domingo, agosto 12, 2007

O amor no tempo do brócolis


Fui fazer compras no hortifruti hoje e me espantei em ver a animação. Sábado, de manhã – quer dizer, 11 da manhã, mas ainda assim de manhã, ainda mais pra um sábado. E o hortifruti bombando. Eis que eu comecei a notar uma grande concentração de homens. Uau. Homens. Esse artigo tão raro, nem sempre numa boa safra, mas sempre útil. Aí comecei a lembrar do episódio de Mothern que eu acabara de assistir, onde uma delas conhece um cara num sacolão da esquina – ela de chinelo e meia. Olhei pro meu pé e eu estava de havaianas e com as unhas sem fazer. Quem disse que o amor escolhe horário?

Toda mulher solteira sabe que à noite todos os gatos são pardos - e vira-latas. Não se consegue nada que preste na noite. Dentre os ótimos locais para se conhecer homens estão velórios, trabalho, cursos – desde que você não invente de fazer corte e costura -, universidades, casa de amigos, batidas de trânsito e supermercados de madrugada. E agora eu acrescento mais esse local: sacolões e quitandas sábado de manhã. Ou feiras. É verdade que a chance dos homens serem casados também é grande. Mas você descobre rapidamente ao ver o aleijão reluzente na mão esquerda, enquanto apalpa as laranjas. No caso dele não usar aliança ou ter apenas uma namorada, olhe o tamanho do carrinho. Se ele tiver com uma cestinha: solteiro. Mas às vezes não é o tamanho que importa – embora quase sempre ajude bastante – mas o prazer que ele proporciona. Isto é: veja o que ele carrega dentro do carrinho ou cestinha. Se ele compra porções individuais ou congelados é solteiro. Se tiver danoninho ou trakinas de morango run, Forrest, run. Ele é casado e tem filho. Ou tem o paladar de uma criança de 5 anos – o que também é motivo para você correr. Ele pode estar com uma cestinha só dando um reforço pro almoço da patroa. Mas isso você também descobre pelos produtos – se for uma lata de creme de leite e uma coca 2 litros, desista.

Sem contar que hortifruti são...inspiradores. Você fica lá, apalpando melões, pepinos...enfim.

Supermercados 24 horas são o que há em matéria de homem. Que homem casado faz compra de madrugada? Além disso, você encontra pessoas que têm uma carreira e não têm tempo de fazer compras durante o dia, e não um desocupado qualquer. Se for uma dessas redes mais caras, tipo o Zona Sul ou o Pão de Açúcar aumentam as chances de você pegar um profissional liberal, recém separado, meio sem prática para questões domésticas – e provavelmente sem o menor saco para outro relacionamento, but who cares? Enquanto você não acha o homem certo, divirta-se com os errados. Ele pode puxar papo perguntando se aquela marca de iogurte é mesmo boa, se você conhece aquele queijo e você pode pedir ajuda na escolha do vinho. Se ele tiver na prateleira de produtos de limpeza, analisando a diferença entre o Pinho Brill Lavanda ou o Fresh Limon aí eu gamo completamente.

Eis que hoje estou andando pelo hortifriuti e vejo um espetáculo de um rapaz. Olhos verdes – ou azuis, sei lá – porte atlético, pero no mucho. Tatuagem no braço. Tênis e mochila – humm...esportista. Escolhendo bananas! Que saudável! Cestinha! Oba! Cestinha é um ótimo sinal! Mas o tumulto era tão grande que eu não pude me aproximar. Entrei na enorme fila e ele ainda estava escolhendo frutas. Fiquei como Baudelaire, imaginando o amor que eu poderia ter tido se aquele desconhecido tivesse parado e não simplesmente se perdido na multidão.

5 comentários:

Bella disse...

nossa, adorei as dicas! hahah! pena q aqui não tenho nenhum super mercado 24h desses chiques, senão eu já ia bem fazer uma comprinhas aproveitando q são mais de 2 da manhã!!
bjs

Ione disse...

Ainda tem o rapaz com o microfone dentro do Horti Fruti? Eu ficava me sentindo observada, bastava eu me aproximar do mamão que ele anuciava uma oferta relacionada a ele... Haha... Bons tempos...
Simplesmente amei o post anterior.
Beijos!

Carrie, a Estranha disse...

Sim! Ainda tem o rapaz do microfone! E ele ontem dizia pensamentos metafísicos do tipo: "tudo que é bom dura o tempo necessário" e eu ficava pensando sobre a finitude, ainda mais em meio a frutas meio passadas.

Bella,

Ih, vamos marcar um bonde ao Pão de Açúcar? Hahahaha...

bjs

Rê disse...

Baudelaire dá a isso um nome que eu gosto muito, "amor à última vista". é lindo, não?

Roberta disse...

Menina, eu já não consigo biscatear nessas situações. Sou um ser assexuado no supermercado, no hortifruti. Meu negócio é caçar na noite mesmo. Até que tenho pego uns espécimes interessantes. :P

Beijos