sábado, junho 24, 2006

Joselitices num itaú de chatices

Bancos são lugares propícios ao aparecimento dessa espécie em ampla procriação, classificada pela ciência como joselittus desprovidus de noçaum. Ou, o popular, Joselito.
Lá estava eu, lépida e faceira, na fila do Itaú. Nem tenho conta no Itaú, mas tinha que depositar em uma conta corrente e estava com mais de 30 cédulas, então o caixa eletrônico não era uma boa opção - a não ser que eu fizesse várias viagens o que seria meio "ora, pois pois". A agência estava "meio que" em obras, isto é: não consegui distinguir de fato se eram obras ou se caía o caraio do reboço do teto. O fato era que o ar condicionado estava quebrado. Oquei, não tá aquele calor senegalês, mas banco é banco! Tem que ter ar congelante! Um monte de gente estressada gera calor.
Ah, antes que eu me esqueça gostaria de relatar meu pânico de portas giratórias. Eu tenho medo de portas giratórias (bom título de comunidade pro orkut). Sempre acho que alguém que está saindo vai girá-las mais rápido e eu vou cair e ser arrastada pela porta. Sem contar que sempre a porta apita comigo. Devo ter cara de mulher-bomba ou integrante do PCC. Aí começa aquela coisa: tira celular, tira chave...Tenho vontade de dizer: "tenho um pino de metal no cérebro e é por isso que apita" ou de gritar "tenho uma uzi aqui dentro, cal pobrema?". Mas tudo bem. Sou um ser pacato e ordeiro.
Voltando ao assunto de hoje, quando chego pra depositar tá uma fila enooorme e uma selumana sem loção parada no caixa. Ela devia ser funcionária de algum salão, pois estava com um avental vremeio. Toda de vremeio. Beleza. A indivídua em questão, numa manobra tipicamente joselítica, conseguiu digitar sua senha três vezes errada e bloquear seu cartão! E a mulher já levantando o tom de voz e a caixa já estressada... Oh, lord! Gimme serenity, but not yet! A fila inteira já estava naquele movimento de "pega, lincha, mata!", até que a pessoa resolveu descer e resolver com instâncias superiores. Deus, quem sabe?
Um suspiro de alívio geral e a paz passa a reinar momentaneamente. Mas de repente tan tan tan tan tan (musiquinha de "Tubarão") a Joselita Sem Loção volta!!! Oh, Lord!! Gimme guns and gimme now!! Claro que a Jose passou na frente de todo mundo, empacou a fila mais uns 5 minutos e aí finalmente partiu. Vai minha filha, vai...
Tinha uma moça na minha frente com duas garotinhas fofas, filhas dela. Uma delas devia ter uns dois anos e andava pela agência toda, passava por entre as pessoas da fila, achando tudo o máximo. De vez em quando fazia igual na propaganda do Itaú: falava "Itaú" rodando o dedinho. Itaúuuu. Itaúuuu. Coisa mais fofa!
Triste é ver um serzinho tão pequeno já exposto à publicidade - e vamu combiná que propaganda de banco é o que há de mais escroto no mundo, né? Tentam convencer você de que eles não são um banco, basicamente. "Nem parece banco". Tá, ahn ham...parece, não. Só lembro que é banco quando tiro meu extrato e vejo o rombo em tarifas, taxas etc. É por isso que eu digo: quando eu e meu amigo Pink assumirmos o controle do mundo, os publicitários serão os segundos a serem fuzilados. Logo após as operadoras de telemarketing e antes dos jornalistas.
Uma das coisas que mais me fascina em crianças é a capacidade que elas têm de se divertirem em qualquer lugar. Por exemplo, até num banco. Tudo é uma aventura. Tudo é uma experiência muito nova. Existe um mundo oculto atrás da realidade aparente. Isso faz com que o frescor seja muito mais presente em crianças. Não que crianças não fiquem tristes e mau humoradas. Mas é uma outra qualidade de olhar diante da vida. Que a gente não deveria perder jamais.

7 comentários:

M.Eduarda disse...

Caraaaa eu também tenho PAVOR dessas portinhas giratórias de banco, além de ficar extremamente irritada toda vez que tomo uma trombada achando que vou conseguir passar e apita hehehe
beijos

M.Eduarda disse...

Ah! Te mandei um e-mail hj!

Mani disse...

Hum. Lendo seu post eu me lembrei porque detesto banco. E olha que sou sortuda, sempre que preciso entrar numa fila, antes deu chegar ao caixa, logo aparece idoso, portador de deficiente, grávida, mãe com criança de colo, todos passam na minha frente, e eu ainda sorrio educadamente...

Anônimo disse...

Cheguei pela mão da Fal e estou me divertindo muito.. ótimo blog!

E criança em banco e em sala de espera de dentista devia ser proibido, porque realmente faz mal a saúde (delas!). A minha pequena de 3 anos que o diga.
abraço,
Glau

kátia najara disse...

também cheguei pela fal e tô me divertindo muito...
k.

Carrie, a Estranha disse...

Mas até q elas se divertem! O pior é qdo são essas crianças mal educadas e o pai e a mãe não tão nem aí!!
Beijinhos e obrigada pelos comentários, quilidos!

Milema Medeiros disse...

Oi. Q bom q vc ensinou como se comenta sem ter q criar um blog, pq ja nem lembro mais qual é o meu.Rsrsrsrsr.Tbém odeio portas giratórias e sei histórias ilariantes de pessoas nelas. Uma dessas histórias é com nossa amiga Moc.Ela e sua luta com a Caixa Economica.Um dia te conto, ou entao peça a ela pra te contar. Bjinhos