quinta-feira, agosto 20, 2009

Surpresas ao amanhecer

Vinte pras sete da manhã. Vou eu, que dormi às duas, ao banheiro. Tonta de sono, escuto a chuvinha que cai e penso: ah, ainda dá pra dormir até umas oito. Volto pra cama. A casa já naquela penumbra do amanhecer. Nem precisei acender a luz. Fecho a porta do meu quarto. Niqui sinto um peso caindo no meu cabelinho lindo e sedoso. Algo que escorre e passa meio gelado por parte do meu rosto, mas que eu imediatamente zuno longe. Na penumbra do quarto, só vejo um vulto esbranquiçado correr pra debaixo do rack da TV. Acendo a luz – após ficar paralisada por alguns segundos. Abaixo pra ver se tem algo no rack. Nada. Vou lentamente olhar atrás. Eis que vejo, enorme, reluzente, estática e parada na parede, olhando pra mim, com a cabeça meio lavantada: uma lagartixa. Praticamente um lagarto. Quase um jacaré.

Iach! Iuw! Que noooojo! Socorro! Odeeeeio lagartixas com toda a força de meu ser! Sempre odiei. Sempre tive medo. E o pior é que eu pedia pro meu pai matar as lagartixas que sempre apareciam no meu quarto e ele vinha com papos ecologicamente corretos, que elas são importantes, porque comem os insetos e bla bla bla e o máximo que ele fazia era tocá-las pra fora. Aloooou!!! Eu quero 10 insetos, mas não quero esse bicho nojento no meu quarto. Eu mato 10 baratas, mas não me deixe sozinha com uma lagartixa. Eu não sou como a minha amiga Baila que sequer pode ouvir a palavra “lagartixa”, que já chegou a chorar de tanto medo, que procurou ajuda psicológica por causa disso, mas sou quase.

Sem contar que sempre escuto histórias escabrosas envolvendo lagartixas que despencam do teto nas pessoas. Meu tio avô Zezé morava em uma casa muito antiga lá em Andrel e uma vez caiu uma na testa dele, enquanto ele dormia.

E, na boa: por que lagartixas caem tanto do teto? Tipo, eu também gostaria de andar pelas paredes e teto, mas não faço isso, porque não dá. Eu caio. Já que elas caem tanto deveriam pensar porque subir no teto.

Fiquei estabelecendo teorias do porquê dela ter caído justo na hora em que eu entrei no quarto. Pensei até se ela teria caído no banheiro ou na sala e foi andando pela minha cabeça, mas não. Eu senti o peso dela caindo na minha cabeça (ela era obesa) – plec – e o nosso desespero mútuo: eu em tirá-la e ela em fugir.

Será que ela estava no troço da porta (batente? soleira? umbral?) e no que eu passei eu a arrastei com a porta? Não, mas aí o mais provável era que eu a jogasse pra longe. Ela não ia cair na minha cabeça. Ou ia? Mas, se não foi isso, o que foi? Ela estava parada no teto e resolveu despencar justo na hora em que eu passei?

Aí cheguei a conclusão de que ela devia estar dormindo no teto. Com o meu barulho, ela acordou. “Hãn? Oi? Oooops!”. E meio obesinha, coitada, quando viu, caiu.

Peguei meu travesseiro e bati lá no quarto da Bibi, pedindo abrigo. Eu que não ia ficar no mesmo quarto que aquele ser melífluo e gelatinoso. Mas já eram quase sete e, coitada, ela acordava às sete. Daí eu também levantei.

O pior é que ela, a lagartixa, ainda deve estar aqui muito perto. Uma das estantes que o Rui aparentemente fixou na parede deu uma tombada pra frente. Isso depois de eu colocar uns duzentos livros em uma mesinha retrátil que faz parte da estante. Daí deve ser o esconderijo perfeito. Elas devem estar lá se reunindo em bando e pensando em como derrotar a grande humana branca e gorda que cohabita o quarto delas.

E o que eu tenho mais pavor em lagartixa é o caráter Jason delas. Você mata, mata, e a bicha tá lá, pulando. Não morre. Me lembro de uma que apareceu no meu apartamento no Rio e fugiu pra cozinha. Daí foi pra trás da geladeira e eu joguei-a (a geladeira) em cima dela. Ela ficou esmagada por aqueles ferros detrás da geladeira e eu consegui varrê-la pra fora.

