segunda-feira, fevereiro 01, 2010

Gisele Bündchen e a dor do parto.

Saco cheio dessa Gisele Bündchen. Depois de afrontar as mulheres, dizendo que ela pode comer de absolutamente tudo em qualquer quantidade e tem aquele corpo (eu tinha um ex-namorado que dizia que ela tinha um “alto” perto da garganta que é de quem vomita com freqüência, mas eu não chegaria a tanto) vem agora dizer que ela teve um filho em casa, de parto normal e não doeu NADA??!!!

Deixa eu ver se eu entendi: a pessoa tem a buceta trespassada por um crânio de bebê sem nem uma morfinazinha, sem nem uma dose de pinga, e não sentiu NADA? Estava tão concentrada no filho que não doeu NADA??

E a minha pergunta é: pra quê? Parto normal é uma coisa. Parto com sofrimento é outra. A justificativa dela é porque queria “estar presente o tempo todo”. Oquei, a próxima vez que ela tiver que fazer uma cirurgia qualquer, que tal fazer sem anestesia, para que ela “esteja presente o tempo todo” e sinta o seu corpo expelindo o mal? Qual a diferença? A diferença é que mexeu com a sagrada função da procriação.

Eu sou super a favor do parto normal, entendo os benefícios, acho um crime essa indústria da cesariana e bla bla bla (ainda que eu tenha amigas médicas e fisioterapeutas que dizem não ter parto normal nem fudendo, pois as chances de se ter um neném com anomalias cerebrais é muito maior com o trauma do parto normal; mas aí outros médicos vem e dizem que no caso de um pré-natal bem feito isso não acontece, enfim, não quero entrar nessa celeuma). Mas qual o problema de ir pra um hospital e tomar uma anestesiasinha daquelas locais, em que a mulher fica consciente o tempo todo, faz força, mas só alivia um pouco? E rolar uma costurinha depois?

É engraçado como o parto normal x cesariana vive uma contradição absurda no Brasil. Se por um lado ouve-se esse discurso sobre o parto normal sendo martelado dia e noite, por outro somos campeões de cesarianas. Mas a mulher que sonha com um parto normal e não consegue – porque não dá mesmo – se sente extremamente frustrada. Eu vi a minha cunhada quando não conseguiu ter parto normal como ficou frustrada. Temos que lembrar que a cesariana foi uma invenção que poupou da morte milhares de mulheres que morriam de parto todos os dias no mundo todo.

Eu tenho uma amiga que fez ioga para gestantes com uma mulher no Rio super conhecida e famosa por incentivar práticas naturais. Só que a mulher bota tanta pressão pra ser tudo mega natural que as mulheres que não conseguem um parto normal se sentem mal. Como se, de alguma forma, tivessem culpa. Que nem mulher que tem pouco leite. Mais uma vez cito minha cunhada. Ela tinha pouco leite. “Ah, isso não existe”. Eu vi! Ela fez tudo pra menina mamar. Não dava Nan de jeito nenhum. Resultado? A menina é abaixo do peso até hoje e não come nada.

Eu sou mais a favor das pessoas fazerem o que agüentam. Se não agüenta a barra de ter um filho de parto normal é preferível ter de cesariana e fim de papo. Vai causar menos dano do que se forçar a fazer uma coisa que não quer de jeito nenhum.

Agora, ainda por cima vem essa mulher falar sobre um parto natural, em casa e ainda por cima que não doeu NADA??!! Super mulher, cara! Faz a todas nós nos sentirmos realmente a mosca do cocô do cavalo do bandido. Tudo pra ela é facílimo. Só a gente que toma porrada na vida, né? Tá certo.

Gisele Bündchen me ofende.

13 comentários:

Paula M. disse...

Olha, eu tive parto normal, sem anestesia, mas foi pq não deu tempo do anestesista chegar mesmo. E, na real? Dói PRA CARALHO.
Papo furado de quem quer aparecer dizer que não doeu nada.
Ódio dessa magrela! ahahahahha (inveja mode on)

ila fox disse...

Será que o "não doeu nada" na verdade quer dizer "não doeu tanto quanto imaginava"?.

Eu por exemplo depilo na boa. Tem mulher que chora de dor até na hora de tirar sobrancelha. Dorzometro é algo muito pessoal... como ela teve o bebê numa banheira quentinha, em casa, ao invés de ser naquele hospital estressante, talvez não tenha doído taaaanto mesmo. ;-)

***GrAzI disse...

A vida é injusta: além daquele corpo e daquele belo espécime masculino para chamar de marido, pelo jeito ela tem alta tolerância a dor!! Vai saber, né?? Ou é falto de "semancol" mesmo! rsrsrsrs...
Beijos!!
PS: Cadê fotos do cruzeiro??? rsssr

Flavia Oliveira disse...

Ai Carrie, esse assunto é tão polêmico... mas olha, conheço diversas mulheres que tiveram parto natural em casa, sem anestesia, algumas na banheira outras na cama mesmo e todas dizem que, sabendo respirar e tendo ajuda de uma doula (que faz massagens e outras técnicas de alívio natural da dor - a própria água quente é uma delas) realmente não sentiram dor.

