sexta-feira, agosto 01, 2008

Disseram que eu voltei americanizada...


Zorba, a Grega com quem eu vou morar, me mandou um e-mail, finalizando com “bring some brazilian sunshine...”. Que bonitinha. Pena que ela está um tanto quanto equivocada quanto a minha pessoa. Eu não sou alguém capaz de trazer raios de sol. Eu tô mais pra darkness. Shadows. Chiaroscuro. Talvez um quadro de El Greco – que, falando nisso, também era grego. Dã.

Ou não.

Talvez eu descubra, em NY, meu lado Miss Sunshine. Talvez essa seja a minha “saída do armário”. E esse papo todo de luz e armários me fez lembrar daquela música do Los Hermanos: “abra os teus armários eu estou a te esperar/pra ver deitar o sol sobre os teus braços castos”. Às vezes é preciso escancarar os armários entre uma estação e outra. Deixar entrar o sol e sair o mofo. Guardar roupas da outra estação, se defazer de outras tantas e quem sabe adquirir algumas novas. Arejar.

Mas fiquei pensando na gozada idéia que temos sobre a cultura alheia. Somos sempre etnocêntricos (traduzindo: achamos que a nossa cultura é o centro e vemos o outro como um “estranho”; melhor dizendo: só podemos julgar - e é impossível não fazê-lo - o Estrangeiro a partir de nossa prórpia cultura). Ela deve estar imaginando que vai chegar lá a Carmem Miranda – ainda que eu tenha mandado uma foto pra preveni-la. Da mesma forma que eu já a qualifiquei como Zorba, a Grega. Ou achei que ela ia ter aqueles sobrenomes Stefanocopoulous e falar alto e fazer danças bizarras e preparar comidas de grego – quando na verdade ela é budista e pede comida pelo telefone. E ela nem é grega. Os pais é que são.

O curioso é que, por mais que estejamos erradas, esses estereótipos se confirmam em alguma instância. Dentro de mim há uma Carmem Miranda esperando para sair do armário. É verdade que ela vai apanhar bastante da Mortiça Adams, que vai usar o tamanco pra bater, mas no fim quem sabe as duas até troquem umas receitas de como manter as madeixas escuras sedosas e macias ou o que fazer para a unha não quebrar. Ou a Mortiça use as frutas (podres) da Carmem pra jogar nas pessoas. Who knows?

Mais uma máxima de Pândego Orientador (quer dizer: é de algum escritor que me foge o nome agora): “minha pátria são meus sapatos. Onde eles me levarem eu estarei em casa”.

Pois eu digo o contrário: eu nunca estou em casa. Até - e principalmente - dentro de mim mesma.

15 comentários:

LadyoftheFlies disse...

Little Miss Dark Side of the Moon,
Pelo que me lembro, nao so ela e grega da gema como tambem morou na Australia ate os 4 anos, quando os pais resolveram se mudar para o Canada. Ela esta bastante acostumada aos raios de sol.
E, de novo, nao se preocupe: depois de ter me conhecido nao ha a menor chance dela estar esperando uma Carmen Miranda (que afinal era Portuguesa, nao?).
Beijo
Raquel

Carrie, a Estranha disse...

Sim, sim! Bem lembrado sobre as origens da Carmen.

Mas qto à Zorba, tinha entendido q ela tinha nascido na Nova Zelândia - confundi NZ com Austrália! - e mudado pro Canadá depois.

Mas aposto q, aos olhos dela até vc é um pouco Carmen Miranda.

Bjs

Camila disse...

Carrie, quando eu ainda era estudante de direito, ouvi de um professor de Direito Internacional que "lar é onde eu deixo os meus chinelos". Na época eu nao entendi muito bem, mas ao mudar de país e ter deixado um par de chinelos na casa dos meus pais, entendi bem isso...
Tenho tentado, a duras penas, me livrar do título auto-imposto de "embaixadora do Brasil por onde quer que eu vá". Nada é mais legal do que ser "cidada do mundo" e me surpreender com o novo, vendo os estereótipos que moram na minha cabeca sumirem.
Um beijo e boa viagem!

Viviane disse...

"Eu não sou alguém capaz de trazer raios de sol."
Como assim???
Eu já te disse isso "Vc é a alma dessa casa e muito da luz que há por aqui".
Mas, tá bem..."eu empresto vc um pouquinho pra grega..."
Espero que vc seja muito feliz.
Te amo sempre!
Beijos,
Bibi

Carrie, a Estranha disse...