Definitivamente não foi uma maneira boa de se acordar.

10 comentários:

ila fox disse...

Carrie,

Quando minha mãe estava gravidíssima de mim. Uma lagartixa caiu no meio dos peitos dela. Ufa, ainda bem que não tive trauma por isso!

Já fui vitima das lagartixas varias vezes, mesmo não tendo medo eu me assusto toda vez que isso acontece.

Da ultima vez eu estava na área da minha antiga casinha quando senti um "tapa" no meu ombro. Fiquei super encanada, por que eu estava sozinha. Ai de repente eu vi que não foi um tapa, foi uma lagartixa que tinha caido no meu ombro. NHAA!

Da outra vez eu estava estudando, e ai escutou o famoso "PLACT" na mesa, bem na minha frente. Pior que a coitada ficou travada. Não sei de dor, ou de medo, já que a visão de um humano bem de frente com ela tbm deve ser muito assustador.

Ah, e meu gato Vinil vivia me trazendo lagartixas. E VIVAS.
Acho que na cabecinha felina dele, ele pensava que como toda vez que ele trazia uma delas, eu corria atrás dele para salvar a pobrezinha, era por que eu gostava. E dá-lhe trazer lagartixas de presente. :-P

Eu tenho medo e nojo mesmo é de barata!

Minha experiência traumática aconteceu uma noite (parece coisa de filme de terror né, onde o assassino só trabalha no escuro), eu fui pegar a ração dos gatos, enfiei a mão no pote e senti umas patinhas correndo pelo meu braço até se enfiar embaixo da minha camiseta. Olhei por dentro da gola e vi duas anteninhas na minha barriga. Aiii! imagine uma pessoa saracoteando de madrugada no meio da cozinha, esta sou eu!

Por isso que gosto de lagartixas, elas comem as malditas e nojentas baratas. Urgh

trinity disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
trinity disse...

"Caráter Jason" kkkkkkkk, muito bom isso!


Meu problema é barata, a única coisa que ela me ajuda é no regime porque ver uma me tira o apetite.
Eu enfrento sapos, escorpiões e ratos, mas barata eu faço escândalo.
Quando eu era criança criada pela minha tia porque minha mãe estava doente uma barata voou sobre mim dentro do salão das TJ, foi uma beleza!

Já tentei enfrentar o medo aceitar que ela é um bichinho "envernizado" e que sem elas não haveria tubulação de esgostos, mas mesmo assim ainda não consegui!

ila fox disse...

Trinity,

Ai, certeza! barata tbm me tira o apetite! por isso que evito ao máximo matar uma a chineladas. A visão da barata toda destrinchada me enoja! urgh

Por que não haveriam tubulações nos esgotos? pra que ela serve afinal? vc descobriu?? hehe

Mama and Papa disse...

Carrie querida do coracao:
Meu pai dizia que lagartixa trazia sorte...
eu me lembro que qdo era pequena falava para ele qdo eu via uma: pai, encontrei um jacare pequenininho.....
ja vi algumas por aqui, em jardins..
agora, o que tem de camundongo em NY heim?...
Beijos

Carrie, a Estranha disse...

Ah, meninas... eu prefiro baratas. Enfrento baratas. Agora, rato, aí é realmente pesado. è o único desses bichos nojentos q eu não enfrento. e o único pior q lagartixa.

Bjs

Cris-RJ disse...

O horror, o horror! Como você, também pactuo do nojo imenso por este bicho asqueroso! Bleargh! Pior não é isso: quando mudei para cá (quase vizinha da Gotham City), é muito comum ver "calanguinhos" correndo nas praças e algumas ruas. Afeeee... calanguinhos (sei lá e não quero saber o nome destes seres abissais), para mim, são lagartixas oversized, manja? Blearghs duplos....

Carrie, a Estranha disse...

Siiim! Aqui tb há muitos calangos. Onde vc mora?

Marcele disse...

Carrieeee, eu definitivamente ODEIO lagartixas!!! Tb mato baratas, enfrento mesmo...até aquelas gigantes e voadoras, mas lagartixas e bruxas me tiram do sério!!! rs.
Bjão...

ila fox disse...

Carrie,
Ratos eu tenho dózinho quando meus gatos traziam de presente. Até cheguei a salvar alguns, mas morria de medo deles me morderem.