sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Consultório Sentimental de Linda Blair


Linda (acho que posso chamar você assim, né),


Meu problema é o seguinte: tenho 40 anos, já tive uma série de namorados e todos me deixaram. Todos com a mesma desculpa: eles estavam confusos, eu era uma pessoa muito bacana que merecia ser feliz com quem realmente me desse valor ou eles não estavam prontos para um relacionamento sério.

Fico pensando, Linda: será que o problema é comigo? O que eu tenho de errado? Sou uma mulher bonita, faço ginástica, me cuido, tenho Pós doutorado em línguas germânicas e vivo de rendas.

Será que algum dia eu vou conseguir me relacionar com alguém? O que eu devo fazer, Linda?

Ah é: já ia me esquecendo. A Marlene, minha vizinha, anda me fazendo uns convites estranhos. Diz que pegou um DVD que era a minha cara e quando eu cheguei lá era Beijando Jéssica Stein. Me convida pra passar o final de semana na casa dos pais dela em Angra, me convida pra viajar pra Paris...confesso que ando pensando seriamente nessa possibilidade tamanha a minha desilusão com a raça masculina.

Aguardo seu contato,

Cecília.




(Linda Blair, espreguiçando em seu divã, afasta Justine, sua angorá preto que lhe mordisca os dedos dos pés com um safanão. A gata sai e vai buscar outro divertimento).


Cecília, Daaaaarling, quiliiiida, meu anjo,


Suas palavras chegam aos meus ouvidos como música e sinto um certo frisson ao deparar-me com um solo tão virginal, pronto a ser semeado! Há quanto tempo não tenho o prazer de exercer as artes da sedução! Sabe com é, Brad me suga todo o tempo.

Temos vários caminhos a explorar aí. Vamos lá.

Em primeiro lugar é mais provável que o problema não seja com você, honey. Sei que eu não tenho muita experiência com homens, já que eu sou apenas uma garotinha possuída pela demônio. Realmente minhas experiências se resumem a entidades metafísicas do mal – o que, há de convir, são bem mais gentis e confiáveis do que os homens - mas creio que posso lhe ajudar, pois Brad já atuou em homens e podemos estabelecer algumas diretrizes básicas de trabalho. Além disso, Brad é um demônio com 923 anos – mas com corpinho de 700 – que já viu de um tudo.

Aconselho a leitura do clássico Les Liaisons dangereuses, do maravilhoso Choderlos de Laclos. Brad está aqui ao meu lado dizendo que teve o prazer de conhecer Monsieur pessoalmente. O cinema já fez inúmeras adaptações desta obra, mas a única que merece destaque é a de Madame Glen Close, of course. O livro, um romance epistolar do século XVIII, fala de maneira magistral sobre a manipulação do sexo oposto. Claro, antes da Revolução Francesa, Liberté, Egalité e Fraternité e blablabla. Nós, mulheres, perdemos muito com essa igualdade toda. Depois veio aquela bobagem do período vitoriano e pronto. Fudeu de vez. Até sermos livres novamente vai demorar.

As obras de Sade - o Marquês, não a cantora - também são sempre bem vindas, no que podem lhe ajudar com a sua vizinha - mas não nos precipitemos.

Faria uma exceção aos modernos indicando Nelson Rodrigues. O melhor dos puritanos. O que pode ser assaz proveitoso, visto que todos os homens são basicamente puritanos na hora de se relacionarem de forma mais duradoura com o sexo oposto – ainda que por baixo dos panos a coisa não seja exatamente assim, como nós sabemos.

Livre-se de revistas do tipo mulherzinha. "Cláudia", "Nova" e afins. Esqueça também programas mulherzinhas como “Saia Justa” e qualquer um que contenha as palavras “mulher” e “moderna”. Evite também a junção das palavras “homem” e “contemporâneo”. Compre "Playboy", "UM", "Vip" e outras pérolas do machismo. Estude-as como ensaios antropológicos sobre a psiqué masculina. Todo homem no fundo é um Neandertal que gosta de "Playboy". Não se engane com os tipos sensíveis e intelectuais que lêem "Caros Amigos". São os piores espécimes. Devem ter coleções e mais coleções de vídeos pornôs da mais alta vulgaridade em algum recôndito de suas casas. Prefira os trogloditas. Não lhe causarão surpresas.

Well, and last but not the least: pode ser que você seja uma chata de galocha, também. Sua carta não fornece elementos a esse respeito, sugar.

Quanto à Marlene, bem, eu não entendo no que isso poderia representar um problema. Ah, vocês, pequeno burgueses, são tão engraçadinhos com os seus pudores!

Outra dica importante: homens de-tes-tam mulheres desesperadas! Então vá fazer outras coisas de sua existência, baby! Estude física quântica, filosofia pré-socrática ou aprenda a fazer bolos. Se matricule num curso de equitação – humm...Brad me lembra que o correto manuseio de chicotes também é bastante útil – ou bonsai. Vá ao salão, marque uma massagem, depilação, barba e bigode completos! Esqueça os homens um pouco, baby! Isso é muito anos 80! Très démodé!

Eu e Brad rogamos que você logre êxito em sua empreitada!

Cordiais saudações,

Linda Blair, possessa.

Brad, o demônio.




(Linda Blair é possuída pelo demônio, mas nem por isso está morta! É dimenor, mas como é entidade ficcional Brad não pode ser acusado de pedofilia. Perguntas, receitas de madeleines, consultas, lingeries e outros mimos devem ser enviados ou agendados pelo e-mail: lindablairpossessa@yahoo.com.br)

4 comentários:

Padre Quevedo disse...

Icho non ecziste!

Linda, non inchentive eshe tipo de comportamento neshte blog! Shomosh um blog família!!

Linda Blair, possessa disse...

Quevedo,

O q foi q a gente combinou, quilido?

Vc não se mete com os meus negócios q eu não me meto com a sua psicologia de banca de jornal!

Anônimo disse...

rsrs E a minha Formiga por onde anda?
Beijos,
Bibi

Hetie disse...

hahahahah
MUITO BOM! ADOREI
Beijos, Hetie