Que lindo isso q vc disse, Camila. Vc é a mesma pessoa q escreveu naquele post sobre a coragem? Acho que sim.

Balu,

Te amo. Eu nada mais sou do que um espelho.

Bjs

Clara Lopez disse...

carrie, tenho acompanhado suas peripécias, ri muito com a ida ao consulado, é aquilo mesmo...:) Não adianta dizer para vc não levar nada além do básico, pq tudo, tudinho vc encontra nas farmácias de lá, menos os controlados, claro, tipo frontal. quanto ao dicionário, sugiro o pequeno, ou leva apenas no laptop, ou então vc provavelmente vai achar um dicionário de inglês portugues para o cp bem baratinho por lá. Nada disso adianta, pq o que decide é a ansiedade da pessoa, não tem jeito. De todo modo, tenha uma ótima viagem, aproveite bem seu tempo, vai passar rapidinho, vc vai ver, fique tranquila que vai dar tudo certíssimo, fique calma na alfândega, leve a carta de aceite da Universidade junto com os documentos e vá sossegada, viu? Have a very nice trip and welcome soon. Alguém vai pegar vc no aeroporto? Seria legal isso.
um abraço,
clara lopez

Clara Lopez disse...

ps. sim, vc encontra por lá os controlados, claro, mas é mais complicado arranjar o pedido médico, foi o que quis dizer e disse mal :).
abr,
clara

Carrie, a Estranha disse...

Oi CLara!

Obrigada! Sim, por mais q eu esteja tentando levar o básico, sei q vou acabar levando alguma coisa a mais e, em parte isso se dará devido a ansiedade. Mas, se isso serve pra me acalmar, até q vale!

Não, não tem ninguém pra me pegar no aeroporto. Snif! Mas tudo bem. EU vou descer no JFK. Pra ir pro Astoria é perto, daí vou pegar um daqueles taxistas indianos mal humorados e seja o q Deus quiser!

Obrigada pela força.

um beijo

Camila disse...

Carrie, se vc quiser manter contato por msn, meu email é camilamanfre@hotmail.com.
(Ainda bem que vc vai chegar em NY com sol, os dias cinzas fazem qualquer um se sentir cinza tb... Amigos, virtuais ou reais, deixam a vida mais colorida.)
PS. Nao me lembro mais sobre o post da coragem... talvez tenha sido, eu sou comentarista bissexta.

Carrie, a Estranha disse...

Sim, Camila. Acabei de checar no post q eu te falei e � vc mesmo - o mesmo link pros seus dois blogs. Vc, q casou com um alem�o, q fez Direito (ih, dando a ficha completa!).

Que bom. J� tenho contatos na Alemanha!

Bjs e vou te add, sim.

Joel disse...

Tem muito serviço de van para te pegar no aeroporto. Mais barato e melhor que táxi. Inclusive feito por brasileiro. Tem a vantagem de caber melhor a(s) malas. Que, aliás, vendo suas neuroses imagino que seja um daqueles baús de viagem antigos.

Carrie, a Estranha disse...

Joel,

Será q é vantagem? Qto? Vc teria os tels?

Nada, menino. Minha única mala é bem modesta. Justamente: por causa das neuroses eu prciso de uma mala simples! ;)

Bj

Carrie, a Estranha disse...

PS: Já me informaram q eu vou pagar uns 26 doláres + gorjeta de taxi (lembrando q eu vou ficar no Queens). A van seria mais barata q isso?

Joel disse...

Minha experiência é indo para Manhatan e a comparação é de uns $45 de táxi versus $25 de shuttle.
Dá uma olhada aqui:
http://www.supershuttle.com/
(esse não é o serviço de van de brasileiro)

Aliás, dê uma olhada na página do aeroporto, sempre tem informações úteis.
http://www.panynj.gov/CommutingTravel/airports/html/kennedy.html

Agora, se você quer realmente economizar e só tem uma mala, pense em pegar o Airtram, depois o metrô. Sai uns $8. Claro que tem que ver exatamente onde você mora para ver a distância do metrô. Eu sempre pego o metrô (ou o trem) quando estou com pouca bagagem.

Carrie, a Estranha disse...

Mas joel, eu vou pra Astoria, no Queens. Que é o mesmo bairro onde fica o JFK. O táxi não paga aquelas milhares de taxas q pagaria se fosse pra Manhattam (pois passa em pontes e tal). Enfim, pelo q andei pesquisando, achei a melhor opção ir de táxi. E pessoas q moram na região tb me disseram.

Mas valeu pelas dicas. Vou ver.

Bjs