terça-feira, maio 01, 2007

Desabafo - ou: vida de gordo, milésima parte


Alessandra Negrini, na capa da Marie Claire diz que ela se esforça o tempo todo para não ceder aos padrões. Oi? Hein? Como é que é? Deixa eu ver se eu entendi: moça linda, magra, cabelo liso, branca, fez plástica no nariz (embora na entrevista ela diga que não, mas na Revista de Domingo do JB de semana passada diz que ela fez e diz até o preço e quem foi o médico) e PROTAGONISTA DA NOVELA DAS OITO DA REDE GLOBO não cede aos padrões? É. Eu é que cedo, né? Shame on me!

Eu fico indignada. Eu fico de saco cheio. E vou desabafar mais uma vez e quem não quiser ler a barra de endereços é a serventia da casa – porque o blog é meu e eu falo do que eu quiser. Eu não agüento as pessoas dizerem que “o-importante-é-você-estar-bem-consigo-mesma” e esse estado de espírito transparece na sua boa forma e beleza – quando na verdade elas gastam os tubos em botox, lifting, preenchimentos e lipos. Eu não agüento esse papo de que “a beleza vêm de dentro”. Eu conheço pessoas tristíssimas, cruéis e lindas. Eu não agüento essas atrizes que tem filhos, já fazem a plástica junto com a cesariana, que levantam o peito depois de nem dar de mamar e vem dizer que “a-maternidade-me-fez-mais-mulher”. Eu não agüento esse papo de que “é pela saúde” e a pessoa fica dez quilos a menos do recomendável. Eu simplesmente não agüento. E não engulo. Basta.

E isso é martelado e jogado goela abaixo na mulher desde a mais tenra idade, de forma sutil ou não; subliminarmente ou aos borbotões. Toda criança gorda sofre com apelidos na escola – graças aos céus eu era magra nessa época. A gente faz apelidinhos pras pessoas e diz que são carinhosos, que você estava brincando, mas quem é que gosta de ser chamada de “gorduchinha”, “fofinha”? Quem? A pessoa pode ser linda, pode ouvir mil vezes que tem um rosto lindo, um cabelo lindo, mas esses elogios quase sempre vêm com um fundo de pena, de “você-é-quase-bonita”.

As pessoas não têm a menor tolerância. Os padrões não estão nem um pouco elásticos. Antes, as modelos vestiam 40. Depois, 38. Hoje em dia 36. E ainda dão a desculpa de que a roupa cai melhor, que fica mais fácil pra ajustar no corpo. Como assim? Façam roupas maiores que será igualmente fácil de ajustar no corpo. Ou não?

Aí vêm as dicas. Ai, meu Deus, as dicas são um saco. Malhe! Se você comer muito, pode malhar umas 5 horas por dia que não vai emagrecer. Sem contar que exercício acalma, relaxa, mas também dá fome. Corte o carboidrato. Corte o glúten. Corte isso. Corte os pulsos. Por isso é que eu gosto do Vigilantes. Não corta nada. O importante é não sofrer. Depende do que você considera sofrer. Algum nível de esforço você vai ter que fazer. Em algum momento aquilo vai ser difícil pois você está abandonando hábitos e nunca é fácil deixar hábitos.

As pessoas condenam reality shows sobre cirurgia plástica, meninas que morrem de anorexia, de bulimia, mas quem realmente aceita o gordo? Quem? A Preta Gil foi chamada pra ser rainha de bateria e foi super criticada. Quando saiu pelada na capa do seu disco foi super criticada. Quando se cogitou a possibilidade dela estar pegando o Gianechinni foi um Deus nos acuda. E aí, quando garotas morrem de anorexia vêm esses médicos de merda dizer “ó, precisamos ser mais tolerantes” quando as suas mulheres passam o dia na academia e quando eles mesmos nunca casariam com alguém 30 quilos acima do peso!! E ainda dizem que é pela saúde?! Gente, não tem cabimento alguém passar três horas por dia fazendo esportes e dizer que é pela saúde! A não ser que você seja um atleta de alto nível. Não tem cabimento alguém fazer lipo e ser pela saúde.

E homens gostam de carne pra pegar, de "sustança"? Até gostam. Até certo ponto. Realmente homem não gosta de mulher esquelética. Homens não reparam em celulite nem em dois quilos a mais. Mas experimente engordar de 5 a dez quilos. Veja que amor resiste a isso. Experimente ficar grávida e não emagrecer após o parto. Ou, como diz um amigo que está me lendo agora, “tábua fina é que agüenta prego. Mulher muito boazuda é boa só pra olhar”.

