terça-feira, janeiro 09, 2007

Como assim, Bial?


Hoje começa o pior programa já inventado pelo homem: Big Brother Brasil. É claaaaro que eu assisto!! Gosto de ver o início, depois dar uma dianteira e pegar no final. Têm edições que são realmente intragáveis, mas tem outras, como essa que passou, com momentos de sabedoria única. Nunca me esquecerei de Leca, a bulímica, no primeiro Big Brother, falando que o programa se chamava Big Brother porque eles realmente eram big brothers...aprendo sempre coisas sobre o ser humano, a nível de indivíduo, enquanto pessoa-gente.

Gosto de ver os perfis dos participantes. Oscilam entre dois, basicamente. (Aliás, parecem perfil de orkut, onde todo mundo é tranqüilo e gosta de conhecer gente nova. Ninguém tem mau humor, né? Ninguém tem pobrema? Ninguém é fraco, maldosinho e invejoso? Tá bom. Como diria o Fernando Pessoa, só eu que sou vil e parasita, então!) Voltando ao BBB. Existem dois perfil básicos. Perfil 1: “Sou um cara tranqüilo, adoro conhecer gente nova e gosto de agito e diversão. Mas não levo desaforo pra casa! Tenho pavio curto e se precisar eu falo na cara”. Perfil 2: “Isso é um jogo e se eu tiver que jogar eu vou jogar. Sei mentir quando é preciso, mas dentro dos limites, é claro”. Provavelmente as pessoas devem ter ambos os perfis, só que na edição eles já constroem os personagens: o cara sem escrúpulos, o(a) ingênuo(a), a mente maquiavélica por trás de tudo (espécie de Goebbels dos pobres) e assim por diante.

Aí fiquei pensando em perfis alternativos. A) Sou bipolar e já tentei suicídio duas vezes. Não falo com pessoas durante dias. Tenho mau hálito devido a um problema estomacal. B) Sou intragável, preciso ficar horas sozinho e como e pelinha do dedo do pé. C) Sou aquariana, amo sol e cultuo a Mãe Natureza no dias ímpares. D) Sou Adventista do Sétimo Dia e guardo os sábados para atividades ligadas ao Senhor. Nesse dia não posso participar de nenhuma tarefa.

Um mistério que sempre me atormentou em relação aos Big Brother’s é: por que eles não levam livros? Será que é proibido? Eu vejo no máximo uma Bíblia. Se eu tivesse numa casa sem TV, sem computador, com um bando de gente estranha eu levaria muitos livros e CD’s ou aparelho de MP3. Bom, pensando bem eu não vou nem pra casa com um bando de gente conhecida, com TV e computador...

Bom mesmo era a Casa dos Artistas. O genial Alexandre Frota. Supla. Bárbara Paz. Gênios da dramaturgia e do pensamento ocidental.

E o Bial, gente?!! O que é o Bial? Há seis anos fazendo essa joça. O cara era um correspondente internacional sério, cobriu a queda do Muro de Berlim em 1989, a guerra da Iugoslávia em 1992, tem curta sobre o Guimarães Rosa...eu fui fazer jornalismo, dentre muitos fatores, por causa deste homem! Realmente, todo homem tem seu preço.

Eu gostaria de trabalhar no Big Brother, mas na edição. Na construção dos personagens. Colocar trilha sonora. É quase uma obra autoral.

Mas deve dar um trabalho da porra. E ter que aturar aquele povo falando merda dia e noite...

Quando eu dei aulas pro curso de comunicação social eu tive que ministrar uma disciplina que era a orientação da monografia (coisas de algumas universidades particulares, onde o aluno não escolhe o orientador e o professor tem que orientar 15 cabeças ao mesmo tempo). Nove entre dez alunos queriam fazer a monografia sobre o Big Brother. Sempre enfocando “essa coisa, tipo assim, fessora, da sociedade do espetáculo...Guy Debord...”. Isso os muito evoluídos, claro. A plebe queria ficar contando historinha do Big Brother e ser aprovado. Aliás, o que eles queriam mesmo era estar lá. Numa universidade onde você senta ao lado de globais baixo clero a todo o momento, pra que estudar? O referencial é outro. Eu é que tava errada. (Não, essa última frase não foi uma ironia).

13 comentários:

samanta disse...

unica imagem que eu tenho da queda do muro é... claro, do Bial! Talvez por ele ter mencionado num momento repeteco da carreira no domingao do faustao. Pois é, que ponto chega o ser humano (e eu me incluo!)

bj

Anônimo disse...

Oi Carrie!! Vc n está mais entrando no msn? Nem conversamos direito...
Conheci a Van Or....achei uma figura muito linda e doce...a noite em que saímos foi muito gostosa,com muito bom papo,e muita cerveja,claro...
Bjs
Márcia Motta

Carrie, a Estranha disse...

Oi, Márcia!

Pois é, estava viajando e não tava entrando no msn. Entrava no computador só pra escrever e olhe lá. E agora vou viajar de novo! Rsrsr
Q bom q foi legal a saída com a Van. Ela é realmente uma pessoa boníssima! Qualquer hora sou eu q vou praí! Rsrsr

Bjs

Jussara disse...

Ai,ai,ai, só espero que vc não escreva mtos posts sobre esse programeco; aquilo tudo lá é provocado;os diretores meio que conduzem tudo, instigam as pessoas, jogam uns contra os outros; é um jogo mesmo.Bom, eu não ligo TV nesse horário mesmo, então pra mim, tanto faz;mas acho chato as inúmeras chamadas que passam em todos os intervalos de todos os outros programas!!! e tb acho um desperdício, ocupar um horário 'nobre' com tamanha porcaria. E pior que tem gente que deixa de sair pra ver isso...

