terça-feira, outubro 23, 2007

Fatos da vida


O cérebro humano só consegue ficar completamente concentrado em uma coisa por 50 minutos. Depois disso, ele precisa de uma pausa de 10 minutos. É fato. É ciência. Por isso eu estou aqui escrevendo. Nossa, você relaxa da tese escrevendo outro texto? Mas é claro!


*

Eu acho que deveriam fazer um estudo sobre o percentual de gente que surta no mestrado/doutorado. Fonte segura me disse que a quantidade de laudo psiquiátrico que dá entrada nos departamentos é bastante expressiva. É fato. Pessoas que entram em depressão profunda. Eu conheço vários. Não porque não gostam do que fazem. Ao contrário, quase sempre gostam demais.

Resta a dúvida: é a carreira acadêmica que pira o selumano ou o selumano que escolhe a área acadêmica já possui um parafuso a menos?

E isso piora na área humana. Ou pelo menos essa é a área que eu conheço mais. Não imagino engenheiros surtando - bobagem minha, preconceito; todo mundo tem direito a surtozinho básico. Por que as questões são mais subjetivas e tendem a ter mais relação com a pessoa? Se bem que o fato de você estudar um protozoário qualquer ou um planta também diz muito sobre você, né? (essa meu irmão Chechéio poderá responder). Sei lá. Por que a tese tem que ser maior e a pessoa fica mais tempo confinada, escrevendo, sem estar num laboratório ou coisa do tipo? Pode ser...


*

Ainda bem que nada disso acontece comigo. Eu e Herbie, meu amiguinho verde que veio de Plutão (que não é mais planeta, mas ainda merece respeito) pra me ajudar a escrever a tese estamos ótimos. Estamos por aqui. Daremos uma volta daqui a outros 50 minutos, uma hora. Vamos lá Herbie! - no momento ele acaba de nocautear com um grande tacape. Haroldo, meu amiguinho de outro planeta que fica dizendo: quero dormir, quero ver TV, quero brincar!

5 comentários:

Andréa Natal disse...

Você devia escrever um livro de crônicas depois dessa tese! Faria o maior sucesso!
Bjs

Anônimo disse...

Eu acho é que o estudo deixa a pessoa muito introspectiva, com muito tempo para pensar em bobagens. O dia a dia do trabalho cura a maioria destes problemas. Eu pessoalmente estou muito preocupado com as minhas plantas, que não estão respondendo como eu imaginava.
Agora, que todo surtado procura a área humana é verdade, não precisa nem de pesquisa! A sorte é que o inverso não é verdadeiro!
Beijos, Xexéio

Carrie, a Estranha disse...

Chechéio (ou Xexéio),

Eu tb estou com medo q a minha "planta" morra. Ela já tem 82 aninhos! A diferença é q a minha tese pode ser feita sem ela ou sem as respostas q eu esperava q ela desse.

Um beijão

raquel disse...

oi. engenheiro tb surta fazendo tese de doutorado. eu surtei/estou surtando. eu sinto quase que repulsa em relação a minha tese. travei. acaba que fico me ocupando de outros trabalhos e ela fica lá aterrorizando meu sono.
no mestrado foi assim, mas mais ameno (a cobraça é bem menor). depois de defendida ainda tive depressão pós-tese e só consegui relê-la depois de muito tempo.

Aisha disse...

Engraçado, meu cérebro trabalha por 10 minutos e se dispersa por outros 50. :]