segunda-feira, maio 11, 2009

Coisas que aprendi com o doutorado e servem para a vida

(mas isso não quer dizer que eu saiba usá-las):


1) Não pense: “eu poderia ter feito melhor” ou “eu tinha capacidade pra fazer melhor”. Se você não fez melhor é porque não podia. Você é você e suas circunstâncias. Se saiu daquele jeito é porque era daquele jeito que deu pra sair naquele momento. Não se martirize duplamente – por não ter ficado satisfeito e por achar que poderia ter feito melhor. Você fez o que pôde, e isso é muito.


2) Não fique acreditando nesse papo de “potencial”. Potencial não é nada se você não age. Potencial é prêmio de consolação.


3) Não pense no “se”. A vida é uma estrada e você tem que optar por caminhos. Os caminhos não percorridos, como diz a poesia do Frost, vão ficar pra sempre como uma incógnita. Não tem como pensar “como teria sido se”. Você seria outra pessoa e não dá pra pensar como seria essa outra pessoa com a cabeça da pessoa de hoje. Que dizer...até dá, mas só vai te fazer perder tempo e sofrer.


4) Mantenha amizades e hábitos que não tenham absolutamente nada a ver com o que você trabalha.


5) Não misture vida pessoal e trabalho. Você até pode ser amigo dos seus colegas de trabalho ou do chefe, mas isso não deve ser uma condição por trabalho sair melhor. E se você se tornar amigo, aprenda a separar. Nunca use coisas que você sabe “como amigo” em situações de trabalho. Da mesma forma, não espere que as pessoas tenham boa vontade com você apenas por esses motivos. Não fique conversando sobre trabalho em um churrasco onde estiver sua família ou na mesa, com a sua namorada. Acredite, a sua namorada pode não achar graça no que o Mendonça faz na hora do almoço ou no projeto que vai revolucionar a sua empresa e você resolve discutir com o Paulinho na mesa. É diferente de você contar as coisas pra ela ou conversar com alguém que é da empresa na frente dela.


6) As pessoas têm seus problemas. Nem todo mundo consegue não descontar no outro. Às vezes sobra pra você, mas aprenda que não é pessoal. A vida é dura pra todo mundo e às vezes a pessoa apenas não está num bom dia.


7) Existe muita gente legal no mundo. Que vai fazer as coisas pelo simples fato de querer ajudar você, sem esperar nada em troca. Aceite e saiba dizer apenas: “muito obrigado”.


8) Da mesma forma, ajude os outros. Pelo simples fato de que já te ajudaram. Ou se não te ajudaram, mais um motivo pra você fazer. É sinal de que o mundo precisa de pessoas boas. Viram “A corrente do bem”? Realmente funciona. Você estará fazendo mais bem a si do que ao outro.


9) O que você faz não é a coisa mais importante do mundo. Não importa o que seja. Mesmo que você faça transplante de cérebro ou guarde as ogivas nucleares do Irã, acredite: não é tão importante.


10) Você pode – e deve – planejar sua vida profissional, mas não se esqueça: são apenas planos. Fatalmente eles vão mudar. É quase como a sua vida amorosa, você têm planos, mas eles podem não dar certo. Aprenda a aceitar.


11) Às vezes uma coisa que não dá certo no momento ou um acontecimento muito negativo te joga no chão, mas lá na frente você vê que se não fosse esse acontecimento ruim, você não teria conseguido nada do que conseguiu agora. Mesmo. Meu doutorado é a prova viva disso.


12) Não acreditem no que falam de você. Principalmente se for um elogio.


13) Você controla pouca coisa na vida.


14) Você não sabe nada. Quanto mais você aprende, mais você tem consciência de que não sabe nada. Não é papo (se você acha que sabe, se engana, isso é a única coisa que eu sei).


15) Nunca estará bom o suficiente, mas há momentos em que é preciso por um ponto final. Por imposições ou pelo simples fato de que a coisa pode passar do ponto e desandar.


