sábado, fevereiro 10, 2007

Deliruns celularis


Dia desses eu estava me preparando para dormir (“preparar para dormir” é ótimo né, leitor? Parece coisa do século XIX, de quem “faz a toilete”, “prepara banho” e “responde cartas”) e toca meu celular. Atendi sem nem ver quem era e só depois de ouvir a musiquinha é que eu percebi que era a cobrar. Desliguei, claro. Devia ser um desses “seqüestros” em que algum preso, de dentro de um presídio, extorque dinheiro de cidadãos (sim, leitores de Portugal! Isso acontece aqui no Brasil! É sério!). Tocou de novo. Olhei o número. Ué, que coisa estranha! Era o meu próprio número! A pessoa continuou a insistir. Resolvi olhar o DDD: 35. Caralhos! É o DDD de Andrelândia, minha Pasárgada! A história tava ficando bizarra demais. Como é que alguém me liga, com o meu próprio número, de uma cidade minúscula que poucas pessoas conhecem? Não agüentei de curiosidade e resolvi atender e aceitar a ligação a cobrar. Além do mais, podia ser alguém de lá. Seria o máximo da coincidência, mas o mundo é estranho.

Barulho estranho. Desliguei. Continuaram tocando. Atendi de novo. Silêncio. Depois disso pararam. Ai meu Deus. Clonaram meu celular. Como assim, clonaram meu celular? E com o meu próprio número? E com um código de Andrelândia?

Deitei na cama e comecei a imaginar algumas possibilidades para essa história bisonha. Será que eu estou em Andrelândia? Será que a realidade que me cerca é real? Será que eu existo? Cogito ergo sum? Jacaré no se(u)co anda? Quem me garante que eu não sou uma cópia de outra pessoa? Será que eu estou em um episódio de “Além da Imaginação”? Existe um outro eu, neste exato momento num universo paralelo que, por alguma falha da matrix me descobriu e agora todo o equilíbrio do Sistema Solar depende de evitarmos o nosso encontro (notem que a pessoa é megalomaníaca em T-O-D-O-S os momentos)? E ainda tenho uma irmã mais retardada ainda que eu, pra quem eu falo isso e ela começa: ai, pára, pára! Tô com medo!

Será que estou naquele episódio do Super Amigos em que eles encontram duplos negativos? Super heróis idênticos, mas com super poderes para o mal? Super Homem mal, Mulher Maravilha má...

Outra possibilidade: sou um personagem de Borges. Meu duplo está entrando em contato comigo mesmo para tomar satisfações da vida que ele não teve. Meu outro eu ficou grávida aos 16 anos durante um Carnaval em Andrelândia, se casou, teve três filhos e se separou porque o marido bebia (isso tá parecendo mais uma história do Veríssimo do que do Borges).

Aí me lembrei que esses dias eu tomei um porre e liguei pra mim mesma. Sério. Não sei porque. Só descobri quando vi o número gravado no meu celular. Minha irmã disse que eu queria me dizer: pára de beber, Carrie! Toma juízo! Pode ser, pode ser...

(Ouvi dizer que no Japão inventaram um celular acoplado a um bafômetro. Quando chegar aqui serei a primeira a comprar).

Depois pensei, pensei...o mais provável e realista é que a Vivo tenha dado pau. O que não é difícil já que essas operadoras são todas piradas (já atenderam ligações de pessoas que juram de pé junto que você ligou para elas? E você não tinha bebido? Pior quando é uma pessoa desconhecida que liga e diz oi, eu recebi uma ligação deste celular...tipo, vai ser curioso assim lá na putaqueopariu, né? Não pode esperar a pessoa voltar a te ligar? Tem que sair ligando pra números que você nem conhece só pra saber quem te ligou?)

Enfim. Vai entender...Se alguém tiver uma vaga idéia do que pode ter acontecido eu agradeço.

Um comentário:

Milema Medeiros disse...

Vc é mto engraçada!!!!Com certeza a VIVo deu pau. Essas operadoras de celular só servem pra isso. Bjinhos