quarta-feira, julho 25, 2007


Uma semana de caos aéreo e um quilo a mais na minha silhueta. Isso, Carrie. Parabéns. Realmente adiantou muito ficar comendo chocolate essa semana. O caos da aviação – e todos os problemas da sua vida e do mundo – vai acabar justamente por isso. Eu me orgulho de você, garota. Continue assim.

Gordo é tudo safado. Sem vergonha na cara. Tem que apanhar diariamente. Shlep, Shlep...mau sapão, mau sapão.


***

Tipo assim: os EUA não mandaram seus atletas top de linha para o Pan. Só descobri isso ontem. A justificativa é que a maioria deles – como o Michael Phelps, pra quem o Tiago sempre perde, por exemplo – já tem tempo suficiente pras Olimpíadas de Pequim, então eles ficam se poupando. Mas eu desconfio que a razão real seja: é claro que nós somos os melhores das Américas! Pra que perder tempo?

Então pensem bem: estamos em terceiro lugar no quadro geral de medalhas onde o primeiro lugar é ocupado por um Estados Unidos classe B ou C. Quer dizer: ainda assim eles são muito melhores do que nós. Claro, também são menos corruptos, o que faz com que a riqueza seja melhor utilizada no incentivo aos esportes (mas, claro que os petelhos dirão que lá existe tanta corrupção quanto aqui. Bem, pode até ser. Mas há uma diferença que muda tudo: lá existe punição).

Quer dizer, alguém poderia pensar numa final de basquete, por exemplo, que não desse EUA se eles mandassem o dream team pra cá?

É muito humilhação pra um país só...

***

Eu tenho problemas com a crase. Sim, o sinalzinho gráfico que acusa junção de preposição mais artigo. Eu sei as regras, sei as exceções, mas não consigo aplicá-las. Hoje meu orientador mandou um comentário a um trabalho meu: “você precisa estudar crase”. Mais adiante: “você tem algum problema com a crase? Ela te fez alguma coisa?”. Acho que sim. Acho que fui abusada sexualmente por uma crase quando era bebê. Ou quem sabe veja na crase uma prova irrefutável do complexo de castração e por isso da falta estrutural que o ser humano carrega em si. Talvez encare a crase como um pênis metafórico (e torto). Ou talvez seja apenas lerda, mesmo.

***

Aliás, eu esqueço regras de português que eu sempre soube de uma hora pra outra. Ou grafia de palavras. De uns tempos pra cá dei pra esquecer como se escreve “afim”. Se é junto – “afim” – ou separado – “a fim”. O mesmo ocorre com “senão”. É “se não” ou “senão”? Ou podem as duas coisas, dependendo do contexto? É “embaixo” ou “em baixo”? Isso sem falar nas palavras com hífen. Aí fudeu geral. Será que isso é Alzheimer precoce? Será que ginko biloba resolve? Ou só o eletro-choque salva? (Eletro-choque é com hífen? O word tá dizendo que sim).

***

É igual matemática. A vida inteira eu estudei num bom colégio e nunca peguei sequer recuperação em matemática. Hoje em dia não sei mais fazer conta de somar e diminuir. Quer dizer, preciso de lápis, papel ou calculadora e mesmo assim ainda erro. Tenho pesadelos até hoje com prova de matemática. Que no dia da minha defesa chegam meus professores do colégio e dizem: “doutorado? Que isso? Você ainda nem passou no segundo ano!” e eu sou obrigada a voltar pro segundo grau, no Colégio Macedo Soares, em Voltaço.

Em compensação aprendi regra de três e porcentagem. Nunca mais esqueço. Mas tenho meu método. É demorado, mas é infalível. Tenho que botar o “X” no lugar, cruzar...

Fico puta quando escuto as pessoas dizerem sobre algum assunto de matemática: “eu nunca vou usar isso na vida prática, então pra que aprender?”. Pelo raciocínio em si, antas quadrúpedes. Se não (junto ou separado?) quando crescer vai ser que nem eu. Vai errar até conta de bar – principalmente conta de bar. É muito importante praticar certas faculdades mentais. Principalmente aquelas que você não vai usar muito no futuro. Daí entra aprender coisas aparentemente inúteis.

Crianças: estudem matemática e português. Antes de qualquer outra coisa – de curso de inglês, balé e informática - é preciso saber essas duas matérias muito bem. Senão (??) vocês vão ficar que nem Tia Carrie. Esclerosada aos 30.

17 comentários:

Gustavo disse...

Vamos lá:

1 - Você não tem problema com o sinalzinho (que se chama acento GRAVE e não crase). Crase é o nome do fenômeno. Vai ver que é por isso que vc ainda não fez as pazes com o assunto.