16) As coisas têm o seu tempo certo de acontecerem – o que não significa que você deva ficar parado. Parece contraditório com o ponto anterior? Não, o difícil é saber o que chegou no ponto de saturação e o que ainda precisa ser amadurecido. Tempo. Tudo na vida é uma questão de tempo.


17) Sempre dá pra mudar a direção das coisas a qualquer hora da vida. Vai ficando mais difícil, é verdade, mas que dá, dá.


18) Quanto mais você sabe que nada sabe, mais aumenta o seu senso de autocrítica. Mas quem você pensa que é que não pode errar?


19) Aprenda a olhar a longo prazo. E a longo prazo, como diria alguém que eu esqueci, estaremos todos mortos.


20) Aprenda a renunciar a certas coisas pelos seus objetivos, mas saiba também renunciar a seus objetivos por certas coisas.


21) Trabalho é legal, pode ser legal, você deve lutar para que ele seja legal, afinal grande parte da sua vida será passado nele, mas não é a única coisa.


22) Fim de semana é importante. Bem como parar de trabalhar em algum horário do dia ou da noite e ir fazer outras coisas (ou nada).


23) Fim de semana é importante, mas não faça disso grande coisa, também. Se “o que fazer no fim de semana” ou “como obter o máximo de diversão do único fim de semana de folga que eu estou tendo” virar o centro da sua vida, prefira trabalhar aos finais de semana.


24) Saiba o que é importante pra você. Não o que os outros dizem que é importante, o que parece ser importante, mas o que realmente é importante pra você. Dinheiro pode não ser tão importante. Ter uma carreira brilhante pode não ser tão importante. Você pode apenas querer ser o cara que aperta os botões. Tudo bem.


25) Amigos e família são, de longe, disparado, mais do que tudo na vida, a coisa mais importante. Não se esqueça. Se você ainda não percebeu isso, talvez não tenha os amigos e a família que deseja. Mas não se preocupe: você sempre pode começar a ter (ambos) em qualquer momento da sua vida.

26) Tenha desapego às suas idéias.

27) O ótimo é o imingo do bom.



17 comentários:

melissapomeroy disse...

queria comentar ponto por ponto, mas tenho um capitulo para entregar...
Assino embaixo de todos, são temas clássicos, mas muito bem abordados, com muito potencial (brincaderinha ;)!!!

Já apresentou?


besitos

Carrie, a Estranha disse...

Não! Dia 28.

bj

Joel disse...

A comemoracao vai ser no proprio dia 28?

Carrie, a Estranha disse...

Siiiiim, Joel! Siiimmm! Passo os informes. Aliás, não tenho seu e-mail e isso é uma falha grave.

Anita disse...

Adoro ler as pérolas de sabedoria que caem do seu teclado !

Lilith disse...

Boa Carrie...lições para guardar para sempre (tô falando sério)...um grande beijo.

Fernanda disse...

Olá Carrie,



Meu nome é Fernanda e estou cursando o 5º semestre de jornalismo na Unigran, Dourados-MS. E preciso fazer uma espécie de matéria internacional. Aí como leio seu blog ja há algum tempo, pensei em pedir sua ajuda. O que a professora quer é o seguinte: que nós alunos façamos uma entrevista com pelo menos 4 fontes de outro país ( o curioso disso é que 100% da sala só fala português, o que já dificulta bastante), e que o tema seja algo de lá (qualquer país que não seja o nosso), mas que tenha relevância aqui no Brasil. Daí então em pensei em vc, afinal vc foi estudar em Nova York (concluir o seu mestrado, é isso?). Então eu te entrevistaria digitalmente, e perguntaria, quais foram as dificuldades, as facilidades, o que vc fez e se fosse de novo não faria, se vc conhece alguém que está lá na mesma situação, pra me dizer o que está sentindo, sobre expectativas e a realidade encontrada. E, sem querer abusar, mas já abusando, se você pudesse me dar também o contato de algum professor que vc teve lá, ou alguém que mora lá e te ajudou de alguma forma, com moradia, dicas, qualquer coisa útil, para que eu entrevistasse também essa pessoa. Quando eu falo entrevistar, quero dizer perguntas simples e diretas.