Acho louvável ela levantar essa bandeira num país com taxas altíssimas de cesariana, principalmente na rede privada. No Brasil, parto normal é tido como coisa de pobre.

Eu tive parto normal. Não foi natural por muito pouco. Juntou cansaço, falta de paciência do médico entre outra coisas e rolou uma anestesia básica no final, mas só para eu poder descansar e recuperar as forças para o período expulsivo. Assim que a anestesia passou eu voltei a fazer força e minha filha nasceu. Eu posso dizer que cansa muito mais do que dói.

Ainda tem a questão que dor é uma coisa muito individual, né? Tem mulher que faz sexo anal - e muitas adoram - e outras não podem nem imaginar uma coisa dessas...rs

Enfim, como eu disse é um assunto bem polêmico.

Beijos!!

Se o "se" não tivesse ficado só no "se" disse...

Até agora eu n entendi a ação de marketing nesse caso...ok vou ser psicóloga, n publicitária, mas eu juro que me esforcei...

Carrie, a Estranha disse...

Ok, meninas. Sei q é um assunto polêmico e, com certeza, vcs, Paula M e Flavoli, q já tiveram filho podem falar melhor do q eu. Minha mãe teve quatro filhos de parto normal - acho q com uma anestesiasinha básica, em alguns, não sei ao certo, e diz q não sentiu nada. Minha birra é com a Gisele Bündchen! Pô, a mulher nem dor sente? Rsrsrsrs... E sei lá, Ila, já q "não doeu tanto qto ela pensava" pq não dizer "não doeu tanto qto eu pensava"? Tem diferença.

Sei lá, gente. Sei lá. Só acho q é tudo muita perfeição pro meu gosto. Minha crítica é esta. A mulher nunca fraqueja. Caralho. Não q eu esteja "gorando". Deus a conserve assim. Mas q fica um tanto frustrante para mulher normal, isso fica. Se esse é o modelo de mulher, realmente tá difícil atingir.

Bjs

ila fox disse...

Taí Carrie, qual seria o defeito de La Bündchen?

Será que ela tem bafo? beija mal? cozinha mal? tem joanete e pé de atleta?

Algo a se pensar... O_O

nervocalm disse...

Adorei! Mas o que dói mesmo é pensar que é possível. É possível que além de ser linda, alta, loira, rica e bem-sucedida, ela tenha sentido pouca dor no parto (ou sabido levar a dor numa boa), e tido um filho saudável sem nenhuma complicação no processo. É possível que tudo tenha sido mesmo perfeito pra ela que já é meio perfeita. Se você for pensar bem, tem comédia nisso.

Carrie, a Estranha disse...

Bel,

Né? Realmente trata-se de uma raça superior de mulheres.

Ila,

É. Deve ser. Mesmo assim são defeitos menores.

Ah é, gente: e ainda doa 1,5 milhão de dólares pro Haiti. Quer dizer...tomanocu. É o Bono Vox de saias.

Idoca disse...

Tem quem morra de medo de depilar.
Tem quem se cague (literalmente) de medo de sexo anal.
Tem quem ache parto normal algo banal.

La Bundchen não é uma reles mortal. Tem um dedo sujo naquela porra.

Parto normal, nem morta.
Dois filhos, duas cesarianas.

O cara inventa o MILAGRE da anestesia e eu vou sentir dor? Fala sério.


Beijos,
Idoca

Jussara disse...

Acho impossível não ter doído. Eu não vi a entrevista, mas uma amiga falou que depois ela dourou a pílula e disse que transformou a dor em impulso pro filho dela vir ao mundo; ou seja, ela sentiu dor, sim. Já ouvi mulheres que disseram ter parido super rápido, quase que no susto, e daí sentiram pouquíssima dor; mas não sentir nadinha, acho difícil. Até pq antes da dor do parto têm as contrações.

Lua disse...

Carrie, parece que este tema foi feito para mim, estou com 6 meses de gestação e tenho que decidir hoje se tentarei o parto normal ou se já marco a data da cirurgia...
Minha escolha inicial é pela cesária por uma questão de comodidade(sei que soa feio falar isso) mas o meu marido só poderá estar presente no parto se ele tiver uma data certa, pois ele está morando em outro estado no momento.
Acho lindo esse lance do parto normal e humanitário, e até pensei mto em fazer um parto normal, mas penso que temos que nos adequar àquilo que a nossa realidade nos permite,sem nos sentirmos pressionadas e/ou frustadas por não sermos, ao menos naquele momento, "politicamente corretas"....
bjoss!!

Carrie, a Estranha disse...

Lua,

Sim, acho exatamente isso. Se é importante o seu marido estar presente e se vcs estão com este problema de morar em locais diferentes, logo o mais saudável PRA VC será uma cesariana. Acho q cada caso é um caso.

Bj