sexta-feira, janeiro 23, 2009

Chegando ao Brasil

Cheguei ao Brasil. Isto é: vim a Capitar (favor entrarem em contato, pessoas) Antes eu não havia chegado ao Brasil. Só me dei conta quando levei quatro horas de Niterói ao Rio ontem.

“Ah, mas em NY não tinha trânsito Carrie?”. Tinha caro leitor. Claro que tinha. Mas em NY você só pega carro e ônibus se realmente quiser. Porque o metrô é tão mais rápido, tão mais barato e tão mais eficiente que realmente eu não entendo porque as pessoas têm carro lá.

E outra coisa: chuva tumultua qualquer trânsito, ok. Mas é diferente tumultuar o trânsito do que ter o trânsito completamente parado porque toda vez que chove por mais de uma hora os bueiros entopem e se alaga tudo e os carros pifam e o trânsito simplesmente não se mexe. Ter infra-estrutura ou não pra se encarar a chuva faz toda a diferença.

A melhor cena do mega engarrafamento de ontem foi ver um transeunte-malucão dando uma de guarda de trânsito. As pessoas ficavam entre atropelá-lo, morrer de rir ou mandá-lo a merda – de preferência as 3 anteriores. De repente ele saca um celular e fotografa a placa do carro. No mínimo quis multar o cara.

Perto da NYU tinha um malucão com síndrome de manobrista. Ele ficava lá, falando em inglês (e eu não entendia porra nenhuma) e dando ordem pros carros - que o ignoravam solenemente. Um ou outro desavisado achava que era sério, mas logo percebia que não.

Acho tão engraçado malucões com obrigações! Porque das boas coisas de se ser maluco deve ser não ter responsabilidades. Aí o cara me inventa de ser maluco e ter uma função? Ah não! Tipo: na minha antiga rua aqui do Rio, no Flamengo, tinha um malucão obsessivo compulsivo. O cara passava dias e dias fazendo listas infindáveis de contas - tivesse ele nos EUA e tava no MIT.

Não entendo.


* * *


Vi Titãs. A vida até parece uma festa, o documentário. Não ainda não tenho forças para comentar. Muitas reminiscências vieram a tona. Mais tarde, quem sabe – quase toda vez que eu falo isso acabo não falando.


* * *


Nova propaganda do Horfifruti: “Horta de Elite”. A foto é de um tomatinho com o quepe do capitão Nascimento, com o slogan “se não for Hortifruti, pede pra sair”.

Só não é perfeita porque podia ter sido na época da explosão do filme.


* * *


E o metrô do Rio, zenti, que tá uma mudernage só! Cartãozinho letrongo. Carros novos, com os vagões mais largos. Coisa de primeiro mundo. E o avisozinho de bicicletário gratuito nas estações de Pavuna e Cantagalo? Achei que eu tava na Suíça! Só vi que não estava quando o aviso dizia: “deixe suas bicicletas amarradas em cabos de aço ou correntes”.


* * *


Manchete do Meia-hora de hoje: “Bandidagem do CV passa o cerol em Cordovil”.

O jornalista que faz uma manchete dessas merece o Pulitzer, sem sacanagem.


* * *


Comprei um cartão de orelhão hoje (coisa mais anos 90, né? Mas ainda tô sem celular) e vou eu tentar falar do dito cujo. Aí vejo o seguinte anúncio, pregado no orelhão: “Fulaninha. Boca de veludo, anal apertadinho etc etc. Foto verdadeira!”.

Nem consegui ler mais nada depois dessas informações. Boca de veludo? Anal apertadinho? Peraí, mas todo anal não deveria ser apertadinho?

Que tolinha que eu sou, né? Tsc tsc tsc...tão inocente! Veja bem: não se trata de puritanismos da minha parte. Eu apenas nunca poderia imaginar que um anal tivesse que ser anunciado como apertadinho. Vivendo a aprendendo.

Tive vontade de ligar e perguntar: “e a boceta?” Sim, porque nessas alturas, se o anal tem que ser anunciado como apertadinho, a boceta já foi pro caralho (sem trocadilho) há muito tempo, né? Nem pompoarismo, nem sexo tântrico, durepox ou cirurgia reconstrutora dão jeito.


Boca de veludo. Olha só a criatividade do brasileiro.

