sexta-feira, maio 25, 2007

A pessoa desconfia que tá um pouquinho tensa quando percebe, no meio do dia, que o seu maxilar travou e tá doendo, impedindo que ela o abra além de determinada amplitude, sob pena de dar um tranco.

*

E também quando ela é o único ser humano a achar um livro sobre os horrores da guerra entre Polônia e União Soviética – O exército de Cavalaria, de Isaac Bábel – água com açúcar. E ela confessa isso em voz alta, em sala de aula. E também que assiste a Linha Direta. E as pessoas dão aquela olhada e aquele risinho de nervoso e dizem “é mesmo? Puxa!”, como se aquilo fosse um exotismo seu.

E ela descobre, também, que foi a única que achou Borat, o filme, hilário. E as pessoas começam a olhar pra ela um pouco desconfiadas dela estudar Rubem Fonseca. E começam a chamá-la de pós-moderna e ela desconfia que isso não foi exatamente um elogio.

*

Toda aula tem aquela mala que não pára de falar, dá opinião sobre tudo e sempre leu tudo e mais um pouco, se lembra de filmes e dá palpites sobre tudo, né? Pois é. Nessa aula a mala sou eu.


*

E por falar em aula e Linha Direta, meu orientador vai aparecer no programa. Calma, ele não cometeu nenhum crime (fora o seqüestro do embaixador americano, que eu descobri que ele participou da ação e não estava entre os presos trocados. Na verdade ele foi trocado pelo cônsul do Japão. Foram quatro as autoridades seqüestradas por movimentos guerrilheiros nos anos 60. Mas ele diz que não foi seqüestro, foi “uma ação revolucionária”. Claro que ele diz isso, com um sorriso irônico no canto da boca. Enfim. Voltemos ao assunto). Pois é, ele vai aparecer falando da conjuntura social dos anos 60. Parece que vão fazer um Linha sobre o caso do Cabo Anselmo. Que eu não me lembro exatamente o que é.

*

Achei uma loja que vende cartuchos de tinta pra minha impressora a dé reau, em Copa. Comprava por catorze no centro. E caneta própria pra escrever no CD. Adoro quando descubro novos produtos de papelaria outrora desconhecidos que vão tornar minha vida acadêmica mais organizada. A vida pode ser boa, também.

*

Achei o recibo do meu Eu podo. Claro, eu, pessoa psicamente organizada (esse caos que se instaura ao meu redor é momentâneo e superficial, minha base é organizada, there’s no spoon) não teria jogado fora coisas tão importantes. Essa é a boa notícia. A má é que ele tá completamente apagado, assim como um extrato de banco que você guarda por muito tempo – porra, mas não tem nem um ano! Detalhe: os recibos das outras coisas compradas, na mesma loja, no mesmo dia estão intactos. É ela. A Lady. Lady Murphy me persegue. Mas Pat, que fez as compras pra mim, disse uma coisa boa: americano é tudo organizado, eles devem ter isso arquivado e ter a possibilidade de mandar uma segunda via, caso necessário.

Eu continuo achando que meu Eu podo estragou porque o casamento da minha amiga também estragou em 4 meses. E foi ela que o comprou na lua de mel.

Vamos torcer para que a Senhora Maçã concorde e me dê outro Eu podo.

*

Sexta feira é dia de trocar a roupa de cama e as toalhas. E limpar a casa. Bom.

Acho que vou almoçar na rua.

*

Ou não, meus caros. Ou não.

12 comentários:

Anônimo disse...

Olá!

Permita-me cometer a indelicadeza de corrigir uma coisinha de nada no seu post de ontem: o nome da cidade é Heidelberg (sem "l" depois do "i")! Bem, você está melhor do que eu, que nunca fui até lá. :-)

Aqui no sul da Alemanha está fazendo um calor de lascar: 24 °C! O povo lá fora está enlouquecido - hoje tinha gente andando descalca no meu trabalho! E olha que o verao ainda nem comecou …

Por fim, um adendo: o famoso cabo Anselmo está até na Wikipédia, olha só: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cabo_Anselmo

Beijo!

M.

Anônimo disse...

Ah, me desculpe pela overdose de ":" e "!". É a influência nefasta do idioma alemao, acredite. :-)

M.

Carrie, a Estranha disse...

Oi, querida!

Q bom e q milagre vc escrevendo por aqui!

Na verdade eu só passei um dia em Heidelberg, pois eu dormi em Horkheimer (ih, essa eu não sei escrever mesmo! Só sei q não é o amigo do Adorno e é onde tem o circuito de fórmula 1). É a única cidade da Alemanha que eu conheço. Amei, mas comi uma torta de figo, q é uma das coisas q eu mais odeio na vida, pq não sabia como era figo em inglês.

