sexta-feira, abril 04, 2008


De tempos em tempos sou acometida por um tédio acachapante. Algo que já faz parte da minha personalidade, mas que de tempos em tempos se faz mais forte. Eu confesso que eu até já me afeiçoei a ele. E quando ele vem eu me rendo como uma amante saudosa. E faço charminho. E glamorizo a coisa toda. Afinal, o poeta é um fingidor, não é?

Talvez não seja tédio, mas um sentimento vago e impreciso entre o tédio e a reclusão. Eu sei que é apenas mais um disfarce da depressão crônica que me acompanha desde a mais tenra infância – ou não, ou foi a forma com que eu precisei classificar e rotular esse lado da minha personalidade; que importa? É como se ela, a depressão, pusesse aqueles óculos com um grande nariz e ficasse pulando na minha frente e dizendo: a-há! Você não me pega! Você não sabe quem eu sou! Eu deixo ela pensar que eu não sei quem ela é. Que ela está super disfarçada. Tolinha.

Talvez não seja exatamente tédio, mas um sentimento de descompasso absurdo entre mim e o mundo. Homens são de Marte, mulheres de Vênus e eu de Plutão – que, como a gente sabe, nem planeta é mais.

Eu achava que o mundo era uma merda porque vivíamos neste século caótico. De uns tempos pra cá eu aprendi a relativizar isso tudo. Afinal, o mundo está louco hoje em dia em comparação a quê? À Idade Média, quando queimávamos as pessoas diferentes, como bruxas? Onde o demônio explicava tudo? Ao século XVIII, onde o Rei era um representante de Deus na Terra e, dependendo da classe onde você nascesse, seu destino estava traçado na maternidade? Ah, mas hoje as relações são muito superficiais, descartáveis...ah é. Bom mesmo era ficar casada a vida toda, com o seu marido tendo amantes, apenas porque não se separava no século XIX. Ou ter seu casamento combinado antes de você nascer porque os reinos do seu pai e da sua mãe precisavam se unir.

Eu não sei de onde as pessoas tiram que o mundo deveria estar melhor hoje em dia. Por quê? Baseado no fato de que o progresso científico trará mais felicidade? Ah, que coisa mais iluminista! Mais moderna!

Enfim, tudo isso pra mostrar que eu sou uma pessoa meio sem assunto. Porque as aflições alheias não me fazem nem cócegas. Eu me sinto muito solitária. Não solitária por não ter com quem sair, falar – se eu quiser eu pego o telefone e converso com várias pessoas e combino alguma coisa. O problema é você sentir que não há quase ninguém que te entenda.

Tem ainda umas poucas pessoas. Formiga Irmã, uma amiga que é pior do que eu...talvez mais uma pessoa ou outra. Pessoas que não vão tentar me animar. Pessoas que concordam comigo, pelo menos em algum aspecto. Pessoas que sabem que não há nada a dizer.

Se você não entendeu nada desse texto, sorte sua.

PS1: Comentário de Formiga Irmã: ando com uma preguiça de coisas engraçadinhas na televisão, tipo essa nova série do Luís Fernando e todos esses programinhas...isso sim, é muito engraçado. É, sou eu acho, eu sei. Por isos eu não estou na TV. Meus programas não fariam sucesso. Ficaríamos só eu e Formiga Irmã, rindo.

PS2: A grande pergunta do Jornal Hoje de hoje é: porque o caso-Isabela (um pai que, ao que tudo indica, matou a filha de seis anos, junto com madrasta) gerou tanta comoção? Aí saem perguntando as pessoas pela ruas, junto com um psicanalista. A grande pergunta é: como a Sandra Anemberg chegou até ali?

10 comentários:

Viviane disse...

hahaha, ah For, como te entendo e como vc é engraçada!!!
Pensei a mesma coisa que vc falou no PS2.O que é isso??? Por que este assunto nos comove? E a cara da Sandra???
Beijos,
BB, For Sister

Ila disse...

Carrie, eu também sou acometida por crises existenciais.
Porém acho que não deveria ter nascido em outra época, e sim em outro planeta de uma vez, de preferencia em um onde não existam empresas sangue-sugas, impostos, menstruação, fiapo de manga e celulite.

Cris disse...

bem, eu não vou tentar te animar, porque sei que não adianta. já tive depressão e sei que não adianta. e quando se é acometido por esse problema parece que a vontade da gente é enfiar o pé na jaca e se jogar no poço mesmo. pelo menos, eu era assim. eu meio que 'curtia' aquele estado deprimido, era algo meio mórbido... hoje eu sei que, bem, o mundo é uma merda, a vida realmente não tem sentido, mas eu gosto de viver, apesar de tudo. e portanto, quero viver bem e ter prazer. é diferente daquele cara hedonista que finge que tudo é lindo, ou se aliena e quer só curtir. eu penso que, se nada faz sentido, cabe a mim dar um pouco de sentido à minha vida pelo menos. por isso que eu acho válido qualquer estratégia contra depressão: exercícios, sol, caminhadas, companhia e remédios, se for o caso. bjs

Nalu disse...

Nossa, de novo, eu bem podia ter escrito esse post, viu? Quer dizer, eu provavelmente não conseguiria escrever tão bem. Como é parecido com algumas coisas que eu penso! Concordei com todas as linhas. Só que hoje em dia eu me sinto cada vez menos e por menos tempo deprimida, entediada. E nem estou tomando nada rsrsrs. Mas um ET, ou de Plutão, ou totalmente desconectada do mundo, isso cada vez mais. Abraços.

Carrie, a Estranha disse...

Balu, my soul-mate...

Ila,

Fiapo de manga! Hahaha

Clis,

Não é exatamente isso...mas obrigada!

Nalu,

Eu tb. POr incrível q pareça.

bjs a todas

Hetie & Claudio disse...

Carrie querida do coracao... nao sei se choro ou se dou risadas...pq? hoje acabei de marcar uma consulta com 1 psiquiatra (pelo menos ele pode me receitar meu antidepressivo)... e nao preciso ir a outro medico para pedir a receita - aqui nao se vende remedios sem receitas, so aspirina, Tylenol, essas coisas)..ai, nao satisfeita (pq deve ter muitas pessoas como eu)...e como a consulta eh so para o dia 18 de abril, marquei p/ a proxima semana com 1a psicologa..depois vejo quem sera melhor para mim...pois eh...depressao nao tem idade, nem porque, se pega, pega mesmo...o negocio esta muito preto para mim...preciso de, pelo menos, alguem para me ouvir...
beijos...

Carrie, a Estranha disse...

hetie! eu te escuto! fala q eu te escuto!

bjs

Lenissa disse...

Carrie, te entendo mais do que gostaria... o descompasso é uma merda sem tamanho, mas não troco minha consciência da realidade por um pouco de alívio imediato.
Mas nem por isso estou fora do time que tenta animar (sou das duas turmas)!!! Vambora, foda-se o descompasso , a gente cai mas levanta pra cair denovo...que droga... não colou nem pra mim... hahahaha
Precisamos marcar aquele almoço pra enfim descobrir a Srta Rosa.. hahaha. Tenho seu e-mail, que eu nunca consegui escrever o que gostaria (to devendo) - vou achar e combinar um lunch! Bjs

Cris disse...

ah, não é nada disso? li tudo errado? bem, então desisto, hehehe. acho que tô emburrecendo, só pode. sorry... bjs!

raquel disse...

infelizmente, eu entendo.

ah, eu conheço as duas senhoritas rosa, hehehe