quinta-feira, dezembro 28, 2006

Vida de gordo - parte 2


Eu tive um ex-namorado que dizia que ex-gorda era pior que ex-puta: a pessoa se tornava extremamente preconceituosa em relação aos que ainda não largaram a vida e ouviram a Boa Nova anunciada pelos Vigilantes do Peso. É verdade. Eu, que não sou exatamente uma pessoa obesa - mas já tive uns 10 quilos a menos do que tenho hoje e ainda assim me achava gorda - posso dizer. Eu reparo em todos os gordos que eu vejo na rua. E digo mais: não é só o ex-gordo que é preconceituoso. O próprio gordo é preconceituoso. Tá sempre reparando nos seus coleguinhas mais roliços, vigiando o prato do companheiro na fila do self-serve (uma vez li isso escrito num restaurante e rolei de rir!). É como se fosse um alívio pensar: “nossa, tem gente muito pior do que eu!”. E como tem. Gordo precisa de companhia pra comer. Pra dividir a culpa.


Algumas pessoas, poquíssimas íssimas, ficam bem gordas. Tenho uma amiga que é muito, muito bonita. E o fato dela estar um pouquinho mais gordinha (tipo uns 15 quilos a mais) não influencia em absolutamente nada na beleza dela. Quando ela tá mais magra continua bonita, nem mais nem menos. Mas em geral o gordo é, antes de tudo, um sem loção. Vai à praia de biquíni de lacinho, anda de short pela rua...Aí vocês podem estar pensando: “ué, mas ele não tem direito?” Não! Claro que não! Biquíni de lacinho, não. Por muito menos eu não vou à praia! Pra não agredir o olhar alheio! Por que as pessoas não podem ter um simancol parecido? Quer comer tudo que quer o ano todo e ainda vestir a roupa que quiser? Nããão. Não é assim que a coisa funciona. A vida é feita de escolhas. Fazer dieta é duuuuro. Malhar é duuuuuro. Ficar sem beber é duuuuuuuríiiiiiissimo. Então, o mínimo que a pessoa tem que ter, além de respeito e admiração, é o direito que usar a roupa que quiser. O gordo não. O gordo tem que padecer de preto num sol de 40º graus. Sorry, não quis comer o ano todo? Bem diz uma tia minha, lendária obesa de nossa família, no momento em dieta e já tendo perdido 9 quilos: “a roupa marítima não foi feita para o gordo” (Essa tia também é famosa por chegar em self-service e dizer "hoje não quero perder tempo com salada. Vou direto ao assunto")


Tá, tudo bem, tô sendo radical. Eu acho que até um limite o gordo pode freqüentar a praia. Desde que de maiô ou um biquíni grande. Mas passando de uma determinada pesagem, aí fica em casa, meu amigo. Espera o verão seguinte. Até lá, sua na hidroginástica.


Hoje eu tô fazendo unha, entra uma garota nem tão gorda, mas com uma calça jeans juuusta e uma blusinha meio curta. Claro que sobrou aquela adiposidade entre o quadril e a barriga. Caráleo!! Será que a garota não tem uma amiga, uma irmã, alguém pra dizer qualquer coisa? Formiga Mãe manda logo na lata: “você vai sair assim?”.


Quando eu saio com Formiga Irmã já sei: toda vez que ela me cutuca é porque tem alguém muito gordo se aproximando. Eu também faço isso com ela. (Se bem que, agora, ela também tem me cutucado toda vez que vê cabelos vermelhos. Ou cabelos estranhos, em geral. Enfim...Formiga Sister é terrível)


Aí fui na Renner (tá completamente sem continuação esse post, né? No final tudo de encaixa), o paraíso do gordo pobre. Odeio essas coisas de usar calcinha nova no Ano Novo, mas sempre acabo me rendendo, por via das dúvidas. Fui comprar uma calcinha vermelha (afinal de contas, esse ano, eu, assim como Tim Maia, não quero dinheiro, eu só quero amar, só quero amar, só quero amaaaar) - fiquei em dúvida entre vermelha e pink, mas como meu vestido já era pink e disseram que pink é bom, pois significa uma paixão suave, já que o pink é vermelho misturado com branco, optei por carregar na calcinha, enfim, por que tô falando isso mesmo? Ah é – pois então, fui ver minha calcinha vermelha e só tinha M ou P, do modelo que eu queria. Tive que levar de outro modelo. E se vocês repararem em todas as lojas de departamento onde se vendem roupas e vestuário em geral, o tamanho G é sempre o primeiro a acabar. Fiquei pensando: porra, se a população tá cada vez mais gorda, se a gordura aumenta em classes menos favorecidas, se lojas de departamento são freqüentadas por classes menos abastadas, POR QUE CARALHOS D’ÀGUA OS FABRICANTES NÃO FAZEM UM ESTOQUE MAIOR DE PEÇAS G, CACETE??!! E o que é pior (e qualquer mulher pode constatar): os tamanhos estão diminuindo. O M não é mais o mesmo e assim por diante. Formiga Sister, ao meu lado, diz que é a Dona Nídia, que quer vender a imagem de pessoas magras. Mas por quê? Se o capitalismo visa, em última instância, o lucro, e se a maioria das pessoas é gorda, porque não fazer tamanhos maiores para vender mais?