Ficaria muita agradecida se vc me ajudasse, ainda sou uma iniciante em tudo isso, portanto desculpe algo.

obs: tentei mandar a mensagem sem ser por aqui, mas meu computador só dava erro, daí teve que ser por aqui mesmo.
bjsss

Aguardo resposta, Obrigada

Fernanda Maria

Carrie, a Estranha disse...

Oi Fernanda!

Acho q posso te ajudar, sim - apesar de achar q não sou uma "fonte internacional". Fui concluir meu doutorado lá e fiquei por 4 meses só. Pode me escrever e conversamos: carriewhiteaestranha@yahoo.com.br

Oi Lilith! Oi Ana!

Hahaha...sabedoria caindo do meu teclado...sei...

bjs

Tati disse...

Carrie. Precisa de muita elevação de espírito para atender a todos os itens.
Beijo.

Marcele disse...

Adorei! Principalmente o ítem 11... ando pensado muito nesse tipo de coisa ultimamente.... como diria Regina Marteli em "Os homens são de marte e é pra lá que eu vou": Não era pra ser! rs.
Lá na frente a gente acaba entendendo...
Bjsss querida! Merda, quebra a perna!

Amana disse...

então! tô aqui enroladinha da silva com as leituras que se acumularam, e coisa e tal, já que me dei uma semana de 10 dias de férias desede que Rodrigo por aqui desembarcou. por isso mesmo, farei um comentário geral: é isso aí! e mais: é uma experiência do %$&@#*! acho que você acaba reavaliando tudo enquanto se dedica totalmente a estudar algo super específico, que não foi você que inventou, mas que acaba virando parte de você mesmo. Ah!! E o tópico sobre viradas sensacioanis na vida de um doutorando - coisas que fizeram você quase pensar em suicídio (ou homicídio), mas que acabaram transformando sua vida em algo bem interessante, é o meu preferido!!

tá chegando, hein???
hehehe
beijossss

trinity disse...

Nossa Carrie este post foi uma coisa de orientação para toda a vida com toque de autoajuda, rsrs! Mto bom!

*********

Lembra q a mto tempo vc escreveu q tinah horror de orkut único p/ casal, saiu uma matéria sobre:

http://g1.globo.com/Noticias/Rio/0,,MUL1116807-5606,00.html

Cláudia Pereira disse...

Carrie, pra quem acaba um doutorado sabendo que nada sabe, até que já sabe bastante da vida que existe para além da Academia. Belo post.
E o ponto final chegou. Não te disse? Eu te disse!!!

bjs e parabéns. Avisa onde vai ser a defesa, se der, eu vou.

Alvaro disse...

Gostei muito do post, Carrie! Tem um bocado de coisa que faz pensar...

E onde vai ser a comemoração pelo fim do périplo acadêmico? Avise!

Abração, do
Alvaro

Stella disse...

Acho que aprendi só algumas das coisas listadas. Outras são fáceis de dizer, mas difíceis de por em prática. :/ Tudo é uma questão de momento. Da decisão naquele momento. E nem sempre a gente tem tempo pra pensar.

Olha, se tem alguma coisa que eu aprendi é que se existe deus, ele só pode ser o tempo. Faz toda diferença.

Beijos, Carrie!

Ila disse...

Adorei o:

"Saiba o que é importante pra você. Não o que os outros dizem que é importante, o que parece ser importante, mas o que realmente é importante pra você. Dinheiro pode não ser tão importante. Ter uma carreira brilhante pode não ser tão importante. Você pode apenas querer ser o cara que aperta os botões. Tudo bem."

Ana Paula disse...

Carrie, muito obrigada. Só isso, muito obrigada. Vc disse coisas que eu precisava (e preciso constantemente) ouvir. Parabéns pela sua conquista, boa sorte na defesa.
Abração.