quinta-feira, setembro 14, 2006

Maria, minha algoz


Maria é minha faxineira quinzenal. Tem uma sinceridade desconcertante, que beira a rudeza. Já contei aqui algumas tiradas dela (“por isso que você tá gooorda e bonita, só fica aí quietinha...”). Maria é como muitas diaristas do Rio de Janeiro: mora muito longe, tem muitos filhos, que já tem filhos, o marido bebia, mas encontrou Jesus e parou de beber – mas de vez em quando encontra também com a vizinha – já teve filho morto pelo tráfico etc. Mais uma história como muitas outras.

Maria chega, no máximo, às sete da manhã aqui em casa. Isso quer dizer que ela acorda às 3:30, já que mora em Engenheiro Pedreira. Vem cedo pra vir sentada no trem. Desce na Central e pega outro ônibus. Onde ela mora é tão longe que é na metade do caminho pra Volta Redonda. Não tem calçamento. Quando eu acordo, lá pelas 8, 9 horas, ela já está a mil. E ainda me sacaneia: “madrugou hoje, hein”? Ela espera eu acordar pra fazer o café pois diz que meu café é ótimo. Aí pára o serviço e vem tomar café comigo. Me conta do cara que teve as pernas decepadas pelo trem, das filhas dela que estão grávidas, me mostra a unha dela que quebrou no sabugo; tudo isso enquanto eu, tonta, tento achar a colherzinha de café. Mas pra quem já viu o filho ser metralhado na porta de casa, isso tudo realmente não é nada.

Hoje eu perguntei pra ela em quem vai votar. Ela disse: “em ninguém”. Disse: “eu também” (quer dizer, acho que só vou votar no Gabeira pra deputado federal, mas ainda estou pensando). Perguntei se ela recebe algum desses benefícios de bolsas e ela disse que nunca pediu porque não achava certo. “Seja como for, a gente tem comida em casa. Deixa pra quem precisa mais”. Não precisa nem dizer que Maria é 100% confiável.

Mas não é sobre isso que eu quero falar. É sobre a sua sinceridade desconcertante. Maria tem um referencial de beleza um tanto quanto alternativo. Uma vez, querendo saber sobre o namorado – que era modelo - de uma amiga (sim, pois ela faz faxina de toda a família e muitos amigos) ela respondeu: “ele não é feio, não”. O cara era um modelo relativamente bem sucedido e pra ela “não era feio, não”. Ao mesmo tempo ela acha umas pessoas horrorosas, lindas. O que me faz ficar preocupada por ela ter dito sobre a minha sobrinha: “ela é muito bonita. Mas, também...vocês são todos bonitos na sua casa!”.

Hoje eu levantei às 7:30. Comi minha tangerina (1 ponto), meu pão de forma light integral de cenoura que não tem nem 50 calorias (1 ponto), com duas colheres de cottage (1 ponto) e café preto com adoçante (0 ponto). Tô calçando meu tênis pra ir caminhar quando ela manda: “mas você engordou, hein?”. Eu levei tanto susto com essa informação assim, na lata, que minha primeira resposta foi “por quê?”. Ao que ela respondeu: “ué, não sei, só tô te dizendo que você engordou”. Na verdade o que eu queria dizer era: “por que você me maltrata dessa forma, por quê???!!! Por que você só notou isso agora?”. Além disso, eu estou gorda, tudo bem, mas eu não engordei nem um grama nessa viagem. Eu pesei um dia antes de ir e um dia depois de voltar. Então se eu já estava gorda há algum tempo, por que só agora ela resolve falar? Disse: “não, Maria, eu já tava gorda”. Ao que ela responde: “não, você engordou mais”. O que eu podia responder? “Mas eu já tô de dieta, Maria”. E ela manda: “ah é, tem que fazer sim. A Beatriz [filha dela] emagreceu 10 quilos e não engordou mais”.

E pensar que eu ainda pago 70 reais pra ouvir isso. E também pra ela manchar minhas roupas, claro. Mas onde encontrar uma pessoa pra quem você dá a chave da sua casa e deixa dinheiro na mesa e ela só tira do lugar pra limpar e coloca de novo, exatamente do jeito que você pôs?

6 comentários:

VanOr disse...

Carrie, querida, haja o que houver, mantenha a Maria bem longe de mim. Eu não estou podendo ter nenhuma emoção muito forte até perder meus primeiros 3kg.

Parabéns pelo café VP, u-hu!!! Vai no vácuo da Beatriz, é nóis, fé em Deus.

Anônimo disse...

For, é nessas horas q aparecem pessoas pra nos colocarem pra trás. Dê um corte e vá em frente. Daqui a pouco vc vai estar magrinha, aí se prepare pois ela vai falar que vc era bonita qdo era gooorrrda.
Te amo!!!
For sis

osvjor disse...

Acho que esse Ninguém vai acabar sendo eleito porque também vou votar nele...

Tereza Cristina disse...

Eu tenho uma Maria bem parecida (no quesito confiança). Ainda bem que ela não comenta sobre o meu peso, rsrs. Já basta as chicotadas que estou levando de mim mesma.
Mas, já tomei minhas providências: fechei a boca (ai minha cervejinha!!!...) hidro 3x por semana, 1 hora de esteira todo os dias e musculação também. Ufa!!! Mas a endorfina já está apresentando resultados; oba!!!
Não podemos desanimar.
beijinho

Carrie, a Estranha disse...

Tereza,

Não, cortar cervejinha, não! Com moderação! No programa dos Vigilantes do Peso vc pode tomar cerveja!

Bjs

Tereza Cristina disse...

Carrie, é lógico que não consegui ficar sem a minha cervejinha já no primeiro fds. Fazer o quê, né?? Mas foi com moderação. rsrsr

*No comentário anterior:
basta=bastam rsrsr