terça-feira, abril 10, 2007

Não querência


As pessoas não querem. Elas fingem que querem. Enganam a si mesmas e aos outros. Dizem que vão fazer e tal, mas preferem empurrar com a barriga. No amanhã eu resolvo, amanhã eu decido, depois eu converso, ainda dá tempo. E a maioria nem sequer tenta. Fingem que tentam. Porque tentar já é um grande mérito. Tentar já dá trabalho. A maioria não quer ter trabalho. Não quer se indispor. Não quer ser o primeiro a falar. Não quer abrir mão aqui pra ter mais adiante. Não quer. Quer o caminho (que elas acham) mais fácil, sem se dar conta que pode ser o mais doloroso a longo prazo. A maioria se concentra no supérfluo achando que é essencial.

Só que a vida, esta danada, passa. Num tapa.

Um comentário:

Alline disse...

UIA!
E não é que eu estava falando disso há minutos atrás...
só pode ser um sinal, só pode!