domingo, abril 17, 2011

Cuma?


Aluno me vê e vem todo feliz:

- Professora, professora! Comprei meu primeiro livro! [da vida].

Escondi o espanto e o horror e dei parabéns. 

Detalhe: o rapaz tem 25 anos. Ganha o dinheiro dele há algum tempo. 

Eu não consigo me lembrar o primeiro livro que eu comprei. Nem com mesada dos pais, nem muito menos com meu próprio dinheiro. Não me lembro nem o primeiro livro que li. Lembro de alguns, mas não sei se foram os primeiros.

Provavelmente deve ser o primeiro livro que ele lê na vida.

Conheça a vida selvagem: seja professor.

Pra quem ficou curioso: o livro era o daquela menina alemã, Natália Kamputscha (algo do tipo), que passou anos presa no porão, transando com o próprio pai e tendo filhos dele.

Aluno:

- Me disseram que é bem pesado, mas a gente precisa de um pouco de realidade.

Desce o pano.

PS: Na mesma semana o vi com outro livro - um desses de vampiros, mas sem ser a saga Crepúsculo. Era o terceiro livro que ele lia. É o que eu digo gente: viva Bruna Surfistinha, Viva qualquer coisa escrita. Se isso servir pra despertar o amor (ou outros sentimentos mais carnais) pela leitura, ótimo. Não falem mal da Bruna Surfistinha que eu fico puta (perdão pelo trocadilho).

5 comentários:

Olivia disse...

Oi Carrie, durante dois anos eu fiz estágio de livre docência em uma escola da FioCruz. MInha realidade eram alunos de segundo grau que faziam o técnico na área de saúde pública. Eu costumava prestar atenção no livro das crianças. Era Foucault, José Murilo de Carvalaho (membro da ABL), Marx, Thomas Morus e por aí vai.
Eu saia de lá me sentindo numa escola para gênios.

Yêda Alencar disse...

Só digo 1 coisa: é triste viu?!?

Anônimo disse...

ele faz faculdade de que?

Carrie, a Estranha disse...

Comunicação Social.

lin disse...

Possibly the most amazing blog that I read all year vintage wedding!?!