terça-feira, outubro 02, 2007


Uma passada na banca de jornal: a revista Veja mostra as verdades sobre o Che; Luciano Huck assaltado em SP pede “chamem a Tropa de Elite”. E eu me pergunto: quando foi que nos tornamos tão reacionários?

E o pior é que se você diz isso, logo lhe confundem com um militante da esquerda – essa esquerdinha feia, suja e mal lavada que existe no país, de PSOL, PSTU e PT. Marx dizia, já prevendo que seu próprio pensamento se tornaria uma religião laica (exatamente o oposto do que ele queria): “eu não sou marxista”. Pois é. Mais ou menos por aí. Eu não sou de esquerda. Não me confundam com essa gentalha só porque eu não leio a Veja.

E amigos me mandam e-mails me convocando para passeatas, manifestações e comícios contra “a bagunça, o descaso, a corrupção”. Me desculpem, amigos, mas eu não vou. Eu não acredito na tal “bagunça”. Isso me soa muito parecido com as famosas marchas pré 1964, pela Família, com Deus pela Liberdade, que também pediam ordem num ambiente de “caos”, onde João Goulart tentava, meio de forma atabalhoada, fazer reformas de base. Eu não acho que o que vivemos hoje é pior do que na ditadura ou mesmo em governos civis posteriores. Eu só acho que hoje em dia as coisas explodiram. Durante o período militar existia tanta ou mais corrupção do que hoje em dia. Só que não era possível noticiar. Graças a Deus as coisas explodiram. E ainda vão explodir muito mais.

E aí eu tenho que ver o Huck – que é um rapaz que eu até gosto muito, mesmo – putinho porque levaram o rolex dele? Ah, me poupe, Lu!

Talvez a pergunta seja: quando foi que não fomos tão reacionários. Porque até – talvez principalmente – a esquerda é reacionária no Brasil.

Acho que vou ter que radicalizar minhas opções políticas em direção ao anarco-individualismo. E me mudar pra beira de um lago.

8 comentários:

Anônimo disse...

Tá impossivel, heim Formiga? rs
Mas vc tem razão, em tudo, concordo com este seu texto e tb o anterior.
Bjs,
Bibi

Cris disse...

tô com o livro do thoreau aqui olhando pra mim há um ano e esse maldito doutorado não me deixa nem dar idéia pro pobrezinho. mas é isso aí, acho que também preciso me mudar pra beira de um lago... bjs

Milema Medeiros disse...

Nâo acho q ele está tão preocupado assim com o rolex de 48.000,00 q foi roubado.Está preocupado com o mundo aonde os filhos dele vão viver. Sem dúvida é mta desigualdade um cara ter um relógio de 48000,00 e mta gente não ter o q comer, mas acho q isso nao justifica a falta de segurança em que vivemos. Principalmente pq ele é um cara que pelo q parece faz um trabalho social e ajuda do modo dele. Ele não é o culpado de ter mais condições do que outros. Tem q reclamar, tem q protestar. Está mais do que na hora de botarmos a boca trombone e fazer esses políticos trabalharem em coisas importantes. Briguinhas dentro do senado e governador demitindo gerúndio podem esperar. Há coisas mais uregentes a serem feitas. Chama o Capitão Nascimento!!!!!

Carrie, a Estranha disse...

Balu,

balubalubalubalu

Cris,

Cara, tem que ler o amiguinho Thoureau! Dá mó paz. Lê na hora de dormir - eu nunca consigo ler nada relacionado a tese na hora de dormir.

Aliás, eu deveria pensar mais assim. "Agora eu não posso ler isso". Sempre sinto uma vontade incontrolável de ler coisas que não tem a menor relação com a tese.

Milema,

Dá pra tomar uma kaiser antes?

Bjs a todas

Pati Linden disse...

Putz, tive reação idêntica à tua em relação ao Lu Huck. Me poupe, né? Menos, Luciano, bem menos. Pobrezinho, roubaram o rolexzinho dele... Oh. E no artigo à FSP ele lamenta que parou de andar de carro blindado. Argh, tenha dóóóóóóó!!!
Beijos procê, Carrie!

Ila Fox disse...

Vocês leram o texto dele afinal?

Ele não estava tão puto pelo relógio em si, mas pelo susto de quase ter sido morto SÓ por causa de um relógio...

"... Escrevo este texto não para colocar a revolta de alguém que perdeu o rolex, mas a indignação de alguém que de alguma forma dirigiu sua vida e sua energia para ajudar a construir um cenário mais maduro, mais profissional, mais equilibrado e justo e concluir -com um 38 na testa- que o país está em diversas frentes caminhando nessa direção, mas, de outro lado, continua mergulhado em problemas quase "infantis" para uma sociedade moderna e justa
...
Desculpem o desabafo, mas, hoje amanheci um cidadão envergonhado de ser paulistano, um brasileiro humilhado por um calibre 38 e um homem que correu o risco de não ver os seus filhos crescerem por causa de um relógio.
Isso não está certo.".

Carrie, a Estranha disse...

Pat,

Pois é...


Ila,

Não, não li. Li agora. E continuo achando a mesma coisa.

Bjs

Ila Fox disse...

hahahaha, vai ver ele nunca tinha tomado um susto n� por isso o espanto dele. Bom, como se n�o bastasse ligar a televis�o para ver que o crime domina.

Achei engra�ado quando ele diz que ajudou a construir um cen�rio mais maduro, mais profissional, mais equilibrado e justo... algu�m tem que avisar ele que o pgrama dele � o Caldeir�o e n�o a porta da Esperan�a, hehe