Fiquei meia hora rindo na meio da chuva e ainda mostrando: olha isso, Cris!

Com essa eu me despeço. Acho que é muita informação pra vocês processarem, né messs? (não quero nem imaginar a quantidade de gente que vai chegar no meu blog depois desse post, dizendo coisas singelas do tipo "vem cá que eu te mostro anal apertadinho"...).

Beijomeliguem - no caso, mandem e-mail porque estou sem cel.

10 comentários:

cris disse...

hahahaha, aquele anal apertadinho foi o máximo, rachei o bico de rir. e para de preguiça, vai escrever sobre o filme, anda. quando vc voltar de versailles a gente bem podia ir pra lapa né? bjs

ila fox disse...

Ahhh, lógico que tem diferença entre pegar transito no Brasil e pegar transito em NY. Lá é suuuuper alta renda né bem? hehehe
E ainda dá para exercitar o ingrêis prestando atenção no converseiro alheio (do que os americanos conversam tanto nos metrôs, Carrie?)

*

Sabe q eu tbm já me perguntei isso sobre os malucões Carrie? puxa, parece até que eles querem ficar cada vez mais malucos com as obrigações! talvez por ser gestos mais mecânicos do que qualquer outra coisa.. ou pq no íntimo se sentem inúteis então o cérebro tenta compensar fazendo estas doideiras todas. 8-P

*

Carrie, fico me perguntando o tanto de gente que vai chegar aqui no blog em busca do tal "cuzinho apertadinho", hahaha.

Layana Lossë disse...

QUATRO HORAS??? cacete, vc deu azar! por isso q eu digo: em dias de dilúvio, use as barcas :)

o meia hora e o expresso sei-la-das-quantas sempre me matam de rir com suas manchetes em linguagem popular!

Carrie, a Estranha disse...

Ila,

Anal apertadinho. Pra não escrachar geral. Cuzinho não. Rsrsrs.

Clis,

te mandei mail.

Bj

trinity disse...

Carrie,

Tenho predileção por malucos religiosos - explico na minha cidade aqui no interiorrr tem muito louco literamente gritando. Falando sobre o céu, o capeta e afins. Um tinha uma corda no pescoço com uma bíblia em tamanho normal amarrada.

***

Sobre classificados de GP eu curto ler pra dar boas risadas, já cheguei um cúmulo de ler o classificado inteiro desta categoria. E aprendi coisas bizarras como beijo-grego e os significados abreviações q elas usam pra explicar TUDO o que fazem em um pequeno anúncio.

Carrie, a Estranha disse...

Trinity,

Cada vez descubro mais coisas em comum com vc! Eu tb gosto muito de malucões religiosos! São pau a pau com os malucões besessivos. Malucôes bêbados tb são show de bola. Pensando bem, só não gosto de malucos agressivos.

Tb gosto de ler classificados dessa natureza. Mas o q eu mais gostei foi ver nêgo pondo isso no orelhão.

Humm...Não sei o q é beijo-grego. Acho q to precisando de um reciclagem.

Bjs

ila fox disse...

Carrie e Trinity,

Quando meu irmão teve um surto esquizofrenico ele ficou malucão religioso. Saiu descalço, sem camisa, pelas ruas num verão escaldante, detalhe: segurando duas bíblias debaixo do braço.
Meu pai só foi encontra-lo no meio da estrada 6 horas depois, todo queimado de sol, desidratado e com o pé cheio de bolhas. O_O

p.s - Ele tá tomando remedios agora, voltou a ser meu irmão. Por coincidência um dos temas da novela nova é justamente a esquizofrenia. ;-)

ila fox disse...

Carrie,

Beijo grego é....... bem, hmmm, algo parecido com que se faz na boca mas lá embaixo, atrás............... entendeu?

Mais sútil impossível.

p.s - tbm né, depois do "cuzinho" eu tenho que me poupar! haha

Carrie, a Estranha disse...

Ila,

Ah tá...conhecia, só não tinha ligado o nome a pessoa.

Andrea disse...

Sempre que eu via outdoor do hortifruti tinha vontade de te mandar imeil.

O último que eu vi no metro foi COUVE-FLOR E SEUS DOIS MAARIDOS, chorei de ver a couve-flor entre um pepino e uma mandioca hahahhaha