2 - Se não (separado) você pode trocar por "caso não" sem alterar o sentido.

3 - Cuidado com seu "X" na regra de três. Numa composta inversa, direta, inversa ele pode babar.

Sim, voltei de férias e tenho TOO MUCH free time on my hands.

Anônimo disse...

Aline, nos EUA ninguém nem sequer sabe da existência desse PAN, eles só pensam em Olímpíadas, não perdem tempo com essas bobagens, e ainda assim mandam pra cá os reservas dos reservas pra dar literalmente um passeio, no Rio de Janeiro e no quadro de medalhas. Sem desmerecer o Thiago Pereira, porque ele realmente é bom, aí fica fácil... Mas vamos lá, vamos parar tudo por causa dessa palhaçada e ficar assistindo esporte na TV o dia todo, enquanto não se fala mais em bala perdida no Rio nem na putaria de Brasília, será que o PAN deu uma pausa nisso tudo? Ou como é que você diz, é "Dona Nídia"? Juninho

Bella disse...

hahahaha, carrie, to gargalhando aqui com esse seu post hj. ahhhh, eu sou igualzinha a vc na questão do português. menina e o tal do "por que", q tem junto, separado com acento e sem??? jesus, não tem como aprender aquilo não!!!
matemática tb foi um sufoco pra mim, mas a regrinha de 3 eu sei até hj. hehehe!!
ahhh, existe "senão" junto tb (isso eu tenho certeza!). copiei do dicionário ó:
se.não.1
conj. Aliás, de outra forma, de outro modo, quando não.
ahh, "embaixo" tb! ó aqui:
em.bai.xo
adv. Na parte inferior.
bjs
p.s. vai estudar inglês fofa! ti linduuu! é bem mais fácil q o nosso portuga!

Bella disse...

tem mais:
afim é junto (de repente até pode ser separado tb, creio...)
"a.fim
adj. m. e f. 1. Que tem afinidade, analogia, semelhança ou relação com. 2. Que possui parentesco por afinidade. 3. Próximo, contíguo, vizinho. S. m. e f. Parente por afinidade."

Cris disse...

carrie, eu tenho pena desses meninos tendo aula de português. porque o que se aprende na escola não ajuda ninguém a escrever bem, por exemplo. hoje dei aula pra um menino da sétima série que tem que saber uma série de figuras de linguagem, um monte de nomes que pra ele não fazem sentido nenhum. catacrese? sinestesia? anacoluto? ah, fala sério. tudo errado. dêem mais aula de leitura e escrita pra essa garotada e depois me digam se eles não vão saber usar o tal acento grave, agudo e de cabeça pra baixo. ou se não vão saber quando o 'porque' é junto ou separado. é essa decoreba que estraga tudo. e as pessoas continuam achando que isso é saber português. acho que por isso desisti de dar aula de português. não que eu não goste da língua - adoro - mas o ensino que se vê [em escolas públicas, particulares, 'fortes' ou 'fracas'] é uma piada. todo mundo sai da escola achando que é estrangeiro na sua própria língua. bjs

Carrie, a Estranha disse...

Gustavo,

Qdo eu crescer quero ser igual a vc!

Regra de três o que? Complica não, rapaz!

Essa geração de vcs está muito perdida. Por que vcs não vão injetar maconha, cheirar heroína ou qualquer outra coisa mais saudável? :)

Júuuuunior!

É o q eu desconfiava!

Bella,

O por que eu até sei. Mas esses outros amiguinhos! Mas valeu pelo empenho! Rsrsrs...COm certeza inglês é bem mais fácil! Quer dizer, qdo nõa entram os frasal verbs.

Cris,

Não sei. Não sei. Eu me considero uma pessoa q escreve bem. E leio compulsivamente. Ainda assim acho difícil. Acho q precisamos de regras. Mas concordo com vc q ler e escrever deveria ser prioridade máxima nas escolas. No entanto só dão redação perto do vestibular e olhe lá.

bjs a todos.

Gustavo disse...

Não dá pra esperar muito de um sistema de ensino que passa Sintaxe (que se fala "sintasse" BTW) na QUARTA série. É praticamente impossível ensinar uma coisa aparentemente tão abstrata pra CRIANÇAS da QUARTA SÉRIE. Faltam sinapses de conhecimentos anteriores, por isso a assimilação é quase nula.

Aliás... dominando transitoriedade o uso do acento grave se torna beeeem mais fácil.