Celso disse...

Carrie, Carrie, Carrie. Deste seu texto, tem dois parágrafos cruciais: um é o que você diz sobre o mistério deles não levarem livros pra lá. Pergunto: quantas pessoas lêem neste país? Uma vez, você disse aqui que acha que a Bruna Surfistinha era uma difusora cultural, pois quem lesse "O Doce Veneno do Escorpião" poderia acabar lendo outras coisas. Não concordo. Quem lê esse livro, lê só isso e nada mais, e se porventura ler algo a mais, vai ser somente livrecos deste nível. Difusão cultural mesmo é escola capacitada, escola pública, bons programas de televisão na TV aberta, nos moldes dos bons programas da TV a cabo. E sabe quando nós vamos ter isso? Nunca! Por isso o sucesso da sub-literatura. E acho que isso explica o fato de ninguém naquela bosta de programa levar livros, pois poucos neste país gostam de ler, pode ter certeza. Dá pra contar nos dedos as livrarias do Centro do Rio, uma região da cidade frequentada por milhões de pessoas todos os dias.

Lembro-me que no 1º Big Brother, o da Leca, havia uma jovem e bonita atriz, a Helena, que ficava por lá lendo Shaekespeare. E havia também o Adriano, que era um cara bem inteligente.

O segundo parágrafo interessante deste seu post é o que você fala do Bial. Relamente, eu me lembro do Bial. Mas tanto ele, quanto o Zeca Camargo (chato pra caralho, por sinal) e TODOS os que trabalham na Globo precisam seguir uma fórmula pre-definida pela emissora, e acredito eu que esta fórmula é dada pelo gosto dos telespectadores. Certa vez eu vi uma entrevista com um diretor de jornalismo da Rede Globo, cujo nome eu não me lembro, e no ar, no Programa do Jô (que piorou depois que foi para a Globo), ele fez o seguinte questionamento ao entrevistador: "As pessoas falam que a Globo manipula as opiniões, mas ninguém pergunta o quanto a opinião pública também manipula as edições da Globo". Logo, o Big Brother existe por que há demanda, e demanda forte, pois nestes tempos de individualismo e solidão, espionar a vida alheia, e principalmente a vida de gente bonitinha, na TV, numa casa bonita e etc, é um prato cheio para cabeças que nada lêem a não ser a Bíblia ou "O Doce Veneno do Escorpião".
Um bom texto este seu.
Beijos.

Jussara disse...

Nossa, o Zeca Camargo é chato pra caramba mesmo!!! um mala sem alça de marca maior.

Já o mais chato ainda, Pedro Bial, deve ter se vendido, pra topar apresentar esse programete; ele deve ganhar uma bolada e tanto por isso, não é possível!! o PB caiu no meu conceito, digamos assim, desde que tentou tomar o filho da Giula Gam, só pq ela sofria de depressão; criei nojo e antipatia total da cara dele.

Não tem mais ninguém on-line aqui, deve estar todo mundo assistindo ao BBBBBBBBBBBBBBBB.

Ah, e outra: essa coisa devia passar depois do JGlogo, num horário já bem tarde;onde quem quisesse assistir ao programa, tivesse que ficar esperando aos programas que vêm antes, e não o contrário.

Celso disse...

Jussara,
Acho que o Pedro Bial não se vendeu por mais dinheiro. Como ele é funcionário da Globo, ele foi o escolhido lá pra fazer isso e fim de papo. Ou faz, ou tá na rua. Apesar dele ser um homem muito inteligente, não sei se ele é indispensável para a emissora, como talvez o sejam Paulo Autran, Feranda Montenegro, Lima Duarte e outros ícones de lá. Jornalista por jornalista, eles acham bons na hora em que desejarem. Garanto que tem um monte aí que adoraria trabalhar na Globo, até eu, se fosse jornalista, pois é uma boa vitrine e deve pagar bem. :)

Jussara disse...

Concordo Celso, acredito que o PB não é indispensável...ele é mto do arrogantezinho, isso sim; aliás, faz tempo que ele não mostra serviço, hein???pq esse Fantástico, é outro programinho beeem fraco; sim, acredito que tem mto jornalista bom por aí, melhor que ele, até; e claro, quem não gostaria de trabalhar na rede "Grobo"?como vc disse, é uma vitrine e tanto; mas acho que não paga bem a todos não, paga? acho que só aos que já conquistaram um certo patamar... bom, mas tb não tenho certeza.

Celso disse...

Pelo que eu sei (não sou do meio jornalístico), quem ganha bem pra caralho mesmo são os artistas consagrados, tipo Suzana Vieira, Maitê, Fernanda Montenegro, Lima Duarte, Francisco Cuoco, Malu Mader e outros. Essa turma tem salários de 100 mil, no mínimo. Já a galera do jornalismo tem um salário muito inferior, nunca chegará a tanto, pois são facilmente substituíveis. A estampa deles não dá ibope, que é o que puxa para a logomarca Globo anunciantes, telespectadores, em suma, DINHEIRO.
Beijos

Carrie, a Estranha disse...

Fátima Bernardes: 80 mil.

Bial: cem mil por BBB.

Certos jornalistas são estrelas, sim.

Carrie, a Estranha disse...

Desculpe, confundi com outra coisa. O Bial ganha um milhão por BBB.

Celso disse...

Poxa, tá explicado então por que o Bial apresenta o BBB com um sorrisão na cara. E ele é besta de não fazer isso? Só se fosse otário. :)

Jussara disse...

Da Fátima e o almofadinha do Bonner eu já sabia... mas o PB ganhar um milhão por programa, eu nem sonhava... caramba, tô bege.