Mas eu jurava q Heidelberg era com "l". E, consultando a internet, eu vi alguns lugares em q aparece essa grafia (bem verdade q em menor número).

Hahahah...morri de rir com a história dos 24 graus e as pessoas andando descalças. Aqui no Rio 24 graus as pessoas colocam blusa! Quem me dera um calor de 24 graus! Aqui deve estar uns 15, 16. O verão tá dando 44 (bom, vc deve lembrar).

Um beijão

Anônimo disse...

Nossa, estou mopolizando o espaco dos comentários. Tá tudo dominado. :-)
Você é muito figura. Se não me engano, figo em inglês é "fig" (ou algo parecido). Em alemão, figo é "Feige". Ou seja, você estava predestinada a comer a tal torta. :-)
Esqueci de dizer que, movida pelos seus comentários entusiásticos, fui a uma reunião dos "Weight Watchers" aqui perto de casa. Estaria o seu blog infestado de mensagens subliminares pró-WW?
Enfim. Minha impressão em duas palavras: o horror, o horror. :-) O negócio aqui tá mais para AA do que para WW. A diferenca é que os Alcóolicos Anônimos devem ser bem mais animados. Você pode imaginar uma coordenadora que abre a reunião com piadas amarelas (tive de me conter para nao dizer "dããããã" no fim) e passa o resto do tempo se desculpando por estar 10 kg acima do peso ideal? Para alongar a silhueta, a coitada vestia um terno e sobretudo (!) pretos – uma sandice sem par, levando-se em conta o calor (alemão) infernal que está fazendo aqui – e, consequentemente, suava em bicas. O único homem presente falava sem parar sobre os benefícios do aipo para a saúde sexual da humanidade. Segundo ele, o aipo (0 points!) reacendeu a chama da paixao entre ele e seu companheiro. Agora, me diga, por que eu? :-)
Bem, eu acho que o sistema WW funciona. Não funciona no meu caso (porque eu nunca comi, não como e nunca vou comer fruta nenhuma, não me imagino calculando porcões de alimentos e, na cozinha, só sei ferver o leite – mesmo assim, com dificuldade), mas funciona. Acho que eu tenho é pobrema de neuvro. :-)
Puxa, bem que a gente podia ter conversado mais na faculdade. :-)
M.

Carrie, a Estranha disse...

M.,

O espaço dos comentários é de vcs, leitores (nossa tô parecendo político falando). Eu adoro qdo as pessoas comentam e qdo comentam longos posts. Até qdo discordam de mim eu gosto. Só não gostam qdo me mandam tomar no cu (e ainda por cima, no cú) e me chamam de baranga. Aí eu me reservo ao direito de excluir. Eu poderia muito bem resolver tudo isso colocando uma moderação de comentários, mas acho chato e antipático, mesmo pq algumas vezes as pessoas ficam discutindo entre si nos comentários e eu fico só oberservadno, então seriam chatão ter q entrar toda hora para liberar os comentários.

Eu acho q figo é algo mais complexo em inglês, hein? Vou chegar.

Muito fofo, seu comentário. Sim, eu poderia ter feito várias coisas na época da faculdade. Vou até te mandar um e-mail. Já.

bj

Cris disse...

né não, carrie. figo é 'fig' mesmo. os saxões as vezes são paradoxais, hehe. bitocas

Carrie, a Estranha disse...

Uai, então eu fui muito lerda mesmo. Ou a pronúncia do cara era muito estranha, pq eu entendi um troço completamente diferente e aceitei - se eu tivesse entendido algo que parecesse de longe com "fig" eu diria No, no, no!!!

bjs

dani machado disse...

Amiga, o Eu podo da Gi estragou e, parece que ela ganhou um novo. Dá uma ligada p ela. Vc está divertidissima!!

Carrie, a Estranha disse...

Dani,

Foi justamente de um papo com ela final de semana passado q essa história de arrumar o Eu podo começou!
Foi ela quem me deu todas as dicas!

Valeu.

bjs

Monica disse...

Hahahahaha, pior a emenda do que o soneto!

Gisele disse...

Aqui não precisa da garantia pra levar o Eu Podo para assistencia tecnica, eles tem no computador o nº de série e lá fala tudo....afinal é APPle, né?? hehehe.
Recebi um novo em menos de uma semana...boa sorte!!

Carrie, a Estranha disse...

Gi,

(Já falei pra ela, mas vou falar de novo, pq pode esclarecer pra outras pessoas - humm...Sublime tb é utilidade pública):

O número de série indica a data de fabricação e não de compra. Ele foi fabricado em março, mas comprado em junho (final).