E regra de três a manha é essa:

Veja quem relaciona com o que

Homem------- Tempo (inversa)
Tempo ------- Tempo (inversa)

Comer ou produzir (fazer) ---- Homem ou tempo (Direta)

Exemplo: 2 homens constroem(produzir) 2 casas em 2 meses (tempo). 8 homens constroem 8 casas em:

2/8(homens) 2/8(produzir) 2/x (tempo)


x = 2*8/2(inverte pq aqui é homem---tempo)*2/8(direta produz--tempo)

x= 2*8/2*2/8= 2

Resposta = 2 dias.


Anote, vc nao vai achar isso na net. ;)

Marcia disse...

Carrie,
Complementando os comentários anteriores:

1)"A fim de" ... é separado sempre. O afim junto é só para "assuntos afins" relativo à afinidade.

2)Crase é muito fácil! Se você sabe todas as regras, mas erra na hora do uso, faça uma prova dos nove. Troque a palavra por um substantivo masculino, se o "a" craseado virar "ao" é porque a crase está bem colocada, se não virar é porque esta errada. Lembrando que não se usa crase antes de nomes masculinos singular ou plural. Elementar, minha cara Carrie. Boa sorte! :o)

Carrie, a Estranha disse...

Márcia,

Mas há sempre as exceções. Elas me enganam. Elas estão contra mim.

Karina disse...

Ótimo post! :o)
Acho q nós, fofinhos, deveríamos nos tratar com terapia e não com dieta, pq a gente capricha na salada, rala na malhação, mas aí uma questão emocional põe tudo a perder em segundos. Pelo menos comigo é assim.
Já tinha visto essa notícia sobre o EUA não terem mandado o top de linha, bem como não estarem noticiando o PAN, acho q só uma TV fechada transmite em espanhol. Juntando isso ao fato do orçamento (totalmente) estourado pra estrutura desse evento, enfim, melhor nem comentar. Mas pelo menos é bacana p/ nossos atletas terem seu momento de glória, pq ser atleta nesse país não é moleza.
Bjs

Carol disse...

Concordo... a língua portuguesa vive levando uma comigo. Sempre me engana...
Mas na conta do bar, normalmente erramos por culpa do número de garrafas que "passaram" pela mesa...
bjs e adorei o blog.

Jussara disse...

Eu sempre soube que os EUA não mandam seus melhores atletas para o PAN; o PAn do Rio não seria uma exceção. Mas acho que isso não tira o mérito do Brasil, pois aqui o atleta rala mto pra ser profissional, já que o governo nunca ajudou. Claro que perto deles, os nossos profissionais ficam parecendo amadores, mas isso vc já explicou: lá eles investem em esporte.

Ai, eu não tenho problemas com crase, acho que é uma questão de se acostumar com ela. Mas eu tive um professor que dizia que na dúvida , é melhor a pessoa não colocar a crase, do que colocar, mas colocar errado.

Com senão e se não, eu tb sempre me embanano.

Marcia disse...

O professor da Jussara tem toda razão: na dúvida não coloque, pois assim acertara de qualquer maneira, já que ficara apenas um "a" que tanto pode ser a preposição quanto o artigo definido feminino.
Carrie, para crases não existem exceções. Existem as opcionais, tipo: "Entreguei o envelope à Ana". No Rio a gente especifica as pessoas e falamos: fui à casa dA Márcia; falei com a Carrie hoje. Então, o normal é usar a crase quando o verbo rege preposição "a". Já no Espírito Santo, por ex., eles falam: Fui à casa dE Márcia; falei com Carrie hoje,etc. Então não se usaria a crase em "entreguei o envelope a Ana". A mesma coisa com os pronomes minha, vossa, etc. A crase é opcional em "entreguei à minha mãe o dinheiro...". Tem também aqueles casos ref. a cidades/países. Fui a Veneza/Vim de Veneza, mas Fui à Veneza dos meus sonhos/Vim da Veneza dos meus sonhos.
Se ainda achar complicado, use a regra do "na dúvida, não use".
bj

Gustavo disse...

"Entregar" é transitivo direto e indireto. Não cai nessa de "opcional" não. Estude!

Milema Medeiros disse...

A crase pra mim nao é problema, mas me pego as vezes pensando como se escreve mesmo? Agora, matemática e física sao duas coisas q nao entram na minha cabeça. Sou uma negação!!!

Marcia disse...

A transitividade do verbo entregar não altera a regra da crase, mas acho que você deve estar de saco cheio da crase, né?

J@de disse...

Meu ex-marido teve um papel importantérrimo na minha vida!! Ensinou-me a usar regra de três e cálculo de juros. Ensinando a lógica do treco!! Senão (junto) eu seria uma besta total!!
Em crase até hoje fico na dúvida... e eu sou muito boa em português... tá certa, aprender nunca é demais!!
Beijos!!