Então vamos parar com a hipocrisia né, minha gente? Gordo, na nossa sociedade – nossa: ocidental, século XXI – é pária. “Ah, mas tem o Jô Soares...”. E só, né? Quem mais? Ed Motta...Faustão (péssimo exemplo)... todos homens. Quantas apresentadoras/jornalistas mulheres e gordas existem na TV? Zero. Na música? Algumas: Nana Caymmi...não me lembro de mais nenhuma...Quantas atrizes gordas fazem novela, filme, peça ou qualquer outra coisa? Uma ou outra comediante...

O gordo é sempre visto como alguém que não se esforça o bastante. Alguém que não tem força de vontade. Não tem amor próprio. Não raro, grandes mudanças na vida de pessoas são associadas a mudanças corporais muito fortes. Até práticas religiosas são acompanhadas de preceitos alimentares. O gordo é visto como o sem-vergonha, o molenga, o safado. Aquele que tá daquele jeito porque quer. Ou porque “tem problema”, tadinho. Quase um aleijado. As pessoas que resistem, que não comem, que fazem sacrifícios, que malham, em contrapartida, são vistas como merecedoras de seus corpos. Ser gordo é quase uma questão de falta de caráter na nossa sociedade. Ninguém aceita a gordura. Nenhum gordo aceita ser gordo. Nenhum gordo gosta de ser chamado de gordo. E você tem que ser magra e fingir que não faz muito esforço pra ser assim. Tem que mostrar que faz isso pela saúde – sempre saúde, muita saúde – e pela auto-estima, nunca pela estética, que é coisa de gente fútil. Mas que não se mata, que não se violenta, que a-do-ra fazer exercícios que a-do-ra brócolis com cottage, que não tem nem muito tempo de fazer exercícios, mas como você é uma pessoa maravilhosa, de fibra e coragem, você arruma um tempinho nem que seja às 5 da manhã. Percebem como esses pensamentos são contraditórios, quase paradoxais, mas se encaixam e se complementam?

Acho que o maior sinal de não-discriminação seria dizer: “sim, nós não aceitamos o gordo”. Principalmente "A Gorda". Pronto. Esclarecido. Jogo limpo. Faz que nem em Esparta. Taca do alto de um morro e deixa os abutres comerem. Afinal, já não é isso que fazem mesmo?

Não, eu não sou gorda. Sou gordinha. Reclamo de barriga cheia - e gorda. Mas eu já estive 10, 15 e 17 quilos mais magra. Eu sei, ninguém percebe muito porque eu engano, eu sou alta, eu tenho ossos largos e eu disfarço. Só quem me conhece muito nota. Já fui magra, normal, super magra (tá bom, por muito pouco tempo) e rechonchuda. Eu posso falar. Eu já vi todos os olhares e a mudança desses olhares. Eu já vi e senti todo tipo de olhar. Não existe vida pro gordo. Me desculpem, mas não existe. Só que ninguém tem coragem de admitir. Podem até existir as exceções, mas elas apenas confirmam a regra. O gordo, muito gordo. O problema é que quando você engorda alguns quilos você já começa a ser um gordo em potencial. E começa um monte de gente a te encher o saco e a te dar “toques”. Como se você não tivesse espelho em casa, né? E pessoas te perguntando constantemente: “e a dieta?”, como se você nunca mais na vida pudesse comer uma fatia de bolo de chocolate. Ou, ao contrário, gente que vai te encher o saco pra comer porque “é só uma”. Ou gente te dizendo: “nossa, mas você é tão bonita...”.

E as pessoas não estão nem aí realmente. Elas gostam de ver que você engordou. "O mineiro só é solidário no câncer", como diria Nelson Rodrigues. Mas não só o mineiro. Gostam de fazer piada, porque é apenas uma brincadeira e você precisa ser tolerante, precisa ter senso de humor. E se você for mulher tudo piora. Nenhuma mulher gosta de ver que a outra emagreceu. Porque, como diz o ditado, nunca se é magra ou rica o bastante. Tem sempre dois quilos que podem sair. E as pessoas têm inveja. A inveja faz parte do ser humano e é um sentimento como outro qualquer. Não há porque ter vergonha disso. Então quando você emagrece já sabe que vai ter que enfrentar aqueles olhares das pessoas que muitas vezes são as que mais gostam de você. É o marido ciumento que percebe que a mulher tá ficando gostosa, é o filho, a amiga, a irmã...todos nós cometemos atos de inveja. Resta saber se você está disposta agüentar ou não. Vai ver que é isso que as pessoas chamam de olho gordo, né? São olhares que os outros te dão e você agüenta (ou não) receber. E ninguém faz isso necessariamente por mal. É do humano. Resta a cada um ter seus escudos, e não, não estou mandando ninguém se fechar contra tudo e todos. Ai, caralho, entenderam, né?

