida, um peixinho rola sim. eu to justamente nesse esquema de não radicalizar, mas ir aos poucos. qdo eu tento radicalizar, acabo surtando dps de um tempo e coloco td a perder. a princípio, cortei carne vermelha e frango e o peixe rola sim pq é msm raro eu comer - aqui em casa nunca tem e eu vou ao japa só de vez em qdo. além disso to tentando mudar outros hábitos, tipo meu vício em coca cola. to tentando deixar as besteiras só pro fds assim tb não me privo de td pq seria mto sem graça, né??
é isso. força aí!!
mil bjs

Carrie, a Estranha disse...

Cris,

Obrigada, obrigada. Por isso não fui comer seu bolo de Nutella - mas ainda lhe devo desculpas mais apropriadas.


Álvaro,

Ah, é. Eu saio sem beber. Confesso q acho até engraçado. Aí vc percebe como as pessoas e os lugares são chatos! Rsrsrs

Nalu,

Força, muita força amiga!

Natucha,

É, questões emocionais - como perda de emprego, namoro... - sempre mexem com a gente, né?

Andrea,

Um dia talve eu te conte qto eu peso realmente.

Mônica,

Te aconselho muito fortemente a tentar os Vigilantes. É uma ótima dieta, aliás, a única q é realmente uma reeducação alimentar. No começo pode parecer um pouco complicado com tantas informações novas, mas te garanto q em duas semanas vc já está acostumada e se sentindo ótima. E isso é um aprendizado, como tudo na vida. Principalmente sobre nós mesmas. Pode me escrever qdo quiser: carriewhiteaestranha@yahoo.com.br

Bella,

É, assim eu tb acho melhor. Vou te chamar pra provar meus deliciosos pratos com soja!

Bjs

Patricia disse...

Eu engordei dois quilos no fim do ano passado, antes até das festas, e confesso que ando sem a menor força de vontade. Continuo malhando, mas tô comendo tanto e tanta besteira... Tô naquela de "segunda eu fecho a boca". Mas vem cá, de onde vc vai tirar 20 quilos?

Cris disse...

você não me deve nada, dear. qualquer coisa a gente sai pra comer salada, mesmo... hummm, delícia! ahauauauha! bjs