segunda-feira, junho 08, 2009

Planos para o segundo semestre

E por falar em emagrecer, Formiga Mãe fez proposta indecente para mim. Ela disse que se eu emagrecesse dez quilos (depois fechamos em 11,6 kg) ela deixa entrar um cachorro nessa casa.

Como vocês sabem, minha mãe tem verdadeiro pavor de cachorro. Não é que ela não goste, nem tenha medo, ela simplesmente tem ojeriza, pavor, odeia, detesta, não consegue entender como um ser humano pode gostar de um ser irracional e todos os argumentos de quem não gosta de cachorro geralmente utiliza. Ela tem pavor de focinhos e lambidas e tudo que um cachorro possa fazer com ela.

Aqui em Versailles temos uma vasta área verde ao redor do castelo. Ok, não tão vasta, um quintalzinho modesto. Claro que o cachorro ficaria lá, não entraria em casa, eu cuidaria dele, incluindo gastos financeiros. Mas nem assim ela concorda. Mas como vou ficar aqui pelo menos mais um semestre e não está nos meus planos alugar um apê tendo direito a 1/6 da propriedade real, vivo tentando negociar com a Formiga Rainha sobre este quesito.

Pra vocês terem idéia do quanto ela odeia gente gorda. Ela prefere aturar um cachorro do que me ver ligeiramente obesinha – segundo os cálculos de IMC eu estou naquela primeira fase, “sobrepeso”, não sou nem obesa ainda. Ok, não preciso esperar ficar pra fazer alguma coisa, mas me impressiona o pavor que a minha mãe tem de nos ver gorda (eu e Formiga Sister, já que Formiga Sênior tem o peso controlado há décadas).

Minha mãe foi miss, gente. Pesou 45 quilos – tem quase 1,70. Quando estava de oito meses de um dos meus irmãos uma amiga no supermercado perguntou se ela tinha perdido o filho. Mesmo tendo tido 5 filhos, sendo quarenta e um anos mais velha do que eu e quase da minha altura ela ainda pesa mais de 10 quilos abaixo de mim. Bizarro. Ela acha que quem gosta muito de doce tem uma falha moral. Hoje em dia ela come um pouco mais de chocolate, mas mesmo assim adora dizer: “eu não como doce”. Acho que ela tem vergonha de mim. Ok, ela tem orgulho de eu ser dotôla, ser inteligente, diz que eu sou bonita...mas ela não entende como uma pessoa inteligente, bonita e capaz não consegue emagrecer. Ah é: mamãe é daquelas que come roscas açucaradas de café da manhã e café da tarde e parte a manteiga feito queijo. E não engorda.

Minha mãe tem vergonha das minhas roupas, também. Ela diz que minhas roupas são todas iguais: umas blusinhas com uns botaozinhos e saias. Que eu sou muito simples e que eu preciso usar roupas mais extravagantes. É, minha mãe é meio perua e gosta disso. E ela detesta que eu saia de roupa branca. Me manda trocar. Por ela acho que eu saía de preto dos pés à cabeça todos os dias. Eu gosto muito de preto. Mas é que tem dias em que dá vontade de usar outra cor. Tem dias em que o calor é insuportável. Enfim. Eu sei que é para ao meu bem e provavelmente ela vai chiar ao ler esse post. Ok, posso ter exagerado um pouquinho, mas é quase isso.

Fi-la assinar um documento digitado por mim com essa promessa e fiz duas testemunhas assinarem – Formiga Irmã e Formigo Primo (também conhecido como Aspira Bündchen, cuja total incapacidade de ingerir açúcar o faz ser tão magro quanto à referida modelo, mesmo comendo pratos de pedreiro no almoço. Sim, minha família só tem maluco. Tenho outro primo que não bebe água, mas deixa pra lá). Aí ela titubeou, ameaçou voltar atrás, eu disse: “ok, você tem até amanhã à noite pra resolver. Depois que bati o martelo, acabou”. Ela disse que não, tudo bem. E não voltou atrás. Vocês estão de provas.

Aí ela ficou dizendo que eu vou lucrar duplamente, pois vou emagrecer e ainda poder ter um cachorro. Uai. Pobrema! Quem mandou propor tal trato maluco?

Conversando com Formiga Irmã:

- Se a mãe cumprir o trato e concordar com o cachorro é porque ela detesta mais gente gorda do que cachorro.

(Formiga Irmã): e se você emagrecer por causa de um cachorro é porque você gosta mais de cachorro do que se você mesma.

