terça-feira, outubro 05, 2010

Eu sinto que sei que sou um tanto bem maior


Há momentos na vida de um professor que valem todo o resto. Nas últimas semanas eu tive alguns desses momentos. Apesar de poucos, eles nos alimentam nas horas difíceis. Aliás, sempre acho que os momentos bons alimentam os ruins da vida. Que nem na Noviça Rebelde, quando ela lembra das suas coisas favoritas. Todos temos que ter um jardim secreto, no qual só nós entramos, ou que aceita poucos convidados, para levarmos a todo lugar. Meu jardim é muito grande, muito verde, muito florido, muito tudo. Vocês nem imaginam. Cabe muita gente, mas são poucos os convidados. Se eu não falo tanto dele é porque, oras, ele é secreto. Mas, voltando ao caso da vida de um professor. Pois é. Há momentos, poucos, que compensam todo o resto. É como se 2.879 grosserias, arrogâncias e absurdos fossem neutralizados por um único e-mail, por uma palavra de agradecimento, um reconhecimento inesperado. E nas últimas duas semanas eu tive dois destes momentos. É quase como uma droga que te infla o ego e você precisa parar e pensar que você não fez nada demais, o mundo é que anda acostumado com o de menos. É como se a força do Bem prevalecesse. Sabe, que nem o Gorpo do He man cantava que "o Bem vence o Mal. Espanta o temporal. Azul e amarelo. Tudo é tão belo!"? Pois é. É verdade.  

O Bem sempre vence no final. Sempre. É preciso registrar.

10 comentários:

ila fox disse...

Ah coisa boa! as vezes recebemos um e-mail que é como um abraço ou um prato quentinho de mingau, é muito bom!

E como diria aquela frase: "De um bom elogio posso viver dois meses"

Carrie, a Estranha disse...

Ai, prato de mingau quentinho...q imagem boa.

Não conhecia essa frase, não.

Olha q engraçado, Ila: se esse fosse um post me lamentando já teria uns 6 comentários. Sempre observo esse fenômeno. Só tristeza dá ibope.

Bjs

Alê disse...

Carrie, de verdade verdadeira (adorava falar assim quando pequena), você merece cada bom momento.

A Ila falou do mingau e eu me lembrei de quando a minha avó fazia pudim de leite condensado.

A calda, hum que delícia!

Esse seu post trouxe boas lembranças.

Beijos

Alê

P.S.: Eu estou lendo seu twitter e adorei a frase "ninguém me avisaram" do Betão.

ila fox disse...

Carrie,
Hahahaha o povo é fueda. Será coisa de ser humano só dar atenção para coisas ruins? O_o

Alê disse...

Você escreveu sobre o jardim secreto e a cena desse filme não me saiud a cabeça por causa do jardim:

http://www.youtube.com/watch?v=pS_3IKqNtX4

Beijos

Alê

trinity disse...

\o Estou aqui sim! E gosto de notícias positivas!

clara disse...

conte o que aconteceu!!!

Anônimo disse...

O que houve?

Atitude: substantivo feminino. disse...

Juro que meu marido tá tentando achar esses momentos dando aulas para o estado. Juro.
Vou falar para ele cantar a musiquinha do he-man..vai que deslancha?!

Carrie, a Estranha disse...

Oi Alê,

Humm...pudim de leite é realmente a mais perfeita definição de confort food.

Betão é impagável. Quando bebe, perde o dom da comunicação humana - q, diga-se de passagem, já não é mto evoluído qdo sóbrio.

Oi Trinity!

Eu sei q vc está aqui e gosta de boas notícias.

Clara,

Só elogios de uma aluna complicada via e-mail. Só isso.

Anônimo,

Mas essa é mto boa! Vc não se dá ao trabalho nem de por o nome e quer saber o que houve? Ora, faça-me o favor. Rsrsr

Atitude?

Ah não. Aí é impossível. Se for Estado do Rio, então, meu único conselho é: desista. Não há como. Três prof desistem POR DIA no estado do Rio. E eu acho é pouco.