Eu sei que existem coisas muito piores do que isso na vida. Mas essa é, de longe, a mais chata. Saco cheio. Não me aporrinhem. Não tenho tolerância para papos “moderninhos” de “se aceitar como você é”, de “beleza interior”. My ass! Aceitação de cu é rola. Quem gosta de beleza interior é decorador. Beleza não põe mesa, mas abre o apetite. Dinheiro não compra felicidade, mas manda buscar. E compra beleza, também. Não existe mulher feia, existe mulher pobre. Kiss my silicon ass, Alessandra Negrini! Vai ver se eu tô ali na esquina fazendo um peeling.

11 comentários:

osvjor disse...

uai, mas magro tb é alvo de brincadeiras e apelidos malvados... eu, por exemplo, coleciono alguns, como Morte Lenta, Vampiro Brasileiro e Nosferatu

Cris disse...

\o/ clap, clap, clap. muito bom, amiga. quando eu passei pela banca e via a tal declaração na capa da revista me deu uma raiva!! pô, tá de sacanagem, né? o povo tá lá na globo e quer levar uma vida alternativa? joga tudo por alto e vai fazer teatro, então. vai viver fora dos holofotes, mas num vem com esse papo de 'cagar pros padrões'. e não é só gordo que tem estigma. tem a idade também. experimenta passar dos 40 e, se estiver solteira, tentar arrumar um par. depois dos 40 a mulher deixa de ser visível, por mais bonita que seja. ela vai ser sempre 'uma coroa enxuta', mas nunca vai ser páreo pras bundas durinhas de vinte; não importa o quão inteligente, culta, viajada e elegante, blá, blá, blá, ela seja. acho que vou linkar esse texto, ok? bjs

Cris disse...

ah, sonhei com você essa noite. você nos visitava de novo. viu, até meu inconsciente quer que você volte, hehe...

Carrie, a Estranha disse...

Hahahaha...sim! Pra devolver o tupeware! De preferência cheio, né?

bjs

Cris disse...

não, nada de tupperware cheio que eu tenho mais de 40 e agora só posso me alimentar de água e luz solar, ahuahuahauhauhuahuauaha! sua boba. bj

Milema Medeiros disse...

Vc está certíssima!!Ja viu alguma gorda protagonizar novela? Já viu alguma atriz de cabelo ruim assumir o cabelo sem chapa nem escova? Existe mto precoceito e mta hipocrisia e quem nao tem a cabeça no lugar morre de anorexia ou de tanto tomar remédio pra emagrecer.

Simone Sá disse...

Só uma em favor da Negrini - vesga ela é!!

aliki disse...

Carrie ma chérie, na França, de cada 3 mulheres, UMA usa manequim acima (e pra baixo e pros lados e pra tras) acima de 44. Mas cadê roupa desse tamanho? Eu sou essa umazona, e estou adorando não ser a unica a recusar tanto hipocrisil.
Bisous

Vanessa disse...

Carrie, mizunfia: soco no estômago, heim! Falou muito, mas falou tudo. Ninguém admite, mas ninguém quer ser, ninguém assume e ninguém gosta de gordo e das roupas feitas exclusivamente para gordos.

Só um porém digno de nota: 3 horas de esporte por dia é normal pra marombeiros que nem sonham em ser atletas de ponta. Os atletas, de fato, treinam de 4 a 6 horas por dia. E acordam às cinco da manhã pra conseguir fazer o dia render. E não é pela estética: há mais entre a revista Caras e a dependência química de endorfina do que supõe nossa vã filosofia. Antes de inventarem o Botox, inventaram o ser humano naturalmente competitivo, do tipo que quer se superar e, nem de longe, pensa em estética, e sim em ganhar provas.

Carrie, a Estranha disse...

Oquei, Vanessa. Adendo feito.

bj

Taísa disse...

Adoreiii !! Na verdade... AMEI Esse texto !!
Não tenho quase nada a comentar, nem a acrescentar... posso assinar embaixo do jeitinho q está !! :D hehehhe !!
Acho q temos o mesmo tipo físico: não gordas... mas fortinhas... ombros largos, ossos grandes... enfim... ninguém entende qndo queremos emagrecer ( mas sentimos necessidade disso, claroooo !! )
Bjoss !