Será?

Fiquei pensando: em todas as fábulas sobre animaizinhos de estimação e cãezinhos, eles não vêm para nos salvar e nos lembrar de valores que havíamos esquecido? Então. Quem sabe?

Daí estou analisando opções de adoção – sim, eu não vou comprar, afinal “um amigo não se compra” e “pet legal não vende animal” e com tanto cachorrinho precisando de casa e os abrigos aqui de Gotham lotados de cãezinhos não quero comprar. Ao mesmo tempo, queria um filhote, pois não tenho muita experiência (bem sucedida, pelo menos) com cães e acho que deve ser mais fácil pegar um novinho. Recebo sempre e-mails de doações e recebi há pouco tempo um com uma ninhada de labradores (chocolate, preto e claro. Sim, dando). Mas eu quero cachorro pequeno ou médio, no máximo. Amoooo basset hound. É meu cachorro dos sonhos. Se alguém souber de doações dessa raça pode me avisar. Mas vai ter que ser pra daqui dois meses e meio, que é o prazo que eu me estipulei pra emagrecer. Minha mãe disse pra eu tentar “um cachorro tipo o Rodolfo e o Tinho, da Raquel. Pelo menos eles são quietinhos e não enchem o saco. Ao contrário, vocês é que ficaram perturbando os cachorros quando fomos lá”. Traduzindo: daschund. Os cachorros da Raquel são Daschund. Então quem souber de Daschund avise.

Outro cachorro que eu me animei foi um Shin Tzu. É que eu tenho que pensar que posso me mudar pra um apê e ter que levar o cachorro. Então tem que ser até médio. Cocker Spanniel, também.

E viralata, Carrie? Não tenho nada contra viralatas, acho-os muitos simpáticos, espertos e inteligentes. Mas é que eu tenho a idéia de que um cachorro de raça eu terei um controle sobre como será o temperamento dele...tô errada? Preciso de um cachorro dócil, brincalhão e carinhoso. Tenho medo de que, pela minha falta de habilidades eu não dê conta de criar um cachorro mais agitado. Nós aqui em casa tivemos uma péssima experiência com a finada Tutty (que o Céu dos Cachorros a tenha), que era pastor belga e era muito indisciplinada. Ok, várias coisas influenciaram e não quero retomar isso. Meu pai conseguiu convencer mamãe a tê-la. Desconfiamos que ela tinha problemas mentais. Ou talvez fosse a convivência aqui em casa.

Bom, mas o anúncio tá feito. Quem souber de doações no Estado do Rio, favor avisar.

Muitos planos para o segundo semestre. Consegui um emprego – ieiiii!!!! – em uma universidade local, particular e tenho chances ainda em outras duas. Torçam por mim. Fora isso teremos o projeto “Um caozinho por 11,6 kg” e mais várias idéias. Fique com a gente!

20 comentários:

Marcia disse...

Na qualidade de amante de cachorros e protetora animal, te mando minhas dicas e comentários:
1)Acho muito arriscado vc adotar um cachorro para ficar na casa de sua mãe, se ela tem tanta ojeriza como você assim o diz. Pense muito antes de concretizar a adoção. Lembre que um cão, quando bem tratado, vive de 12 a 15 anos. Você terá um compromisso com ele até o fim de sua vida. Você (e sua mãe) está preparada para isso?
2)Adote um cão adulto. É a melhor coisa que você pode fazer. Filhotes roem tudo, comem sapatos, fazem buracos no jardim, choram à noite. Dão muito mais trabalho. Se vc não em experiência com cachorros, é melhor começar com um adulto. Se você tiver amor pra dar, já é um ótimo começo! Eu adotei dois cães adultos na SUIPA e a adaptação foi super rápida. Em dois dias já sabiam onde era o banheiro deles. Cães adotados em abrigos se acostumam rapidamente a uma casa onde tenham amor, carinho, atenção e comida. Se você pretende deixar o cão somente do lado de fora da casa (coisa que sou totalmente contra, pois cães gostam e precisam da companhia de sua família), um filhotinho sofreria horrores, choraria a noite toda, pois sente falta da mãe, da ninhada.
3)Não pense que por ser da raça A ou B você vai saber como será seu temperamento. No máximo vc saberá o tamanho que ele vai ficar. Existem milhares de criadores sem escrúpulos por aí, criando cachorros foram dos padrões das raças, só pensando no lucro que vão ter. Por isso há, por exemplo, labradores ferozes e que não gostam de crianças, quando deveriam ser exatamente o oposto, e cães com desvios de comportamento. Vira-latas são the best. São produto do aprimoramento natural da genética, da seleção natural. A cadela de rua quando está no cio escolhe seu parceiro através de seu instinto e sempre escolhe o melhor. É raro vc encontrar um vira-lata com problemas de pele como um shar-pei ou bulldogue, ou com displasia coxo-femural como um labrador ou pastor alemão, ou com problemas de otite crônica como um basset hounds ou cocker. As melhores características são preservadas na mistura. Quanto mais vira-lata melhor! Além disso, você faz uma super boa ação, já que a maioria das pessoas acham super chique ter cachorro de raça. Que nada, ter um vira-lata é super cool! Os cães de raça são os primeiros as serem adotados quando aparecem nos abrigos. Dê uma chance a um vira-la adulto (pelo menos a partir dos 8 meses!).

