sábado, dezembro 08, 2007

UP DATE: a pantera que eu estou parecendo é essa do meio



Cortei meu cabelo. Pela primeira vez na vida fiquei puta com um corte de cabelo. Sabe quando você chega com uma idéia, mas vai cedendo aos apelos do cabeleireiro? E ele era novo, fui pra experimentar. Meu cabelo tava muito ressecado. Eu, tolinha, pedi pra ele cortar 4 dedos. Ele cortou 4 dedos. Abertos. Pedi pra ele repicar por cima. Ele desbastou o meu cabelo como se fosse um matagal virgem, com uma navalha. Resultado: Formiga Irmã disse que estou um misto de Pigmaleão 70 (novela), Chitãozinho e Xororó e uma das panteras (a versão antiga) - além de alguns parentes obscuros nossos. Formiga Mãe lembrou-se do Rei Roberto. Ou seja: sou a própria reencarnação dos anos 70. Acho que vou reatualizar o turbante por uns 2 meses.

Quer dizer: a única coisa que eu realmente gosto em mim, meu cabelo, eu consigui fuder. Palmas para mim.

Mas, como sou pessoa otimista, penso que poderia ser pior. Eu poderia estar com câncer e ter perdido todo o cabelo. Meu cabelo poderia não me obedecer. Ele poderia estar nas drogas. Poderia estar matando, roubando. Vamos lá, cabelinho. Mamãe te apóia nesse momento difícil. A gente vai sair dessa juntos! (A sorte é que cabelo cresce e o meu mais rápido ainda).

E eu resolvi que vou entrar numa filosofia punk de vida. Punk no sentido clássico do termo. Do it yourself. Já faço minhas unhas eu mesma, vou passar a cortar meu próprio cabelo. Porque, na boa, isso que o cara fez eu faço - e melhor. Esses cabeleireiros gostam de passar a idéia de que esse cortes desestruturados tem alguma técnica. Reloooou?!! Não tem! É só meter a tesoura em sentido diagonal. Ou então juntar o cabelo todo na frente e cortar.

Porque, na boa de novo, meu dinheiro está escasso. Tão escasso que eu acho que eu vou abrir mão de comer. Afinal, eu tenho um bom estoque pra gastar. Não tenho de onde cortar gastos. Pronto. Não como mais. Vou me alimentar de luz. Até eu cair de inanição ainda vai demorar alguns meses.

E pra priorar Bella ficou chateada comigo. Com razão. Ela entendeu uma coisa e eu outra. Não fiz por mal, mas mesmo assim fico triste quando alguém se chateia por algo que eu faço, ainda que indiretamente.

Vim pra Gotham City ver minha sobrinha que vinha de Piracicaba e eu não vejo nunca, mas os pais dela (meu irmão e cunhada) desistiram de vir.

Ninguém me ama.

Saco. Tô um docinho de jiló, como diz Formiga Irmã.

(Veja aqui em baixo o post sobre o nosso grupo de leitura)

12 comentários:

Bella disse...

jesusmechicoteie! lê meu e-mail criatura!!
bjs

Beatriz Ferraz disse...

nossa, eu juro, juro que eu imagino a fernanda torres ou vc, já que é atriz, em um palco, milhões de pesoas, e sendo encenado esses fatos.meu deus, eu estou rido tanto que dói.mas não por causa do desastre, mas o jeito que vc conta..meu deus!

sarita disse...

Mas Carrie, você não tem um cabeleireiro que TE ENTENDE????
O que você fez, mulher!? Você pulou a cerca???
Praga de cabeleireiro é pior que praga de mãe e de ex... me-do!

Bárbara disse...

menina, seu cabelo tava bom. pq vc foi mexer?! um cabeleireiro da cidade imperial está quase me convencendo a mudar a cor. depois q li seu post fiquei com meda, muita meda...

nervocalm balas disse...

Ih, passei por uma experiência quase idêntica na sexta. Eu até peço pra descer a navalha sem dó no meu cabelo, mas a cabeleireira da vez não tinha as manhas. Pra completar, cortou uma franja curtinha, que agora tenho que disfarçar. Cheguei em casa e, como sempre, meu pus na frente do espelho consertando tudo com uma gilete. Também vou tentar cortar sozinha da próxima vez. Nhé.

Carrie, a Estranha disse...

Pessoas,

Era um cabeleireiro no qual eu estava indo pela primeira vez. Eu nem ligo de cortar curto e com navalha, só não era exatamente o q eu queria. Mas tudo bem. Cabelo cresce.

Cris disse...

carrie num é docinho de jiló. eu e bellinha ama carrie, pronto!

=]

bjs

Carol disse...

Tá em curso uma super crise capilar coletiva. Só pode.
Acho que o 'faça você mesma' dá muito certo, eu fiz no meu e fiquei muito mais feliz do que das duas últimas vezes que gastei meu dinheirinho com cabeleireiro!

samya disse...

Fui num cabeleleiro perto de casa a duas semanas, cheguei la com o cabelo castanho com mechas mais claras, longos e encaracolados. Sai de la com o cabelo quase preto, liso completamente repicado na tesourinha de dente e sem volume nenhum. Resultado: coque, porque nem rabo de cavalo consigo fazer mais.
Te entendo completamente, ainda bem que cresce!

Raposinha disse...

As vezes foi a melhor coisa para ser feita pelo seu cabelo do jeito que ele estava...

Na adolescencia cometi uma burrice (típica de adolescente) quando substitui meu loiro natural por um ruivo Spice Girl. Depois daquilo meu cabelo nunca mais foi o mesmo...

Mas na época fiquei bem satisfeita com o novo efeito, mas com o tempo enjoei e percebi que tinha feito cagada mesmo, aí cortei curto (na altura do ombro) e me senti ainda mais fora de mim, olhava no espelho e parecia que tinha emprestado o corpo de outra pessoa.

Hoje, 8 anos depois, consegui voltar às minhas "origens capilares" com a diferença que agora preciso pagar quase 100 reais a cada 6 meses para a cabeileireira deixar ele com a mesma cara de quando eu ainda tinha meus cabelos naturais.


É Carrie, tem males que vem para o bem. :-P

Pati Linden disse...

Cara, desculpe falar, mas morri de rir do teu post. Aliás, do blog todo. A seção lááááá em cima "Meu cabelo no momento" é ótema! E os depoimentos de Sting, Cérebro & cia tão ótemos também. Teu cabelo pode tar uma merda, mas tu tá hilária, guria. Ah,e tenho que ir agora noutro blog, é isso? Ou aquele lá é pro clube do livro? Explica pra loira/ruiva aqui, vai?

Beijo pra ti e pra Formiga Irmã (minha amiga de orkut, lá lá lá)

Carrie, a Estranha disse...

Samya,

É, pois é.

Raposa,

Não sei, não sei...

Pat Linden,

Pode rir, fia. Eu rio de mim.

Não, pat. Aquele é só pra quem tá no clube do livro. Ou quem quiser falar sobre livros.

Bjs