sexta-feira, dezembro 01, 2006

Porque eu gosto da Bruna Surfistinha


Amigo de um amigo de um amigo conta a história que se segue - verídica. Ele, vinte e poucos anos, boa educação, sempre bons colégios, se formando na faculdade, começa a namorar garota apaixonada por livros. Ele diz:

- Pô, Fulano, fico até sem graça. A Beltrana lê quase um livro por semana. Eu só li dois livros na vida: "Cachorrinho Samba na fazenda" e o da Bruna Surfistinha.

Precisa dizer mais? Sim, a Bruna Surfistinha é responsável pela difusão da cultura entre uma parcela da juventude que dificilmente lê qualquer coisa! E só por isso ela já merece respeito. Você acha isso pouco? Você acha que não é uma leitura de qualidade? Well, como diria McLuhan, às vezes o meio é a mensagem. Pelo menos foi o primeiro livro de muita gente e quem sabe essa leitura pode levá-los a um Marquês de Sade, a um Carlos Zéfiro ou até mesmo a um Rubem Fonseca. Pois a leitura tem que pegar as pessoas antes de tudo pela emoção. Depois pode-se tentar aprimorar o gosto. Li uma das coferências do Borges naquele livro "Sete Noites" onde ele fala exatamente isso. A leitura deve dar prazer, antes de tudo. E Bruna dá.

E é o que eu sempre digo: Bruna escreve em seu blog muito melhor do que a maioria dos meus alunos (quando eu dava aula) de jornalismo – pasme, de jornalismo! - da Estácio. Não vou nem falar do livro, porque aí tem editor que corrige. Mas o blog, mesmo, é bem escrito.

Ah, só um esclarecimento: Samba é o nome do cachorrinho. Tem a continuação deste emocionante livro que é “Cachorrinho Samba na Cidade”. Mas dizem os puristas que já não é tão bom quanto o primeiro. Samba perde muito das suas raízes.

5 comentários:

Cris disse...

nossa, carrie, alunos da estácio são hors concours. imbatíveis mesmo. eu tive alguns bons alunos no curso de relações internacionais quando dava aula por lá, mas eram poucos. na letras então, nem se fala. dava desespero. agora, quanto ao quesito "contribuição pela difusão da cultura" acho que fico com o paulo coelho. mas ó: nem conheço a bruna viu? num posso nem opinar com mais propriedade. é só orelhada mesmo. bjs

Ila Fox disse...

E quem nunca leu Ilha Perdida? hehe

Pô, eu tbm curtia o blog da Bruna Sufistinha sabe? acho de uma hipocrisia tãão grande aquele povo que julga ela!
Sinceramente? acho mil vezes pior qualquer mulher que dá para todo mundo.
A Bruna pelo menos tinha um tino comercial para a coisa.
Ela merece onde chegou, não foi nada fácil para ela, e nem para nenhuma mulher que por qualquer razão tem que seguir esta vida.

Nessa disse...

olha, eu também acho que é um bom começo e tal. mas também não dá pra ficar só no "melhor do que nada". se Bruna Surfistinha for um bom começo, um meio, acho que é bem válido. não podemos moralizar Bruna Surfistinha e dizer que, só pelo conteúdo de suas histórias, é literatura ruim. mas que seria bem interessante que essas pessoas partissem - no caso da literatura erótica - para Anais Nin, Henry Miller, Marques de Sade (como vc citou)...

agora... com relação a alunos de faculdade, hehehe... já vi cada coisa durante a minha graduação! e os alunos da minha chefe, nossa! sinceramente, dá vontade de mandar alfabetizá-los de novo!

Roberta Carvalho disse...

Um amigo meu que mora em Buenos Aires foi tradutor da Bruna Surfistinha quando ela foi lançar o livro lá. Ele vai estar no Brasil em dezembro, se quiser te apresento a ele. :P

Roberta disse...

Tradutor não, desculpe, intérprete.