Posso te dizer por experiência de quem já teve muitos cachorros ao longo da vida, mas somente na idade adulta adotou cães de abrigo: eles são eternamente gratos por você tirá-los do inferno. O vínculo que tenho com meus dois vira-latas, adotados na SUIPA, é infinitamente maior do que o que tive com meus cães de raça que ganhei de meus pais.
Só te peço para não adotar por impulso. Pense muito. Pense que ele sente medo, dor, tristeza, saudade, alegria, tudo o que a gente sente. Um cão te dá tudo o que ele tem: amor incondicional e fidelidade. Esteja pronta para retribuir à altura.
beijos e boa sorte!

PS: Em tempo, aquele email dos labardores que vc recebeu é falso. É um spam antigo que rola pela internet.

trinity disse...

Carrie,

Basset hound são lindos é o cãozinho do meu sonho também.
Shin Tzu são fofos, porém é mto difícil vc achar filhotes em doação. Além disso ele vai dar trabalho e cu$to em triplo devido ao tamanho dos pelos.

Comportamentos caninos podem variar. Por toda vida vi basset hound calmos, até o meu vizinho ter um, super bravo!

Cocker tem problemas no ouvido direto!!

E o principal vc é uma pessoa que costuma viajar pelo jeito, e se vc não ensinar ele a ficar em "apês caninos" ou não tiver alguém para cuidar dele é um problemão.


Sucesso na sua dieta, trabalho e na adoção!

B. disse...

Oi Carrie, eu sempre leio seu blog só não sou de comentar, mas olhe só, você dificilmente encontrará cães de raça para doação. E você precisa levar em conta que cachorros de raça tem doenças genéticas específicas da raça, devido aos cruzamentos genéticos inter-familiares (como a displasia de quadril dos labradores e são bernardos). Quando alguém compra um cão de raça, geralmente procura saber sobre doenças nos pais e talz. E quando esses cães são rastreados para essas doenças, geralmente são de canis conceituados e obviamente não são para doação.
Eu já tive cães de raça (uma labradora, uma boxer, um beagle e um pequinês) e cãs vira-latas (ou sem raça definida no politicamente correto rsrs) e posso te dizer que os de raça tinham a saúde bem mais frágil, ficavam gripados, com dor de garganta...
A minha vira-lata está conosco há 7 anos e é uma pândega inteligentíssima. Aprendeu sozinha a cumprimentar todas as visitas dando a pata, anda atrás da minha mãe como uma sombra e NUNCA avançou em ninguém.
No meu orkut tem uma foto dela.
http://www.orkut.com.br/Main#AlbumZoom.aspx?uid=7043829624781066243&pid=1243217428298&aid=1243190694$pid=1243217428298

Espero ter te ajudado. Um beijão e boa sorte!
:-)

Anônimo disse...

As três falaram tudo, querida. Falaram de cães e eu falo de gatos. Porque, mesmo com todos os cuidados, vacinas, veterinários, etc. um dia você os perde, ou pq São Francisco veio budca-los ou pq eles saem de casa, se perdem e não voltam mais. Então a gente tem que estar preparada para sofrer. Essas criaturinhas de Deus nos conquistam , a gente se apaixona mesmo por eles. Gosto de animais mas, por causa da minha idade, da impossibilidade de "passear" com cães e por morar em apartamento prefiro gatos. E, siga o conselho aí de cima: adote e não ira se arrepender.
Ah... cuide-se, perca peso e coloque uma foto de miss pra gente ver.
Beijos
Maria Alice

ila fox disse...

