quinta-feira, maio 17, 2007

Vampiros


(Esse texto estava escrito há um tempão. Qualquer semelhança com pessoas ou acontecimentos recentes terá sido mera e infeliz coincidência).



Assim como os vampiros, existem pessoas que insistem em sugar sua energia vital. Não estou insinuando nada a respeito de mau olhado ou energia negativa, mas falo sobre pessoas que tem o poder de te deixar mal com o que elas falam. E o pior é que elas, quase sempre, não se tocam. Ou às vezes nem percebem que estão te sugando.

Você está bem, feliz e tranqüilo. Aí encontra um vampiro. Ele bate um papo rápido, fala sobre coisas que você está fazendo, sempre de forma doce e educada – pois vampiros são sempre sedutores – e quando você menos espera ele te atacou. A princípio você não sente nada e acha que está tudo bem. Depois é que vai sentindo os sintomas: fraqueza, tristeza, vazio...Começa a duvidar de si e da própria existência. Pronto. Você foi atacada.

Tenta entender porque foi atacada dessa forma e inventa razões pra isso. Na verdade não há razões. É da natureza dos vampiros atacarem de forma sutil e escorregadia. Por serem criaturas mortas, sem vida, precisam de sangue fresco para continuar sua insossa existência. Vampiros são vaidosos e não suportam que ninguém seja o centro das atenções além deles.

E ele fará de tudo pra te transformar numa deles: uma criatura fraca que vive nas sombras com migalhas de uma existência que nunca teve. E isso acontecerá se você for mordida três vezes. Portanto fuja o máximo que puder. Vampiros nunca entram na nossa casa sem serem convidados. Na dúvida, mantenha a distância.

Muito cuidado ao tentar matar este tipo de vampiro. As usuais estacas no coração não funcionam, pois ele não tem coração - ou quando o tem, é de pedra. A única solução é mantê-lo o mais longe possível, até que ele não exerça mais poder sobre você. Não basta empunhar o crucifixo, mas ele tem que ser empunhado com fé. Até que ele desista de você e vá buscar outra vítima.

Na maioria das vezes os vampiros ainda guardam semelhanças com os seres humanos que eles foram um dia – sim, por mais estranho que isso possa parecer não devemos esquecer que um vampiro já foi um ser humano um dia. Mas não se deixe enganar. Faz parte da sua estratégia fingir que é um ser humano como outro qualquer.

Freqüente ambientes de luz, pois vampiros odeiam luz. Tenha sempre muita fé, principalmente em você. Carregue uma cruz, por mais ridículo que isso possa parecer. E, na dúvida se estas diante de um vampiro ou não, se afaste.

5 comentários:

dani machado disse...

Esse texto parece que foi colocado aqui pra mim. Exatamente essa semana que parecem que minha energia vital foi-se. AMEI!!!!!

Monica disse...

Pelo jeito há vampiros por toda parte! Mas pufff...vampiro brasileiro....

Anônimo disse...

Sei bem o que é isso e o pior é que eu, por gostar do tal vampiro, sempre tentava justificar as atitudes da criatura. Ás vezes demora a cair a ficha. Eu convivo com alguns e tenho q ter muito jg de cintura pra não jogar água benta neles(as).Mas vamos com fé, confiemos.
Bjs
Sandra Lee

Cris disse...

pior mesmo, carrie, é quando vampirizamos a nós mesmos. tipo, sempre exaltando os erros e se martirizando por eles, até acreditar que na verdade, não servimos pra p... nenhuma. isso existe; vez por outra faço isso comigo. pra mim é fácil exorcizar os vampiros de fora, agora os que se escondem na minha penunbra... esses são os mais perigosos. bjs

ella disse...

Eu acredito piamente que alguns até carregam o canudinho no bolso!
Como acredito (sem ser Pollyana, que minha praia é outra)em energia positiva, obviamente acredito nas más...portanto eu também sofro com os canudinhos!
Eu só suporto vampiros em Filmes que têm um ar sexy, que é pro ato de sugar ficar charmoso! Mas só lá, na tela!

Bjs.
Saudades de vir aqui. Preguiça de Blogs;/