terça-feira, setembro 26, 2006

Cheiro de testosterona


Consegui finalmente ter minha primeira aula do semestre no doutorado. É que eu faltei três aulas, por causa da viagem; a professora duas, então só agora começou pra valer.

É uma matéria de metodologia em história econômica. Não tem nada a ver com o que eu estudo, mas preciso fazer uma metodologia; como era a que tinha e eu tô afim de me livrar, então resolvi fazer logo. O primeiro texto foi foooda. Uma pedreira. Teoria econômica hardcore sobre o feudalismo no caso da Polônia, entre os séculos XVI a XVIII, com direito a gráficos e fórmulas matemáticas. Eu não sei de onde tiram que gráfico ajuda. Gráfico só atrapalha. Tipo, explica direitinho, com letrinhas e palavrinhas que a gente entende. Pelo menos a turma inteira também achou difícil pra caralho. E olha que eles, ao contrário de mim, estudam isso.

O ponto positivo é que a maioria esmagadora do curso é homem. Tem 12 homens e 4 mulheres (contando com a professora). Além disso, tem uma forte bancada do Rio Grande do Sul. Então eu fico ouviiindo aqueeeele sotaaaque que é sempre bom de se ouvir.

A maioria é homem, pois sabem como é, né? História econômica é assunto pra macho. Assim como greve, sindicalismo, operariado...agora, cultura, literatura – as coisas que eu estudo – é assunto de mulherzinha. As disciplinas só tem mulheres. Chega, né? Muita progesterona junta não dá certo. Começam aqueles papos de “ai, amigannn...onde você comprou essa blusa?”. Jorjão, o caminhoneiro hooligan que me habita não agüenta. Por que eu não fiz física ou engenharia? Ah, lembrei. Porque eu mal conto até 10.

Um comentário:

Tereza Cristina disse...

MUITAS RISADAS....
Carrie, será que é uma prerrogativa das nascidas sob o signo de Escorpião??? Eu sou espertinha para muitas coisas, mas também não sei contar... rsrsrsr
Cheiro de testosterona é uma delícia mesmo.
beijinho