Se sua Mamis não gosta de cachorro melhor não pegar um labrador. O_o

Ah, cachorrinhos bebês são uma diliça , mas dão um trabaaaaalho!

Eu sou mais gatinhos, pq são bem mais independentes e limpinhos. Mas se tivesse que escolher um dog seria também um vira-lata simpático, adoro!

Lá em casa já tivemos dois vira-latas e um poodle. O poodle viveu só sete anos e morreu toda doente, enquanto que as vira-latas viveram firme e fortes até os 15.

Pense com carinho na adoção, pq é uma baita responsabilidade.

Stella disse...

Sou super a favor de estímulos para que tenhamos perseverança. Não desistir no meio da dieta é muito difícil, exige muito da pessoa. E, é claro, quando você sabe que no final de tudo vai ter um "presente", fica bem mais divertido.

Não acho que é porque você gosta mais do cachorro do que de você mesma... vejo isso como uma recompensa maior por um esforço. 2 em 1, sabe?

Olha... nem sei de gente dando cachorrinhos. Eu bem queria um filhote de alguma raça pequena, daquelas que fica diminuta pra sempre. Mas é muito difícil de achar alguém que prefira dar do que vender pra uma petshop.

Beijo! E boa sorte com a dieta e com a busca dos cachorrinhos!!

Jussara disse...

Que legal, Carrie!
Eu amo animais e sempre os tive desde criança. Não acho que se vc conseguir emagrecer será pq vc gosta mais do cachorro do que de vc, vejo isso como um incentivo, ou talvez, como vc mesma disse, ele será como um animalzinho das fábulas que irá te ajudar...
Não acho que vira-latas sejam mais bagunceiros ou desobedientes. Eles são maravilhosos e super inteligentes e companheiros(e tem de todos os tamanhos!). E se vc for mesmo adotar -- o que acho ótimo! -- vc vai ver como esses animais de abrigos aprendem tudo rápido e são super limpos, por terem vivido nas ruas e em ambientes inóspitos. Mês passado eu tirei uma cachorrinha das ruas, ela me seguiu (eu fiz com que ela me seguisse, hehe) e ela era um doce, super limpa, super dócil e super esperta. Infelizmente, ela não sobreviveu mto tempo, pq já estava mto doente :'(.
Eu tb gosto de animais de raça, adoraria ter um labrador, mas acho os *viras igualmente fofos e "gostáveis". Eu tenho uma poodle (que foi tirada direto da rua, alguém a abandonou) e uma SRD, mas meus gatos são e sempre foram vira-latas e sempre foram ótimos. Acho que dão até menos trabalho do que os gatos de raça.
No Rio só conheço a SOS Vida Animal, eles não possuem abrigo e estão sempre precisando de adotantes, pois fazem o resgaste e o tratamento, mas não têm onde deixar. Se eu souber de algum na raça que vc quer, te aviso ;).

*Uma vez vi uma matéria com o Alexandre Rossi, ele é zootecnista e adestrador e tem uma vira-lata mto fofa e obediente (tb, com um "pai" adestrador... rs). Só sei que ele falou que compartilha a "guarda" dela com a ex-mulher. Parece que ela passa o dia com ele, e no fim da tarde vai pra casa da "mãe". Achei tão inusitado...mas só estou contando isso pra vc ver. Ele poderia ter um cão da raça que quisesse, mas preferiu uma vira-lata (o que não o impede de ter outros, pode até ser que ele tenha, não sei). Aqui tem um artigo que fala um pouco sobre ela:
http://www.caocidadao.com.br/midia_impressa_artigos.php?id=41

Desculpe o comment enorme.

ila fox disse...

Jussara,

Pois é, tem gente que compra cachorrinho de raça pq é bonitinho, não dá conta de cuidar e solta. Logo eles que são tão frágeis!

Estes tempos atrás meu pai estava de carro na estrada e viu um poodlezinho toy sozinho na rodovia. Lógico que ele parou para resgatar (até mordeu ele, de tão assustado que estava), ele deu água e comprou um quibe, o dog comeu tudo.
Aí ele levou o cachorrinho na veterinária, ela estava COMPLETAMENTE infestada de bicheira (larvas de mosquito), mais um dia e ela morria.
Meus pais gastaram mais de 200 paus num cachorro que nem era deles, de alguém q abandonou. Estão pensando em ficar com ela. O problema é q eles já tem 5 gatos e fica complicado adaptar todos... vamos ver.

