domingo, dezembro 03, 2006

Teoria da Grande Espiral


Odeio domingo à noite. As pessoas falam mal da segunda feira, mas eu, sinceramente, gosto de segundas feiras. Porque pelo menos a segunda feira já é. Você não tem como escapar. O domingo à noite ainda é um não ser. Um projeto inacabado. Fica aquela sensação de um resto de final de semana junto com a necessidade de já se pensar a semana por vir. Sem contar a insônia, porque eu quase sempre durmo muito no domingo – e hoje eu dormi até meio dia e à tarde também. Sem contar que domingo à noite sempre lembra dieta.

Ah, é, Carrie! Como vai a dieta? Vocês devem estar se perguntando. Well, eu fugi duas semanas das reuniões do Vigilantes do Peso como o diabo da cruz. Desde o meu aniversário – que aliás eu estava com o menor peso já tido neste ano. Aí semana passada resolvi encarar a balança, mesmo sem ter ido ao VP. Fui a uma balança civil, mesmo, com minha roupa à paisana. Até que não foi tão mal. O estrago nem chegou a um quilo. Levando em conta que foram quase 15 dias de orgia, no sedentarismo, o saldo foi bem positivo. Ainda permaneço na marca de menos sete quilos, mais ou menos (e eu não quero pensar no que falta, mas no que já foi).

Fiquei pensando em como certas coisas são circulares e não dá pra tentar impingir uma ordem linear a elas. Dieta é uma delas. Exemplo oposto: doutorado. Tenho dois anos pra escrever a tese. Tenho que ter metas e prazos. Tenho que ter uma trajetória razoavelmente linear. Agora, dieta...toda vez que eu me programo pra “emagrecer tantos quilos em tantos dias” o negócio não rola.

Dieta vem do grego e quer dizer “algo que se faz diariamente”. Então toda dieta deve partir do seguinte pressuposto: consigo ficar nessa o resto da vida? Se a resposta for "não", você fatalmente vai voltar a engordar. Na minha vasta experiência dietística eu sei que a velocidade com que se emagrece é diretamente proporcional a que você engorda. Então, nesse caso, a pressa é inimiga da perfeição, meeeeesmo. Baby-steps.

Venho lendo Borges nos últimos dias, porque ganhei de aniversário de Formiga Sênior – sim eu leio vários livros ao mesmo tempo, minha mesinha de cabeceira é quase uma estante de cabeceira; não, eu não estou tirando onda, mesmo porque não há nenhuma vantagem nisso (mentira, há sim!); fora os que eu tenho que ler pra tese – e ele insiste diversas vezes nessa temática da ordem circular. O conto “Livro de Areia”, do livro de mesmo nome, é exatamente sobre um livro que não tem começo nem fim. Porque certas coisas não têm começo e nem fim. Obedecem uma lógica circular e não há como fugir. E a gente pensa, por ser uma lógica não linear, que não houve progressos. Só que a idéia de progresso não serve pra pensar certos terrenos da nossa vida. As próprias relações amorosas por exemplo (não, não vou desenvolver este vasto tema, pois aí já é demais pra um domingo à noite. Fica aí, pra pensar...)

Por isso a idéia da grande espiral é interessante. Às vezes eu me vejo numa grande espiral. Olho em volta e acho que estou no mesmo ponto. Empacada, estacionada em uma série de coisas. Mas aí quando olho melhor percebo que estou andando em uma grande espiral e não estou no mesmo lugar; estou na verdade em um degrau acima – ou melhor em uma argola além, já que a própria idéia de degrau não procede em certos casos. Por isso a falsa impressão de que estamos no mesmo lugar. Na verdade estamos, mas um pouco acima. Ou um pouco abaixo, dependendo do referencial adotado.

Mas que é foda é. Ainda mais domingo à noite. Ainda mais em Gotham City onde o céu é rosa - não num sentido bucólico, mas num sentido Blade Runner - a chuva é ácida e amanhã terei que deixar a bat-caverna, e voltar a luta contra o crime...

5 comentários:

Ila Fox disse...

O melhor dia da semana para mim é sexta-feira, pois ele promete e cumpre um final de semana, você acorda na sexta, trabalha e sabe que logo o descanso chega.
Agora sábado você sempre fica naquela expectativa de que vai rolar algo legal e quando vê não rola nada além de faxina, compras e Tv. Domingo então, putz, eu já acordo com pressão muito baixa, a maioria dos meus animais de extimação morreram num domingo, a maioria das minhas brigas feias acontecem no domingo, e a gripes e as crises existenciais sempre acontecem no domingo! Argh!!!

anna v. disse...

Ler Borges deixa a pessoa com seqüelas. Boas seqüelas.

Cris disse...

se eu não estou completamente esclerosada, acho que na "biblioteca de babel" também rola um lance de espiral. não me lembro direito; tenho que ler de novo. você acredita que borges habita minha mesinha de cabeceira já há alguns meses? junto com a biografia de wittgenstein que comecei a ler agora. e a bendita tese é meu pesadelo. quando penso que também só tenho mais dois anos tenho vontade de surtar. é muito pouco pra tudo o que tenho que fazer!! dá medo, dá sim. mas agora o que me tira o sono é o exame de qualificação. três meses passam muito rápido. carrie, além de se interessar por assuntos estranhos (hehe), você faz pesquisa em que área? deu curiosidade agora. beijo!

Ila Fox disse...

Carrie, hoje é o aniversário da Giorgia do blog Coisas Bobas
http://www.coisasbobas.blogspot.com/

Mas ela está triste por que vai trabalhar um monte hoje, então para deixar ela mais feliz estou deixando muitas mensagens para ela em nome de algumas celebridades: Rodrigo santoro, Silvio Santos, Clodovil...
Etão achei que seria legal você e o Padre Quevedo dar uma passadinha por lá também! o que acha??

Beijos!

M.Eduarda disse...

Eu detesto domingo à noite e segunda feira... dá uma preguiça começar tudo de novo...
beijos