domingo, novembro 26, 2006


Botecos lotados; mesas de ferro na calçada; churrasquinho; cerveja; gente de sunga; sal; marca de sol; pele-pimentão; cabelo louro-verde; PM sendo assaltado em pleno shopping e matando o sujeito (viva! Medalha nele!*); socialite morta por ladrão de bicicleta no Leblon (Oh! Que horror! O Leblon já não é mais o mesmo! Guerra civil!**); pele oleosa; maquiagem derretendo; cabelo grudando - tudo grudando – barrigas de cerveja livres; chinelos; pés cascudos; cangas; lacinhos de biquini; areia; compra sorvete pras criança, Shirley!; pessoas sorridentes pelas ruas porque está fazendo sol, então foda-se se a cidade tá um caos, foda-se tudo, porque tá fazendo sol e só isso já vale à pena; arrastão; sol até às 7 da noite; praia lotada; câncer de pele; mancha; sol; micose; envelhecimento precoce; sol, sol; pereba; ruga; praia suja; areia suja; sol; engarrafamento; shopping lotado.


Sorria. O verão ainda nem chegou.

* Ironia.
** Ironia negra.
(Linda Blair é possúida pelo demo e bota o tamanho de letra que ela quiser. Nem ela, que é acostumada a líquidos estranhos sendo expelidos do seu corpo a todo momento, tem coragem de ir a praia no Rio. Contatos, reclamações e gosmas verdes sob encomenda: lindablairpossessa@yahoo.com.br)

12 comentários:

Celso disse...

Carrie, querida, duas coisas; 1) medalha mesmo para o PM, esse é dos meus, e para isso eu pago impostos; 2) lamentável e triste o assassinato daquela bela mulher, sorridente e feliz, por um verme desses que andam pelas ruas de nossa cidade; e 3) ontem eu quase dancei, pois eu peguei uma carona no Citroen de um amigo meu, que me deixou aqui no Flamengo, e por volta de 12h30, no sinal, um jovem forte, saudável, bom pra trabalhar, mas VAGABUNDO, parou na frente do carro e puxou um revólver. No entnato, como meu amigo é policial federal, ele ao mesmo tempo puxou uma pistola e ambos apontaram um para o outro, mas o "excluído" e "vítima histórica da escravidão" não encarou, saiu correndo com medo.
Bjs.
PS: Eu odeio o verão, pois não me dou com o clima desta cidade.
PS2: A menos que você me convença, eu não consigo ver a ironia da morte da socialite. Talvez você esteja sendo irônica por que isso não aconteceu contigo.

Anônimo disse...

Mas concordo com você que todo verãoé essa ladainha que você descreveu, e não fosse a campanha que o verãoé bom, é legal, blá blá blá, as pessoas naõ conseguiriam nem sair de casa com o calor de 40 graus. Eu só sai para trabalhar, pois, em final de semana, só saio a noite visto eu não aguentar esse sol horrível e escaldante.

Linda Blair, possessa disse...

Celso, meu anjo,

Sei q essa revelação pode parecer bombástica para vc, mas eu não sou a Carrie. Nós somos pessoas diferentes.

Vamos lá então:

1) Não vou entrar na discussão sobre a medalha.

2) Não é a morte da mulher q é ironia. A ironia é q milhares de cidadãos honestos como vc, q pagam os seus impostos como vc, mas q por um azar e uma infelicidade não moram no Leblon e sim no Vidigal ou na Rocinha, q morrem todos os dias. E ninguém se importa. Mas qdo é no Leblon, "oh...q coisa horrível". Claro q é horrível. Aliás, é muito mais do q horrível. É inaceitável. Há muito tempo já se tornou inaceitável. Pena é ter sempre q morrer ninguém do Leblon pra q as coisas se tornem horríveis. Guerra Civil já existe há décadas nos morros cariocas, inclusive com toque de recolher.

3) Já fui assaltada, duas vezes, de arma na cabeça. Nem por isso acho q o "verme" tenha q morrer. Mas tudo bem. São pontos de vista.

Espero ter esclarecido todos os pontos.

Cordiais saudações

Linda Blair, possessa disse...

PS: Eu não tenho nem palavras pra descrever esse episódio narrado por vc e seu amigo. Se fosse um amigo meu, eu matava o cara por ter reagido a um assalto do meu lado. Mas...cada um sabe os amigos q tem. Diga-me com quem andas...

VanOr disse...

Linda, Celso:

1) Eu acho a morte da socialite uma ironia. Sinto muita pena por ela e por todos nós, mas é impossível não ver no episódio uma manifestação inequívoca dos efeitos colaterais dessa fantástica concentração de renda.

Não sou socialista e nem contra os ricos, pelo contrário: gostaria muito de ser rica, e ainda serei, com muita sorte e algum esforço.

A ficha de que estamos todos no mesmo barco -- e não há porra de blindagem alguma que nos isole disso -- está começando a cair; arranhando nossa garganta e cortando nossas entranhas, como deve ser pra que faça surgir algum movimento que nos tire dessa inércia. Continuar vestindo branco, abraçando a Lagoa e querendo remover a Cruzada do Leblon porque desvaloriza os imóveis no entorno é que não dá mais. (ah, fiquei nervosa!)

2) sobre o episódio com amigo do Celso, passei por algo semelhante com um amigo, que ligou uma sirene. A sorte é que os vagabundos em questão não estavam dispostos a tudo, porque se estivessem, o final teria sido bem diferente. E talvez o Celso estivesse hoje abraçando a Lagoa e ostentando um inócuo adesivo de Basta! no vidro de seu carro. Em qualquer caso, continuaríamos fodidos e mal pagos, com uma arma existencial carregada de pessimismo sobre nossas cabeças.

Celso disse...

Van,
Talvez eu nõa aguente mais, essa é a verdade. Entre dezembro de 2004 e maio de 2005 dois amigos de infância foram assassinados por marginais. Parece mentira, mas juro que não é. Dois.

Celso disse...

Bem, Linda, esqueci uma coisa: tenho vários amigos policiais.

Celso disse...

Bem, Linda, esqueci uma coisa: tenho vários amigos policiais.

Ila Fox disse...

Só tenho uma coisa a dizer:

ODEIO VERÃO.

Ficaria mais feliz se ao invés de efeito estufa estivesse vindo por aí a era do gelo.

É muito mais fácil se manter aquecido num inverno do que fresquinho num verão escaldante.

Cris disse...

cê tá de sacanagem. há três anos que venho cultivando um branco total radiante lindo e agora essa história de verão? três anos sem pisar na praia. ir a ipanema me dá urticária. não, verão, não. oh, fuck!

Cris disse...

tá, agora entendi. achava que linda, carrie, padre quevedo e adjacências era tudo a mesma coisa. eu sou uma pessoa sem-loção. e lerda total. sorry.

Carrie, a Estranha disse...

Ou são?