Carrie, a Estranha disse...

Uau, pessoas! Vcs sabem mesmo sobre cães! Muito legais todas as dicas! Coisas q eu nem sonhava, tipo um cão adulto ser melhor pra uma "não-iniciada" como eu. Legal.

Marcia,

Vc é veterinária? caraca! Entende muito de cachorro! Eu nunca podia imaginar q um labrador tem displasia não sei das quantas.

Adorei seu comentário. Bom, qto ao fato de eu ter q colocar um cão perto da minha mãe por muitos anos...bom, na verdade não serão tantos anos, já q minha situação aqui é provisória. Acredito que ainda fique alguns anos, mas com certeza não deve ser mais do q 3, mais ou menos.

Considerarei todas as dicas q vc me deu. Muito importantes. Com certeza não será por impulso, já q penso nisso há muito tempo. E ainda tenho dois meses para pensar em todos esses detalhes técnicos - ou posso esperar mais. Na verdade eu tenho contato com o pessoal da Sociedade Protetora dos Animais aqui da cidade (até contribuo). Já é uma idéia q venho estudando seriamente há um ano. Desde que eu achei três cãs aqui perto de casa e cuidei delas até elas acharem um abrigo.

Maria Alice,

Nisso eu acho q os cães levam vantagens sobre os amigos felinos. Eles não abandonam seus donos. Pelo menos eu acho, não sei. Mas vc tem toda razão. Perdê-los deve ser barra.

Ila,

Mais uma a favor dos vira-latas.

Trinity,

É, minha diz isso. Mas eu teria alguém para cuidar dela(e) na minha ausência. Mas fiquei curiosa...como se "adapata um cão a apês caninos"?

B.,

Eu vi!! Ela é foooofa! Quis comentar, mas vc não aceita comentários de estranhos. Quis te add, mas tem q saber o e-mail. Minina difícil, sô! Rsrsrs...muito lindinha.

Stela,

É, eu tb penso assim. Um prêmio é sempre um incentivo a mais.

Jussara,

Que triste! Mas pelo menos vc deu um fim de vida confortável pra ela. Eu conheço a SOS vida animal. Aqui em VR temos boas opções de abrigos, tb.

Bjs, meninas e obrigada pelas dicas!

ila fox disse...

Carrie,

Gatos não abandonam seus donos. O que acontece é de a pessoa se mudar e não tentar uma adaptação lenta pro bichano, aí eles acabam voltando pra casa antiga.

Mas o mais interessante foi o caso de que alguns gatos que milagrosamente fizeram o caminho inverso do que conhecemos! os donos se mudaram, largaram o gato na casa antiga e ele conseguiu encontrar seus donos a 1.300 km de distancia, meses depois! existem vários casos assim! se eu achar o link eu te mando!

Jussara disse...

Oi, Ila,

Que tristeza. É verdade, os animais de raça são os mais frágeis e demandam maiores cuidados. É isso mesmo, mta gente compra animais enquanto são filhotes pq filhotes são fofinhos, mas depois que eles crescem os abandonam friamente. Eu li não sei onde que labrador é uma das raças que mais sofre abandono em SP, acho que por ser uma raça que tem bastante energia, dentre outras coisas. E alguns filmes como o do Marley e aquele dos dálmatas, acabam incentivando a compra desses animais e o seu conseqüente abandono :(. Que bom que ele encontrou seu pai, se não já estaria morto pela bicheira ou por atropelamento. Tomara que seus pais consigam ficar com ele e fazer a adaptação com os bichanos. Sempre tive gatos e cachorros e eles sempre conviveram bem, mas sei que nesse caso é diferente pq o cachorrinho será considerado um "intruso" pelos gatos -- donos da casa ;).

Carrie, eu tenho gatos desde criança e eles nunca me abandonaram :D. Isso é mais uma lenda e crendice que as pessoas que não gostam de gatos inventaram (não estou dizendo que é o seu caso, a gente acaba falando o que ouve, mesmo).
Ah, eu fiquei mto triste qdo a cachorrrinha morreu, chorei muito, mas é como vc falou :/.
Independente do SOS, se eu souber mais pra frente de outros candidatos à adoção, te falo. Se vc mudar as preferências por raças e etc., até lá, nos avise, please.

Carrie, a Estranha disse...