Bom, por outro lado - tô pensando aqui – os padrões de beleza são sempre ditados pela elite e são sempre um sinal de diferenciação em relação à plebe ignara. Quando a plebe é magra, o chique é ser gordo. No Renascimento, gorduchas eram o bicho porque representavam abastança e fartura; no início do século XX a brancura era saudada porque significava que a pessoa não precisava trabalhar ao sol; décadas mais tarde o bronzeado passou a ser valorizado, pois denota pessoas que podem se dar ao luxo de ficar sem trabalhar e só torrando ao sol. E o contrário também: a partir do momento em que “não trabalhar” passou a ser visto de forma pejorativa o padrão de beleza ocioso também passa a ser visto dessa forma. Enfim, muito complexo. Já caí no buraco negro da digressão. Volta, Carrie. Nave Mãe chama.


Outra coisa que eu detesto: bermuda em evento social, mesmo pra magro – sim, porque gordo de bermuda em evento social merece ir pra Guantanamo sem apelação. Cara, acho que bermuda deveria ser proibida em perímetro urbano. Odeio essa coisa bermuda-e-saltinho. Tudo bem, estou sendo maxi mega radical, sei que muitos de vocês devem sair de bermudinha, mas pra mim isso não é roupa. No máximo serve pra comprar pão na esquina ou levar o cachorro pra passear. Mas social, não.


Formiga Mãe provavelmente vai ler este post e reclamar que eu não deveria falar tantos palavrões e não deveria me auto-depreciar me chamando de gorda. Bom, mas o meu lado Woody Allen não me deixa ser menos irônica. Já que eu sacaneio todo mundo, por que não começar por mim mesma? Por acaso eu sou melhor do que essas gordas sem loção? Sou. Claro que sou! Hahahahaha...Mas isso não impede que eu tenha um mínimo de compaixão e me coloque no meio só pra poder falar com mais propriedade, não é verdade? Além do mais, é sempre melhor as pessoas esperarem o pior e se surpreenderem positivamente do que o contrário, não acham?


Falei pra caralho.

11 comentários:

Cláudio disse...

Hehehe, você é uma figura... Ri muito com esse post. Pra variar.

Ila Fox disse...

Oi Carrie, acho que este drama de não encontrar a roupa do tamanho que você quer acontece com qualquer tamanho viu, as vezes tenho a impressão de só encontrar M, G e GG, quando o que eu mais queria era um simples P ou PP. Mas nunca tem.
Um dia perguntei para a moça da loja se tinha do meu tamanho, e ela disse que só estavam trabalhando com M para cima, pode um negócio desses?
Como diz você: Caráleo!

Carrie, a Estranha disse...

Cláudio,

Não ria. A vida do gordo é muito triste.

Ila,

Odeio vc, seu tamanho PP.

Esse é o problema de habitar os extremos.

Bjs

Ila Fox disse...

Hehe, Carrie, e vc acha que é bom também ser PP? além de não ter nenhum atributo físico "interessante", o pior de ser PP é que quando ponho um bíquini fico parecendo uma lagartixa.
Além de tudo tenho barriga!, antes eu fosse daquelas magrinhas com a barriga chapada. mas não.
Ô desgraça.

Cris disse...

pior que gordo exibido é magro que fica jogando seu PP nas fuças alheias. ila, considere-se odiada por mim também, humpf!!

Dani Machado disse...

Ah, vou colocar bermudinha no Reveillon!!! Mas depois deste post, ainda tá em tempo de mudar! Quem não te conhece e lê esse post, imgina uma jamanta. Galera, ela não é tudo isso que faz parecer ser.

Carrie, a Estranha disse...

Cris,

Pois é, pois é...

Dani,

Tudo bem, vc vai passar na praia, vá lá. Não está na categoria "social" totalmente.

Mentira, gente! Eu sou muito pior! Hahahaha

Anônimo disse...

Menina, o que você tomou antes de escrever esse post? Quero um desses também.

Ri muito.

Assinado:
Alguém que precisa perder uns 3 kgs.

Carrie, a Estranha disse...

Odeio gente q assina anônimo. Quase tanto qto PPs. Mas tudo bem.

Bjs

anna v. disse...

Carrie, tenho muito a comentar sobre o enigma dos tamanhos P, M e G e sobre as bermudas com saltinho. Mas estou rindo tanto com a sua rabugice, que não consigo. Beijos.

Bem comida disse...

ai ai ai!
meu Deus! quanta falta de sexo!
menina , relaxa, pelo amor de deus!
todo esse seu ódio dentro, nao faz bem para a sua saúde! talvez sua analista tenha dito q o blog iria ajudar e tal! ela mentiu! hahahaha
sabe, eu sou magra, ate demais, mas nem ligo para gordo/a/s na praia. Eles têm direito a se exibirem tanto quanto vc de olhar para outro lugar, viu.
Uma dica: sexo vai aumentar a sua auestoestima e diminuir esse odio todo.
Bjs!