Meninas,

POis é, achei q gatos fossem mais sujeitos a abandono. Pré-conceito meu. Mas tenho medo de q, morando em uma casa grande, o gato "suma" aqui dentro, sacou? E tem muito mato em volta. Ele pode fugir, num primeiro momento pelo menos, não?

Bjs

*Ta* disse...

Adorei o post !!!!
Acabei de saber q sua mãe é igualzinha a minha !! hahahha !! E por esse motivo, não entendo quase nada de cãezinhos... até tentamos ter um em casa, mas precisávamos trancar a mãe dentro de casa pra poder brincar com o cão no quintal ! Era trash ( principalmente pro cachorro, por isso acabamos dando ele pra um primo... ) Agora, morando com um primo e um irmão, pensei em comprar um cachorro pequeno - adoro maltês ! - mas eles tbm não querem cachorro por aqui... e eu teria dó do cãozinho, pq moramos em apto e ficamos o dia inteiro fora...
Minha mãe tbm acha minhas roupinhas mto "sempre iguais" e é mais magra q eu... isso me magoa ! rs !
Boa sorte pra vc ! Vai emagrecer e ficar ainda mais linda ! O cão é consequência !! hehehe !
Bjoss !

*Ta* disse...

Boa pergunta !! A Márcia é veterinária ?!! :O Como alguém sabe tanto assim de cachorro ??!! hehehehe !

Anônimo disse...

Gente, eu moro num apartamento que tem a frente para uma rua e os fundos para outra. Na frente é uma rua movimentada e nunca deixei meu gato chegar na janela mas. na parte dos fundos é toda de casarões antigos e ali era o quintal de meu gato que caçava durante toda a noite. Porém, no dia em que aquela tempestade desabou sobre Santa Catarina, ele saiu antes dela desabar e, calculo, caiu do telhado e se perdeu. Na verdade ele não fugiu. Todas as Ongs procuraram pela cidade, fotos foram colocadas em postes mas até agora, desde dezembro de 2008 não tive notícias dele. Não houve desleixo nem falta de amor. Jamais abandonaria meu Jeremias assim como nunca o farei com Caetano e Lola.Agora coloquei rede nas janelas mas tenho pena: aquele "enorme" quintal cheio de bichinhos "caçáveis" e eles com olhar "pidão" pedindo pra sair. Desculpe, Carrie, mas tinha que esclarecer o assunto.
Beijos
Maria Alice

Milema disse...

Sou como sua mãe. Adoro gente magra, odeio cachorro e acho que devemos usar roupas mais extravagantes.
É isso ai, Tia Malu!

Alvaro disse...

Dois meses e meio, pra perder 11.6 kg? Vai com calma, Carrie, é muito pouco tempo... Dá quase cinco kilos por mês!

Carrie, a Estranha disse...

Não, Álvaro! É um quilo por semana. Razóável, não? Ah, mas se demorar mais, tudo bem. Mas tempo pra minha mãe se acostumar com as mudanças!

Milema,

Chata.

E os sapatos vermelhos de verniz, vão à festa?

Ah,Maria Alice...que triste! Puxa vida...

Vanor disse...

Gata, garota, quando você já estiver no retão final dos 5 ou 2 kg finais (sempre que eu estabeleço uma meta muito alta, relaxo-a no final), me dá um toque. Eu sempre conheço gente que tem os filhotes mais lindos, de raça não (nunca!) muito definida, nascidos em berço de ouro, com pré-natal, ultrassom e o caralho.

Porque pedigree não é nada, saúde é tudo. Dou o maior apoio a quem gosta de adotar cachorro doente ou de ambientes pro-sickness (estando as feiras de filhotes na lista dos dez mais insalubres), mas, pra quem esperou tanto tempo pra ter um peludão pra chamar de seu, o mais importante é cercar-se de cuidados no quesito sanidade pra não desanimar com um acidente de percurso patológico.

Isto não é garantia alguma, ok? Seres vivos, infelizmente, não têm garantia, ao contrário das geladeiras, só que quando você afundar seus dedinhos numa orelha macia e perceber que humanos nada mais são caninos que mal acabados, vai esquecer completamente do mundo cão lá fora. Só os cães pra blindar nossa vida do mundo cão, Carrie. Cães e chocolate.

Marcia disse...

Respondendo à Ta (eu respondi à Carrie no próximo post canino): não sou veterinária, mas sou apaixonada por animais, especialmente os cães. Veterinária é a Vanor (ih, dedurei!), com quem concordo totalmente: só com cães e chocolate a gente sobrevive neste mundo.